25 de Julho de 2014
Polícia / Vilhena
Família se revolta com funerária que entregou corpo sem preparo para velório
Segunda, 19 de Agosto de 2013 - Atualizado em 12h01min

O cadáver de vítima de acidente de trânsito sequer foi lavado.

Morto na manhã do sábado (17) em acidente na BR 364, em Vilhena, Adevair Santana Vidal, 24 anos, teve seu corpo tratado de forma infame pela funerária de plantão neste sábado.
 
O caixão foi entregue á família menos de três horas depois da identificação do falecido, em urna lacrada e com recomendação de sepultamento imediato. Os parentes não concordaram, e quando o caixão foi aberto, uma surpresa: o cadáver estava exatamente do jeito que foi resgatado do local do desastre.
 
Segundo Domingos Caetano de Oliveira, tio de Adevair, a bizarra situação começou por volta das 10h30m, quando ele viu matéria em sites sobre o acidente, que aconteceu de madrugada. Reconhecendo o sobrinho, ele procurou o Hospital Regional para tomar providências. Chegando lá, foi informado que o cadáver já havia sido removido para a funerária de plantão.
 
Domingos foi até a empresa, viu o corpo num box de fibra de vidro, e atendeu aos procedimentos de praxe nestas situações. Depois foi embora, e por volta das 13h dirigiu-se até a casa onde aconteceria o velório, para esperar a chegada do corpo. "Pra mim foi uma surpresa chegar aqui e já encontrar o caixão, e ainda por cima lacrado". Segundo os parentes que receberam a urna, foi dito que o corpo estava muito deformado por isso o caixão teria que ficar fechado. A família também foi orientada a realizar o sepultamento ainda no sábado.
 
Domingos relatou a todos que tinha visto o corpo do sobrinho, e que não havia deformidade tão atroz que justificasse a urna lacrada. A polícia foi chamada, mas os agentes alegaram que nada podiam fazer.
 
Neste ínterim, apareceu um funcionário da funerária. Depois de muita conversa e discussão, ele mesmo abriu o caixão, revelando o estado do corpo. Sujo, com as roupas esfarrapadas em virtude do acidente, e já liberando fluídos cadavéricos. A revolta foi tanta, que por pouco o rapaz não foi linchado.
 
Diante da situação, a viúva de Adevair foi encaminhada a Delegacia de Polícia Civil para registro de ocorrência, e a imprensa foi chamada para registrar o fato.
 
Autoridades foram acionadas, e segundo informações uma assistente social da prefeitura irá ainda neste final de tarde a casa para tomar providências. Os familiares exigiram que o corpo fosse devidamente preparado para a cerimônia fúnebre, mas exigem que outra empresa fique encarregada de prestar o serviço.
 

Autor: Extra de Rondônia
Fonte: Extra de Rondônia


Nenhum comentário postado.

ENVIE SEU COMENTÁRIO