Marcos Rocha se pronuncia sobre censura de livros em RO

10/02/2020

Compartilhar:

Na noite de sábado, 8 de fevereiro, após retornar de agenda oficial pelos municípios rondonienses, incluindo a abertura do ano letivo 2020, o governador de Rondônia, Marcos Rocha, se pronunciou através de suas redes sociais em relação as notícias sobre o recolhimento e censura de livros nas escolas estaduais do estado

⬇ LEIA ABAIXO ⬇

“Alguém avisa a Rede Globo, Folha de São Paulo, o UOL e outros veículos para corrigirem suas reportagens, dando o mesmo tempo e dedicação para a informação correta:

— A errada/mentira: “Governo de Rondônia recolheria livros; depois, recuou.”

— O que é fato: “O Governo de Rondônia comprou livros que não existiam nas bibliotecas públicas do estado. Algo que não acontecia nos governos anteriores, que deixavam tudo a encargo dos pais. A suposta ordem de recolhimento nunca existiu, pois tal informação nem mesmo havia chegado ao Governador ou a quem tem esse poder.”

Entenda:

— Estava no interior, na região do café, acompanhando in loco o mutirão de mais de 160 cirurgias de cataratas por dia na região, entrega de milhões em maquinários e inauguração de obras que estavam paradas, finalizadas em nosso governo. Até o final do mutirão, serão mil cirurgias realizadas. Algo inédito na Saúde do estado.

— Em nenhum momento eu e/ou o secretário autorizamos ou assinamos essa ordem.

— É absolutamente fora de lógica, pois eu que ordenei a compra de mais livros de literatura brasileira, rondoniense e estrangeira para nossas escolas. São livros que caem no Enem e no Vestibular. Governos que me antecederam deixavam essas atribuições exclusivas aos pais. Seguindo essa lógica, a diretoria de educação (DGE) fez a análise e comprou 144 obras para cada uma das 256 escolas da rede estadual.

— SÃO 144 NOVOS LIVROS POR ESCOLA! Facilitando o acesso de MUITOS JOVENS que antes não tinham condições de comprá-los, na preparação para o Enem e vestibulares.

— Os referidos e demais veículos que exploraram o assunto estavam mal informados, com matérias equivocadas e sensacionalistas. No documento não há, sequer, a assinatura do Secretário Suamy, como afirmaram e é possível verificar na própria reportagem lendo o anexo exibido em dois segundos. O documento também não foi expedido para as escolas ou colégios, como pontuaram as matérias.

— É a extrema imprensa fazendo o de sempre: execrar aqueles que apoiam o Presidente Bolsonaro, na clara intenção de atingi-lo. Não é com mentiras que mudarão o país.

— Toda medida a nível estadual, para virar “ordem” em nossa gestão, precisa estar, no mínimo, assinada pelo secretário. Ou seja: a ordem nunca existiu.

— Tanto eu como o Secretário Suamy, somos professores. Lecionei por boa parte da minha vida, fui Diretor do Colégio Tiradentes da Polícia Militar, Secretário de Educação de Porto Velho e Coordenador da educação integral do Estado. Também fui Conselheiro de educação por vários anos. Eu sabia que os alunos tinham dificuldade na elaboração e interpretação de textos. Por isso ordenei a compra dos livros citados.

— Eu faria todo esse empenho para depois mandar recolher? Chega ser cômico, a manipulação que fazem. Não houve ordem de recolhimento de livro algum.

— Já mandei que haja apuração de todo o acontecimento.

— Destaco que nossa gestão defende uma lógica coerente na grade curricular com o ensino condizente a idade dos alunos. Todos sabemos que isso não aconteceu com os governos federais anteriores. A liberdade de acesso aos livros e a opção nas bibliotecas escolares é algo inviolável, com a escolha e permissão dos pais e responsáveis. Além disso, todos os citados são livros para o ENEM e Vestibulares.

— Não aguardarei sentado os pedidos de desculpas/retratação de pessoas da extrema esquerda, nem dos veículos citados, pois sei que nunca chegarão.

— Seguiremos trabalhando com fé e honestidade!

Grande Abraço! Fiquem com Deus! Mais verdades. Menos mentiras e politicagem barata.

Deus abençoe nosso país.”

Compartilhar:
Categorias: Educação, Geral, Livros, Rondônia

Notícias Relacionadas

Concurso da Câmara de Ji-Paraná tem salários de até R$ 5.419, 34

A Câmara Municipal de Ji-Paraná (CMJP) divulgou edital de concurso público para preenchimento de cargos com níveis de escolaridade fundamental, […]

17/02/2020

Governo de Rondônia cria cinco novos colégios militares

Na manhã da segunda-feira (17), o governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha, assinou os decretos de criação de cinco unidades do […]

17/02/2020

Projeto da Idaron oferece formação básica em Educação Sanitária aos alunos do Abaitará

Aproximadamente 60 alunos de duas turmas do ensino médio do Centro Técnico Estadual de Educação Rural Abaitará vão participar neste […]

17/02/2020

Documento do carro não vai mais ser impresso a partir deste ano

A maioria dos motoristas já escutou essa frase: “Boa tarde, senhor, documentação pessoal e do veículo.” É obrigatório apresentar à […]

17/02/2020