Anúncio
Anúncio
Anúncio

Saúde destina mais R$ 600 mi para ações de combate à pandemia

26/03/2020

Compartilhar:

Outros R$ 400 milhões já haviam sido enviados a todos os estados do país neste mês. Agora, os secretários estaduais de saúde, em conjunto com cada um de seus municípios, irão definir a destinação dos novos recursos e informar quais valores serão destinados para cada município

O Ministério da Saúde anunciou, nesta quarta-feira (25/03), a liberação de mais R$ 600 milhões para estados e municípios reforçarem o plano de contingência para o enfrentamento da Covid-19. A orientação é que cada estado discuta e defina junto aos seus municípios quais valores serão destinados para cada um. O recurso poderá ser utilizado em ações de assistência, inclusive, para abertura de novos leitos ou custeio de leitos já existentes nos estados e municípios.

Clique aqui para ver a publicação da portaria no Diário Oficial da União

“Nós vamos repassar R$ 600 milhões aos municípios de acordo com a pactuação local. Cada estado vai fazer hoje a sua divisão, de como vai fazer a alocação dos recursos e informar amanhã ao Ministério da Saúde, dentro das orientações que nós demos, quais são os municípios onde terão atendimento de maior complexidade. A partir disso, a gente repassa o recurso para que os municípios utilizem da melhor forma possível no que houver necessidade”, explicou o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

A distribuição do recurso é proporcional ao número de habitantes de cada estado, que precisa definir os locais que terão atendimento de maior complexidade e, com isso, maior necessidade de reforço orçamentário. São, no mínimo, R$ 2 e, no máximo, R$ 5 por habitante. Na semana passada, o Ministério da Saúde já havia destinado R$ 432 milhões para auxiliar os estados e municípios no enfrentamento da pandemia.

O ministro da Saúde reforçou a importância do uso racional do sistema de saúde e das ações de prevenção nesse momento. “É importantíssimo que façamos bom uso do sistema de saúde, por isso é preciso prevenir aquelas doenças que concorrem com leitos de CTI. A vacina contra a influenza é um instrumento para isso, principalmente para os idosos, já que os vírus das influenzas, como H1N1, levam tanto quanto ou até mais pessoas para os serviços de CTI no Brasil”, destacou o ministro.

Mandetta reforçou, ainda, as medidas de prevenção. “Qualquer pessoa resfriada, gripada: evite o contato com outras pessoas. Mantenha a higiene das mãos para que a gente possa ter uma somatória de ações que nos dê equilíbrio para podermos atravessar esse momento de muito estresse para as pessoas e para o sistema de saúde”, concluiu. “Nós não vamos mudar um milímetro do foco na vida. Nós vamos focar na vida das pessoas durante todo esse período. Não vamos perder o foco que nós já construímos e estamos todos muitos conscientes, no foco da proteção da vida”, concluiu o ministro da Saúde.

Outros R$ 400 milhões já haviam sido enviados a todos os estados do país neste mês para serem utilizados conforme a necessidade do enfrentamento à doença. A distribuição também foi proporcional ao número de habitantes de cada estado, sendo R$ 2 per capita.

(Fonte: Ministério da Saúde).

Compartilhar:
Tags:

Notícias Relacionadas

Cirone Deiró apresenta proposta para contratação de médicos formados no exterior

A medida vai contribuir para evitar o colapso nos serviços de saúde pública do estado O deputado Cirone Deiró defendeu […]

02/07/2020

320 cacoalenses já foram infectadas pela Covid-19

Cacoal chegou nesta quinta-feira, 02 de julho, a 320 casos confirmados de Covid-19. No município, 255 pessoas já se recuperaram […]

02/07/2020

Bolsonaro: Mercosul é parte das soluções para recuperação pós-pandemia

O presidente mudou o tom e mostrou querer se aproximar do bloco O presidente Jair Bolsonaro afirmou hoje (2) que […]

02/07/2020

Pimenta Bueno se aproxima de 200 casos confirmados de Covid-19

No boletim divulgado nesta quinta-feira, 2 de julho, a Prefeitura Municipal confirmou 199 casos de Covid-19 em Pimenta Bueno. Deste […]

02/07/2020