Anúncio
Anúncio

Comércio varejista teve queda de 16,8% na passagem de março para abril deste ano

16/06/2020

Compartilhar:
Whatsapp Image 2020 06 16 At 4.18.36 Pm

Resultado, provocado pela pandemia do novo coronavírus, foi a mais intensa em 20 anos, de acordo com o IBGE

O comércio varejista no país teve queda de 16,8% na passagem de março para abril deste ano, segundo dados da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada hoje (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Essa queda, provocada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19) foi a mais intensa em 20 anos, de acordo com o IBGE.

O varejo também registrou quedas de 6,1% na média móvel trimestral e de 3% no acumulado do ano. No acumulado de 12 meses, há um crescimento de 0,7%, de acordo com a PMC.

Segundo o IBGE, a queda foi generalizada no Brasil, em todos os 26 Estados mais o Distrito Federal. Na passagem de março para abril de 2020, houve quedas nas oito atividades pesquisadas: tecidos, vestuário e calçados (-60,6%), livros, jornais, revistas e papelaria (-43,4%), outros artigos de uso pessoal e doméstico (-29,5%), equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-29,5%), móveis e eletrodomésticos (-20,1%), artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (-17%), combustíveis e lubrificantes (-15,1%) e supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-11,8%).

Em relação a uma comparação com o mesmo período do ano passado, o varejo caiu 16,8%, com recuo em sete das oito atividades pesquisadas. Só Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo teve aumento (+4,7%) em relação a 2019, porém do mês de março para abril de 2020 também apresentou queda (-11,8%), mesmo sendo considerado serviço essencial.

Para o presidente da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL), José César da Costa, os números explicitam a vulnerabilidade do setor de comércio e serviços frente a crise provocada pelo coronavírus, e torna urgente ações mais efetivas de socorro ao setor.

“Há tempos chamamos atenção para o impacto da pandemia no varejo”, diz José César. “O setor de comércio e serviço gera no brasil 26,4 milhões de empregos. Isso representa 57% dos postos de trabalho do país e 70% do PIB nacional. Os dados do IBGE apontam para um cenário inédito que vai ser sentido no país como um todo”, explica José César.

Para o presidente José César, é importante que o governo e as lideranças varejistas sigam elaborando soluções para que o setor não se perca na crise. “Nossa tarefa agora é ajudar a equipe econômica a encontrar caminhos possíveis de auxílio ao nosso setor”.

Na última semana, a CNDL participou de uma reunião com o Ministro da Economia, Paulo Guedes, para tratar exatamente de mecanismos de suporte para o setor de comércio e serviço. No encontro, José César cobrou medidas que podem mitigar os efeitos da crise no varejo.

“Deixamos claro a importância do veto presidencial ao PL 675, que prevê a suspensão de novas inscrições e dos efeitos das inscrições nos bancos de dados de proteção ao crédito por 90 dias, em prol da autorregulamentação do setor e para manter a confiança o equilíbrio nas relações creditícias, além do apoio à MP 959, que prorroga o prazo para entrada em vigor da LGPD”, lembrou o presidente.

Segundo José César, só uma medida como a MP 936, defendida intensamente pela CNDL, que prorrogou a suspensão dos contratos de trabalho, protegeu mais de 10 milhões de empregos no Brasil. “Se formos ouvidos e trabalharmos unidos conseguiremos amenizar o estrago da pandemia em nossos setor e, consequentemente, no Brasil”. (Imprensa/IBGE)

Compartilhar:

Notícias Relacionadas

Dimas Barbosa anuncia pré-candidatura a prefeito de Cacoal pelo PSL

Texto e foto: Da Assessoria – O presidente municipal do Partido Social Liberal (PSL), Dimas Barbosa, o Dimas dos Correios, […]

12/07/2020

Família deixa gorjeta de US$ 1 mil em restaurante nos EUA

Do UOL, em São Paulo – Os funcionários de um restaurante em Nova Jersey, nos Estados Unidos, levaram um susto […]

12/07/2020

Cacoal perde Genésio Lima - Nota da Associação Cacoalense de Imprensa

Foto: Arquivo NOTA DE SAUDADE Inicialmente nos libertamos de qualquer formalidade nesta nota, pois a pessoa da qual nos despedimos […]

12/07/2020

Mega-Sena acumula e prêmio chega a R$ 44 milhões

Mega-Sena irá pagar R$ 44 milhões no próximo sorteio, quarta-feira  Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2278 da Mega-Sena, […]

12/07/2020