Anúncio
Anúncio
Anúncio

Coluna do Xavier – Cacoal: a política, os deputados e a pauta… (03/07/20)

FRANCISCO XAVIER GOMES é professor da Rede Estadual e Articulista

03/07/2020

Compartilhar:

A população de Rondônia possui um perfil que o governo e os deputados gostam muito, porque tem muita gente batendo palmas para essa decisão da Assembleia Legislativa de Rondônia, voltada para o “trancamento da pauta” da Casa de Leis. A Assembleia Legislativa faz uma sessão, fecha o semestre, começa o recesso de 30 dias e declara que vai aprovar tudo que o governo tem na pauta e que, depois de encerrar as votações, vai entrar em recesso. A proposta de aprovar tudo deixa claro que não existe entre governo e deputados nenhuma condição de conflito anunciada por eles, mas os eleitores mais incautos acreditam que os deputados estão brigados com o governo. Que coisa linda!!!!

O governo de Rondônia teve todos os projetos que enviou para a Assembleia, desde o primeiro dia de governo, aprovados por unanimidade. Basta verificar no portal da Casa de Leis e nos jornais impressos e eletrônicos do estado. Não existe dentro da ALE nenhum deputado que faça oposição ao governo. Claro que não precisa ser inimigo, mas uma casa legislativa sem opositores do poder executivo é sempre algo horrível. Com certeza, é por essa razão que o governador não concluiu a obra do Hospital Regional de Guajará-Mirim. Todos os deputados falam que amam a população, amam a saúde, amam a educação, mas nunca ninguém viu nenhum deles cobrando do governo a conclusão daquele hospital. Hoje Guajará-Mirim é a cidade com o maior número de óbitos pela covid-19, porque não tem um hospital. Marcos Rocha esteve em Guajará-Mirim durante a campanha e falou que não entendia a razão pela qual o hospital não estava concluído, e que seria uma prioridade dele. Tudo papo furado!!! Depois de vencer a eleição, o governador abandonou a cidade e a obra que ele prometeu concluir está dentro do mato, igualmente abandonada…

Hoje Cacoal é um dos municípios com o menor número de mortes pela covid-19, porque tem um hospital. Claro que a situação tende a ficar muito calamitosa em Cacoal, porque o governo de Rondônia estabeleceu que a cidade é um polo para atendimento de vítimas da doenças, mas nunca cuidou de ampliar o número de leitos. Todos os dias, os números da covid-19 aumentam em Cacoal e o governo fica somente na conversa. Somente agora, quando o governador mexeu com a AROM é que os deputados vieram com esse papo furado de trancamento de pauta. O trancamento de pauta deveria acontecer em março, para cobrar do governo o aumento dos leitos para covid-19 em Cacoal. O trancamento de pauta aconteceu agora, para agradar a AROM e não para proteger a população. A decisão de trancar a pauta é tão fajuta que o fato aconteceu no dia em que os deputados começam o recesso. A previsão de sessões ordinárias na Assembleia Legislativa é no começo de agosto. Até lá, Marcos Rocha não precisa se curvar para a ALE, porque não tem nada para votar. O governo está defecando para trancamento de pauta em período de recesso…

O curioso é constatar que muitos rondonienses batem palmas para esse teatro legislativo, como se a Assembleia tivesse tomado uma decisão heroica. Os hospitais de Cacoal atendem mais de 30 municípios do estado e certamente poderão entrar em colapso, por falta de leitos; enquanto os deputados de Rondônia jogam para a plateia. Onde estão esses heroicos deputados, que nunca brigaram para ter um hospital de campanha na cidade que atende mais da metade dos municípios de Rondônia? Esse trancamento de pauta vai resultar em quantos leitos em Cacoal, para atender esses mais de 30 municípios? Por que não trancaram a pauta antes do recesso? Por que aprovaram tudo que tinha na pauta para fazer propaganda de trancamento depois?? Talvez nem os dois filósofos da honestidade tenham as respostas…

Estas e outras perguntas certamente ficarão sem respostas, porque os deputados estão sem tempo para responder. Eles estão empregando seu tempo para elaborar importantes projetos para Rondônia. Entre os projetos mais importantes estão aqueles que criam o dia do motoqueiro, o dia da mulher rural, colocam nomes de pontes e outros logradouros, além de apelidos em cidades. A pauta da Assembleia Legislativa de Rondônia certamente será destrancada para o governador Marcos Rocha, assim que o governo tiver interesse, mas ficará trancada para os leitos hospitalares, por um bom tempo, porque o combate ao coronavírus pode não ser prioridade para muitos políticos… Tenho dito!!!

FRANCISCO XAVIER GOMES é professor da Rede Estadual e Articulista

Compartilhar:

Notícias Relacionadas

FIERO e parceiros debatem o desenvolvimento sustentável da Amazônia

Visão de futuro, oportunidades e desafios para a Região Amazônica é o tema do encontro digital, que a Federação das […]

10/08/2020

O DIA 10 DE AGOSTO NA HISTÓRIA

DIA 10 DE AGOSTO: RONDÔNIA: Em 1960 – O governador do Território de Rondônia, Milton Lima, e o secretário Ary […]

10/08/2020

Unesc amplia atuação em Cacoal investindo na área da saúde

Mesmo em meio à pandemia e aos impactos ocasionados pelo novo coronavírus, a Unesc não tem medido esforços para investir […]

10/08/2020

Emater retoma atendimento nos escritórios regionais com foco na segurança de produtores e servidores

A Entidade Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural de Rondônia (Emater) retoma gradativamente os atendimentos presenciais nos escritórios regionais […]

10/08/2020