Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio

O DIA 7 DE SETEMBRO NA HISTÓRIA

07/09/2020

Compartilhar:

Por Lúcio Albuquerque – jlucioalbuquerque@gmail.com

BOM DIA, BRASIL! 7 DE SETEMBRO!

RONDÔNIA: 1922 – Porto Velho festeja o centenário da Independência inaugurando um obelisco em frente onde seria o Palácio Presidente Vargas. Em Santo Antonio é colocada uma placa com mensagem de homenagem à Independência. Em 1922 – A adolescente Labib Aiéch (depois senhora Labib Bátholo) lê um poema na inauguração do obelisco em homenagem à Independência. Torna-se a primeira mulher a participar com destaque de um ato solene local. Em 1922 – Acionado pela primeira vez o sino da catedral do Sagrado Coração de Jesus (PVh) pela senhora Antonina Bórgea de Sá.

COMEMORA-SE:  198 anos da Independência brasileira. Católicos lembram Santa Regina e São Clodoaldo.

FATOS: 1191 – Terceira Cruzada: Batalha de Arçufe: Ricardo I da Inglaterra derrota Saladino em Arçufe.   

1822 – Dom Pedro I declara o Brasil independente de Portugal nas margens do riacho do Ipiranga, em São Paulo.

1906 – Santos Dumont  voa sua aeronave 14-bis em Bagatelle, França com sucesso pela primeira vez.

1920 – Criação da Universidade Federal do Rio de Janeiro, a primeira universidade federal do país, pelo presidente Epitácio Pessoa.

1921 – A Legião de Maria, a maior organização apostólica de leigos da Igreja Católica, é fundada em Dublin, na Irlanda.

1923 – É formada a Organização Internacional de Polícia Criminal (INTERPOL).

1927 – O primeiro sistema de televisão totalmente eletrônico é realizado por Philo Farnsworth.

1940 – Segunda Guerra Mundial: a alemã Luftwaffe começa a Blitz, bombardeando Londres e outras cidades britânicas por mais de 50 noites consecutivas.

1961 – Toma posse o presidente brasileiro João Goulart e inicia-se o primeiro regime parlamentarista no país.

1969 –  Libertado, depois de sequestrado por  terroristas,  o embaixador norte-americano Charles Burke Elbrick trocado por 15 presos políticos.

FOTO DO DIA: Primeira bandeira do Brasil independente, que teve em seu desenho quando da proclamação da república tirado apenas o símbolo do império e da economia. Mas o que pouca gente fala é que cinco dias antes do “Grito do Ipiranga”, a princesa  D. Maria Leopoldina, chefe do Conselho de Estado e Princesa Regente Interina do Brasil, assinou o decreto da Independência, declarando o Brasil separado de Portugal, e mandou o documento a Dom Pedro I, o que praticamente o obrigou a fazer a proclamação. Ela mesma idealizou a bandeira do país, com a cor verde dos Bragança, o amarelo Casa de Habsburgo-Lorena, da qual era descendente, e o brasão de armas no meio do losango, sendo coroada imperatriz do Brasil em 1 de dezembro de 1822, na cerimônia de coroação e sagração de D. Pedro I.

63d29c8c 09f8 4368 9f8f 654f38a3d0d8

Compartilhar:

Notícias Relacionadas

Reeducandas de Cacoal confeccionam uniformes no projeto “Costurando a Liberdade”

O Governo de Rondônia, por intermédio da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus), em parceria com o Tribunal de Justiça […]

26/09/2020

Média de mortes por covid-19 no Brasil cai 10,35% em uma semana

A média diária de mortes por covid-19, de acordo com a média móvel de sete dias, no Brasil chegou a […]

26/09/2020

Jogo Palmeiras x Flamengo está suspenso

O Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro (TRT-RJ) suspendeu a partida entre Palmeiras e Flamengo, inicialmente marcada para 16h deste domingo (26), […]

26/09/2020

Justiça manda bloquear 40% do fundo eleitoral do PT para pagar dívidas

A Justiça de São Paulo condenou o diretório estadual do Partido dos Trabalhadores (PT) a repassar 40% do fundo eleitoral […]

26/09/2020