Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio

Retorno às aulas e investimentos para as escolas é o quê defende o senador Confúcio

A primeira coisa a se fazer é um investimento, um repasse, uma transferência de dinheiro diretamente aos diretores de escolas no limite que eles possam fazer uma licitação com dispensa

23/09/2020

Compartilhar:

Em pronunciamento nesta terça-feira (22), o senador Confúcio Moura (MDB-RO) defendeu que os estudantes retornem às aulas presenciais nos próximos meses, de forma gradativa. Entretanto, ele ressaltou que só apoia a iniciativa desde que, daqui por diante, a curva de mortes por covid-19 seja descendente.

De acordo com o senador, ainda há muitas dificuldades a serem enfrentadas pelos gestores públicos acerca de uma decisão dessa natureza, uma vez que envolve diversos fatores, principalmente sobre a definição de “protocolos rígidos e modelos diferenciados” a serem adotados para garantir total segurança a estudantes, profissionais e familiares. Ele lembrou que o assunto é “extremamente sério” e exigirá prudência dos agentes envolvidos para evitar que os estudantes percam o ano letivo, o que iria gerar “prejuízos incalculáveis para o Brasil”.

Confucio
Senador Confucio Mouras defende definição de protocolos rígidos para o retorno das aulas

Confúcio disse também que “as dúvidas existem no mundo inteiro”. Segundo ele, vários países já retomaram as aulas presenciais e no Brasil não deve ser diferente. O senador defendeu que as escolas recebam financiamento do poder público destinado à manutenção de instalações adequadas para abrigar os estudantes, de acordo com as normas de segurança estabelecidas.

— A primeira coisa a se fazer é um investimento, um repasse, uma transferência de dinheiro diretamente aos diretores de escolas no limite que eles possam fazer uma licitação com dispensa e, juntamente com os pais dos alunos, possam fazer rapidamente essas reformas de banheiros, refeitórios e salas de aulas com mais janelas para arejar os ambientes, manter o distanciamento adequado. Então, são essas a dúvidas que temos — eu, você e os prefeitos. Portanto, temos que encarar a abertura das escolas, que poderá ser agora, ou em outubro, e também podemos emendar 2020 com 2021, fazendo dois anos em um. Pode ser uma alternativa, mas há que se tentar — defendeu.

Fonte: Agência Senado

Compartilhar:

Notícias Relacionadas

Trágico acidente mata empresário na Br-364, próximo a Presidente Médici

Um trágico acidente na noite deste sábado 24, deixou uma pessoa morta, e dois feridos na Br-364, saída de Presidente […]

25/10/2020

Afogamento: Mais um jovem morre afogado enquanto banhava com amigos no Rio Urupá

As mortes por afogamento este ano, tem superado os limites de todos os outros anos. Já foram muitas vidas perdidas […]

25/10/2020

Adoção e abandono de animais domésticos aumentaram

Ter, em casa, a companhia de um animal doméstico pode representar, para muitos, uma forma de espantar a solidão que […]

25/10/2020

Vasques avança o diálogo com a população e intensifica reuniões em bairros de Cacoal

O candidato a prefeito, Marco Aurélio Vasques (DEM), na primeira semana de campanha recebeu inúmeros apoios e intensificou sua agenda […]

25/10/2020