Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio

ESTRATÉGIA OU DESPREPARO? – Coluna BOCA MALDITA – (09.10.2020)

09/10/2020

Compartilhar:

ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL. Muitas pessoas ligadas à administração municipal anunciaram nas redes sociais que esta semana a prefeita Glaucione Rodrigues seria solta e reassumiria a prefeitura de Cacoal, assim como iria liderar seu grupo político rumo à  reeleição. Entretanto, até o fechamento desta coluna, não havia nenhuma decisão judicial relacionada com os fatos e a prefeita segue presa. Na data em que ocorreu a prisão da prefeita, o Desembargador Roosevelt Queiroz sentenciou que os prefeitos presos ficariam afastados do cargo pelo prazo de até 120 dias e poderiam voltar caso houvesse nova decisão. Até este momento não aconteceu nenhuma decisão dos tribunais superiores neste sentido, mas essa possibilidade não está descartada. Talvez seja esta a razão pela qual o vereador Valdomiro Corá decidiu que não vai assumir a cadeira de prefeito.

GLAUCIONE CANDIDATA. A situação que a prefeita Glaucione Rodrigues enfrenta, com relação às acusações que provocaram sua prisão não possui nenhuma relação com a candidatura de prefeita que ela solicitou ao TER, logo após as convenções partidárias. É necessário esclarecer que sua prisão aconteceu após o partido ter realizado a convenção e também após a coligação ter enviado ao Cartório Eleitoral os pedidos de registros. A prefeita Glaucione Rodrigues não possui nenhuma condenação que a impeça de disputar as eleições e qualquer decisão sobre seguir na disputa ou não depende de uma decisão de seu grupo político. As atuais investigações relacionadas com a Operação Reciclagem não impedem a prefeita de manter a candidatura. Neste caso, o grande problema do grupo liderado por Glaucione está em tudo que foi divulgado até hoje pela imprensa local, estadual e nacional.

VEREADOR CORAZINHO. Após receber do Tribunal de Justiça de Rondônia a notificação de que poderia assumir o cargo de prefeito, o presidente da Câmara de Cacoal, Valdomiro Corá, enviou resposta ao judiciário informando que não vai assumir o cargo, porque pretende seguir na disputa pela sua reeleição ao cargo de vereador. A decisão tomada pelo vereador Corazinho deu início a uma ampla discussão sobre quem deveria assumir a cadeira do executivo municipal e as dúvidas só aumentam com o passar dos dias. Até este momento, a única certeza é a de que, caso nenhuma autoridade assuma o cargo, muitos prejuízos vão acontecer, porque o município precisa da assinatura de um prefeito para dar seguimento aos trabalhos da administração. Existem diversos tipos de contratos e convênios que poderão ser interrompidos, caso a situação não seja resolvida com brevidade. Nos bastidores políticos já se fala até mesmo em realizar uma eleição entre os vereadores para definir quem assume a prefeitura.

JABÁ MOREIRA. As pessoas que circulam pelos bairros de Cacoal certamente já perceberam que o nome do vereador Jabá Moreira tem crescido muito nos últimos dias e sua candidatura de prefeito ganhou dezenas de aliados. Após a prisão da prefeita Glaucione Rodrigues muitas pessoas acreditavam que Jabá Moreira dedicaria sem tempo para criticar a prefeita, em função da prisão e das acusações que pesam contra ela. Na realidade, ele declarou que não vai direcionar a campanha para este problema e que pretende buscar aliados para disputar a eleição de prefeito. Essa decisão do vereador Jabá Moreira fez com que ele ganhasse muitos aliados, inclusive pessoas que fazem parte do grupo político da prefeita e que não pretendem seguir com ela na disputa. Outro fator que ajudou ampliar o número de aliados de Jabá Moreira foi a escolha do vice-prefeito, por se tratar de uma pessoa muito conhecida e muito popular na cidade.

ESTRATÉGIA OU DESPREPARO? Os 63.487 eleitores aptos a votar em Cacoal, nas eleições de 15 de novembro, certamente estarão bem atentos para as estratégias utilizadas pelos muitos candidatos que disputam uma vaga na Câmara Municipal de Cacoal. Alguns candidatos novatos passam o dia nas redes sociais fazendo duras críticas contra os atuais vereadores e dizendo que a Câmara de Cacoal atualmente não defende a população. Claro que muitas dessas críticas possuem grandes verdades, mas precisamos lembrar que os novos candidatos precisam dizer quais as soluções que eles trazem para os eleitores. Fazer campanha atacando os atuais vereadores pode ser uma boa estratégia para convencer eleitores pouco instruídos, mas não garante ganhar os votos das pessoas que esperam dos candidatos um conteúdo melhor. Muitos dos atuais vereadores fizeram a mesma coisa em 2016 e hoje são criticados porque não mostraram nenhuma solução para os problemas da cidade. Esse método de atacar parece muito mais desespero do que vontade de melhorar a vida dos cacoalenses.

PROMESSAS VAZIAS. Além dos ataques contra os atuais vereadores, existem muitos candidatos prometendo coisas que nenhum vereador conseguirá cumprir, porque fogem da alçada do mandato do legislativo. Por esta razão, a coluna BM sugere aos eleitores que, antes de acreditar em qualquer conversa, procurem nos sites de busca da internet qual a verdadeira função de um vereador. Todas essas informações estão disponíveis em muitos portais e podem ser acessadas com facilidade. Na era da tecnologia e com a grande facilidade de buscar informações que temos hoje, não dá para acreditar que os eleitores ainda dependam de promessas vazias para escolher seus candidatos. Fazer boas escolhas melhorar a qualidade da câmara depende da seleção de nomes que os partidos apresentam; mas depende muito mais do zelo que o eleitor tem pela sua cidade e da necessidade de estudar bem sobre os candidatos.

PLANOS DE GOVERNO. Ainda falando sobre as escolha de candidatos, o Tribunal Regional Eleitoral possui um portal chamado Divulgação de Candidaturas e Contas Eleitorais que pode ser acessado por qualquer pessoa pelo celular, notebook, ou outro aparelho que permita o acesso à internet.  Este portal contém todas as informações sobre todos os candidatos que disputam eleições este ano, em qualquer município brasileiro. As informações estão divididas por região, estado e município. Ao acessar o portal, o eleitor poderá saber tudo sobre os candidatos, inclusive o Programa de Governo, no caso dos candidatos a prefeito. Este portal também permite saber quem são os doadores de campanha, quanto os candidatos arrecadam e qual a patrimônio que possuem. É uma ferramenta muito importante para quem alega não conhecer detalhes sobre os candidatos.

PROPAGANDA ELEITORAL. Começou hoje, e vai até o dia 12 de novembro, a propaganda eleitoral em rádio e TV. A partir de agora, os partidos e coligações irão mostrar aos eleitores quais são suas metas para resolver os problemas da cidade. Conforme as regras da eleição, nem todos os candidatos a prefeito terão o mesmo tempo de rádio e TV, porque isto depende de fatores como número de representantes no Congresso Nacional e outras situações referentes às regras para definição do tempo de cada candidato. Além do tempo destinado aos candidatos ao cargo de prefeito, existem as inserções de 30 segundos que podem ser veiculadas no decorrer do dia e que também servem para divulgar os candidatos a vereadores e prefeito. As redes sociais também representam uma forma muito eficiente de fazer as mensagens chegarem aos eleitores, mas os candidatos precisam tomar todos os cuidados para não ferir a legislação sobre a propaganda na internet.

DEBATES ELEITORAIS. Como já é tradição em Cacoal, certamente nos próximos dias as emissoras de TV da Capital do Café devem anunciar a realização de algum debate entre os candidatos a prefeito. Os debates são muito importantes e muitas vezes decisivos em uma eleição. Muita gente não lembra, mas, em 2012, a então deputada Glaucione Rodrigues era favorita para vencer as eleições e após a realização de um debate perdeu as eleições para o ex-prefeito Franco Vialeto. Já em 2016, no debate final, realizado no auditório da UNIR, a prefeita Glaucione foi orientada pela sua assessoria de campanha para não comparecer ao debate. Essa estratégia é bem arriscada, mas funcionou naquela eleição e ela acabou vitoriosa nas urnas. Para este ano, ainda não sabemos o vai acontecer, mas muitas coisas podem mudar os rumos da eleição.

DSITRIBUIÇÃO DE CADEIRAS. Este ano, as regras para a eleição de vereadores mudaram completamente e será a primeira vez que os vereadores serão eleitos pela nova legislação. Entre as principais mudanças, está a proibição de fazer coligação para eleições de vereadores e a possibilidade de preencher cadeiras pelos partidos que não atingirem o chamado Quociente Eleitoral. Claro que a distribuição pelo quociente ainda está mantida, mas a inclusão das novas regras podem possibilitar a eleição de candidatos que não estão na lista de favoritos ou mais comentados nas rodinhas de  conversas sobre política. Parece que nem todas as pessoas que comentam sobre o assunto entenderam as mudanças, porque fazem prognósticos que não condizem com aquilo que pode ocorrer com as novas regras. Neste caso, nossa sugestão é que os comentaristas procurem saber direitinho como será a distribuição de cadeiras, porque muitas surpresas irão acontecer.

Compartilhar:
Categorias: Colunistas
Tags:

Notícias Relacionadas

Tribuna em Foco – Por Giliane Perin (16/10/2020)

Essa foi uma semana especial pra gente, com a passagem do casal de nômades digitais, Bia e Lucas, do Canal […]

16/10/2020

Gastando os Sapatos!- Coluna BOCA MALDITA – (16.10.2020)

DIA DOS PROFESSORES Ontem foi o Dia dos Professores, data muito importante e que precisa ser registrada com destaque por […]

16/10/2020

Coluna do Xavier - Cacoal: A Educação, os Professores e as Estatísticas... (16/10/2020)

A educação brasileira tem sofrido muitos problemas nos últimos anos e as coisas tendem a se complicar ainda mais, em […]

16/10/2020

Tribuna em Foco – Por Giliane Perin (09/10/2020)

O registro mais que especial desta semana é para o arquiteto e urbanista Luís Fernando Michelis, parceiro desta jornalista em […]

10/10/2020