Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio

Cremero aponta irregularidades após fiscalização no Hospital de Campanha de Cacoal

Após fiscalização, Cremero aponta diversas irregularidades e pendências na nova unidade de saúde de Cacoal

05/02/2021

Compartilhar:

Nesta semana, o Conselho Regional de Medicina (Cremero) realizou fiscalização no Hospital de Campanha em Cacoal e várias irregularidades foram encontradas. De acordo com o Cremero, a fiscalização é necessária e é uma das competências do departamento junto a todos os estabelecimentos de saúde que iniciam uma operação, como é o caso do Hospital Municipal de Campanha de Cacoal, que iniciou os atendimentos no dia 17 de janeiro de 2021.

Entre as irregularidades apontadas, estão quantidades insuficientes de respiradores e bombas de infusões, pacientes internados sem a monitorização adequada, entre outras situações.

O médico fiscalizador do Cremero, Dr. Willian Couto, esteve nas dependências do hospital e pontuou algumas das irregularidades encontradas.

“Entre as pendências estão um quantitativo insuficiente de cilindros de oxigênio medicinal e ar comprimido medicinal. Tais gases são necessários no emprego do ventilador mecânico caso um paciente seja entubado. Nós também não encontramos um quantitativo inadequado de bombas de infusão, que são utilizadas para a administração de sedativos e drogas vasoativas, drogas que mantem a pressão arterial do paciente”, destacou.

O conselheiro e fiscalizador do Cremero foi além. “Também não encontramos monitores contendo oxímetro de pulso na unidade crítica onde os pacientes se encontram em  oxigenoterapia. Encontramos cerca de 11 pacientes internados neste setor, mas nenhum dele possuía monitorização adequada. Além disso, infelizmente, durante a nossa visita, encontramos apenas um médico atendendo o setor ambulatorial. Não havia no setor de oxigenoterpaia nenhum médico dedicado ao atendimento dos pacientes internados neste setor”, pontuou.

Durante a fiscalização, o Cremero também avaliou o fluxo dentro do Hospital de Campanha de Cacoal. “No setor de contaminado, potencialmente contaminado e limpo, existe uma dificuldade de separação dos setores, podendo haver contaminação. Portanto o fluxo, tanto de funcionários quanto de pacientes tem que ser melhorados. Também temos uma deficiência do setor de diagnóstico, tanto de laboratório como de imagem. Não se encontra isso naquela unidade, sendo isso resolvido em um setor remoto”, finalizou.

Após a visita, um relatório está sendo elaborado pelo Cremero e posteriormente será enviado à direção do Hospital de Campanha, que terá 30 dias para a adequação de todas as irregularidades apontadas. (Da Redação de Tribuna Popular)

Compartilhar:
Categorias: Cacoal, Coronavírus, Saúde

Notícias Relacionadas

Presidente da Câmara de Cacoal faz visita técnica à UBS de Divinópolis

A Unidade Básica de Saúde (UBS), Marina Donaria de Lima, na linha 14 em Divinópolis, recebeu a visita surpresa do presidente da […]

06/03/2021

Federação e Sejucel buscam parceria para o Estadual 2021

A FFER respondeu na tarde do dia 23 (terça-feira), por oficio dirigido à SEJUCEL endereçado ao Superintende Jobson Bandeira, acenando positivamente […]

06/03/2021

49 mortes, anuncia Boletim diário sobre coronavírus em Rondônia

O Governo de Rondônia, por meio da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) e a Secretaria de Estado da […]

05/03/2021

Brasil inicia luta para manter hegemonia na Libertadores Feminina

A edição 2020 da Libertadores Feminina começa nesta sexta-feira (5), na Argentina, com dois times brasileiros em campo. Atual campeão, […]

05/03/2021