Cacoal/RO, 3 de março de 2024 – 18:10
Search
Search
3 de março de 2024 – 18:10

Aprovado projeto do SENAI-RO e SEDEC para desenvolver cadeia produtiva de H2V

Em uma colaboração inédita, Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI-RO) e o Governo do Estado de Rondônia, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Econômico (SEDEC), lançaram o projeto “Realização de Roadmap para o Desenvolvimento da Cadeia Produtiva de Hidrogênio Verde (H2V) em Rondônia”. Sob a coordenação técnica do gerente de Soluções em Tecnologia e Inovação do SENAI, José Rafael Lopes, a iniciativa visa fortalecer a conexão entre governo, academia e setor produtivo, impulsionando o desenvolvimento sustentável e identificando oportunidades de investimento no segmento de H2V.

De acordo com Lopes, o projeto aprovado em dezembro de 2023, tem como objetivo mapear a cadeia produtiva de hidrogênio verde, fomentar a inovação, promover a competitividade e incrementar o desenvolvimento sustentável, destacando Rondônia como referência na produção de H2V. A parceria também busca fortalecer o ambiente regulatório, promover a governança colaborativa e desenvolver uma plataforma tecnológica para suporte à tomada de decisão, consolidando um compromisso em direção a um futuro mais sustentável.

“O Brasil assumiu novas metas de descarbonização, comprometendo-se a reduzir as emissões em 50% até 2030 e atingir a neutralidade de carbono até 2050, o que exige que todas as emissões sejam compensadas por meio de fontes de captura de carbono, como o plantio de florestas, recuperação de biomas e outras tecnologias inovadoras”, explicou Lopes.

Rondônia possui uma capacidade instalada significativa de geração de energia, atingindo 8,3 GW, o que o posiciona logo atrás de estados como São Paulo, Pará, Paraná, Minas Gerais, Bahia, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro. Embora a capacidade de energia solar atual seja de aproximadamente 2,3 MW, esse segmento está em ascensão no estado, atraindo novos investidores, especialmente devido à possibilidade de instalação de placas solares fotovoltaicas nas áreas de Usinas hidrelétricas (UHEs), Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) e Centrais Geradoras Hidrelétricas (CGHs).

Como existe essa oferta de geradoras de energia por meio de hidrelétricas, o Estado, pretende se colocar na vanguarda do tema de transição energética e geração de energia limpa dentre os Estados da Amazônia Ocidental. “Dessa forma, pretendemos desenvolver estratégias em conjunto e aproveitar a capacidade instalada na região, aliado ao avanço tecnológico para a produção de amônia utilizando H2V, elevando Rondônia num status avançado de descarbonização na região da Amazônia Ocidental”, afirma o gerente de STI do SENAI-RO.

Imprensa/FIERO

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Facebook
WhatsApp