Rondônia, 18 de julho de 2024 – 16:15
Search
Anuncie aqui
Search
18 de julho de 2024 – 16:15

Aldeias Roosevelt sofrem ataques de morcegos, afirma Vigilância Sanitária

Anuncie aqui

Nos meses de novembro e dezembro de 2021 foram registrados ataques de morcegos hematófagos a indígenas na região de aldeias do Rio Roosevelt em Espigão Do Oeste. Ao todo, 6 (seis) pessoas foram sangradas por morcegos em espaço de poucos dias entre novembro e dezembro. O DISEI Casai de Cacoal recebeu a comunicação dos indígenas no dia 1º de dezembro e repassou para a zoonoses e a Regional de Saúde.

Entre os dias 18 e 23 de dezembro foram formadas equipes dos respectivos órgãos coordenadas geral pela AGEVISA, II Gerência de Regional de saúde – SESAU-RO, DISEI CASAI e Zoonoses de Cacoal que desenvolveram no local dos fatos um trabalho de captura e identificação, sendo possível capturar vários morcegos, dentre eles 11 (onze) morcegos hematófagos da família Desmodus Rotundus responsável pela transmissão da raiva, e 04 morcegos da família frugívoros.

Com as capturas tendo sido executadas com sucesso em pontos estratégicos específicos, os relatos foram comprovados de que as ações dos morcegos se davam em ataques a galinhas, porcos e demais animais de propriedade doméstica, e esporadicamente os ataques passaram a ser contra os indígenas.
Os morcegos capturados eram todos de idade adulta, sendo que um deles teria idade estimada em três meses. Todos os 11 (onze) animais hematófagos capturados foram submetidos a aplicação de uma pasta de produto específico vampiricida para controle e diminuição de sua população e consequentemente na tentativa de cessar os ataques contra humanos.

Tanto morcegos quanto os indígenas foram submetidos a exames e testes, não sendo diagnosticado qualquer indício da raiva. Os indígenas foram tratados por equipes de saúde e seguem em acompanhamento.

É importante esclarecer que o trabalho da Zoonoses trata da interdependência das saúdes humana, animal e ambiental e visa o controle de infecções causadas por patógenos que podem contaminar também os seres humanos.

Apesar disso, muitas vezes os técnicos da Zoonoses são confrontados sobre problema de abandonos e maus tratos de animais, mas essa é uma questão de responsabilidade de maus seres humanos e que devem ser tratados no âmbito criminal por se tratar de um crime previsto em lei.
Em síntese, Zoonoses não é um serviço de carrocinha, para recolher animais abandonados. Esse acolhimento geralmente é feito por entidades sem fins lucrativos que se dedicam a esses cuidados. No caso de animais que prejudiquem o trânsito de pessoas ou veículos, o recolhimento deve ser feito diretamente pela SEMMTRAN ou SEMMA.

Assessoria de Comunicação SEMUSA
Fonte: Zoonoses Cacoal

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Facebook
WhatsApp