Anuncie aqui
Anuncie aqui

Boca Maldita de 07 de fevereiro de 2020

PSL x BOLSONARO. Poucos dias atrás, aconteceu em Porto Velho um encontro de simpatizantes e seguidores do presidente Jair Bolsonaro. A finalidade da reunião era organizar a coleta de assinaturas para criar o partido Aliança pelo Brasil que vai abrigar o Presidente da República. O encontro na capital rondoniense contou com a participação de dezenas de pessoas do interior do estado. O governador Marcos Rocha, estranhamente, não participou do encontro do Aliança e não autorizou a participação de nenhuma pessoa de sua assessoria, deixando a impressão de que está contra a fundação do partido do presidente. A ausência do governador no evento causou muita estranheza principalmente porque ele foi eleito justamente pela Onda Bolsonaro.

ALIANÇA OU DIVÓRCIO. Neste sábado, 08 de fevereiro, está marcado um novo encontro da Aliança. Desta vez, o evento acontecerá em Cacoal e tem como finalidade começar a coleta de assinaturas no município. O ex-vereador Celso Adame participou da campanha presidencial de Jair Bolsonaro e hoje é Secretário Regional do governo Marcos Rocha. Como o governador não autorizou a participação de seus assessores no encontro realizado na capital do estado, resta saber se ele vai autorizar o Celso Adame a participar do evento em Cacoal. Por mensagens privadas em redes sociais, o ex-vereador garantiu a amigos que participará do encontro do Aliança. Neste caso, o governador do estado estará sendo contrariado. Nos bastidores, há quem diga que Celso Adame pode ser exonerado do cargo de Secretário Regional. Será???

VILA OLÍMPICA. A polêmica envolvendo a doação do terreno onde seria construída a segunda etapa da Vila Olímpica preocupou a assessoria da deputada federal Jaqueline Cassol. A preocupação surgiu do fato de que Jaqueline Cassol é autora da emenda parlamentar, no valor de 10 milhões de reais, que foi destinada para construir o Complexo Operacional da Polícia Civil em Cacoal. Algumas pessoas chegaram a sugerir para a deputada que ela orientasse a administração municipal a rever a decisão que doou para o estado a área em questão. Entretanto, para que se faça justiça, Jaqueline Cassol é autora da emenda parlamentar, mas ela não tem nada a ver com a doação do terreno. O procedimento de doação da área envolve apenas a prefeita Glaucione Rodrigues e a Câmara de vereadores de Cacoal. Dezenas de leitores de TP enviaram emails e mensagens nas redes sociais, afirmando que a Prefeitura e a Câmara deveriam escolher outro local para construir o Complexo Operacional da Polícia Civil. E entre todas as mensagens, havia quem perguntava: Por qual motivo prefeita e vereadores fizeram questão de acabar com o projeto Vila Olímpica para atender a Polícia Civil?

POLÍCIA E ESPORTE. Em contato com nossa redação, a assessoria da prefeita Glaucione Rodrigues prometeu enviar uma nota oficial para esclarecer as razões pelas quais optou pela doação do terreno que faz parte da Vila Olímpica, porém, pouco antes do fechamento da edição, a nota chegou. Está na página três desta edição. O Secretário de Planejamento da Prefeitura de Cacoal concedeu uma entrevista a uma emissora de televisão e chegou a insinuar que podem existir outros locais para construir a Vila Olímpica. Vale ressaltar que a primeira etapa do complexo esportivo já foi construída pelo ex-prefeito e o projeto previa a sequência da Vila Olímpica no mesmo terreno. Convenhamos, seria muito mais lógico encontrar outro local para construir o Complexo Operacional da Polícia Civil, já que o projeto ainda não foi encaminhado a Brasília e deixar a Vila Olímpica do jeito que está para que uma próxima administração e os novos vereadores, tenham mais vontade e arrojo para fazer o projeto andar, etapa por etapa e que no futuro, Cacoal se orgulhe de ter a Vila Olímpica.

M ESCOLA MILITARIZADA. Uma decisão do governador Marcos Rocha definiu que a escola Aurélio Buarque de Holanda, localizada no bairro Teixeirão, em Cacoal será transformada em escola militarizada. Certamente esta decisão vai criar uma nova polêmica em Cacoal, uma vez que este tipo de situação precisa acontecer após uma discussão com a comunidade, para que sejam atendidos os interesses da comunidade e não as conveniências políticas ou eleitorais do governo. Diversos profissionais da educação lotados em Cacoal discordam da implantação de escolas militarizadas sem que haja uma discussão com a comunidade envolvida. Dizem que é necessário esclarecer que, em Rondônia, embora as escolas militarizadas sejam escolas públicas, não é fácil para famílias de baixa renda manter um filho nesse tipo de instituição. Apenas para citar um exemplo, dizem que o uniforme das escolas militarizadas custa cerca de 250 reais e pela rotina dos alunos não é possível ter apenas um uniforme, já que, entre as normas, os alunos precisam estar permanentemente com o uniforme limpinho. Explicam que não se deve esquecer que diversas famílias da escola Aurélio Buarque possuem mais de um filho matriculado.

POMBOS NAS ESCOLAS. As autoridades competentes precisam tomar uma medida urgentemente para resolver um grande problema que vem sendo enfrentado por diversas escolas públicas em Cacoal. O problema é que existem nas escolas uma grande quantidade de pombos que comprometem a situação de saúde nas escolas. Como é sabido, os pombos podem provocar uma série de doenças e isto precisa ser analisado com carinho e com muita responsabilidade. Está na hora de a Vigilância Sanitária de Cacoal fazer uma visita nas escolas municipais e estaduais de Cacoal e tomar uma medida que realmente resolva a problemática. Não é possível continuar da maneira como está, porque está em jogo a saúde dos alunos, dos professores, funcionários e de todas as pessoas que frequentam as escolas.

EDUCAÇÃO INFANTIL. A população de Cacoal necessita, urgentemente, cobrar do poder público municipal a construção de pelo menos duas ou três creches. A situação está insustentável!!! Atualmente o município dispõe apenas de cerca 150 vagas em creches municipais. Esse número é insignificante, porque uma cidade com mais de 100 mil habitantes não possui somente 150 crianças em idade para creches. Não é possível que as autoridades não saibam disso. É alarmante o número de famílias que necessitam trabalhar e precisam deixar as crianças em lugar seguro. Poucos dias atrás, os vereadores fizeram um barulho danado, afirmando que os alunos não podem estudar sem que a prefeitura distribua uniformes. Claro que os uniformes são importantes e os alunos têm direito. Mas ter vagas em creches é uma prioridade muito maior, porque as famílias precisam trabalhar. Nem todas as famílias possuem condições para pagar creches particulares. As crianças e as famílias merecem respeito.

PÂNICO EM VILHENA. O município de Vilhena já foi considerado um dos municípios mais procurados de Rondônia para viver, em função da grande qualidade de vida. Entretanto, a realidade hoje é muito diferente, porque o alto número de homicídios ocorridos na cidade tem causado pânico na população. Não dá para entender por que a cidade com o maior número de evangélicos do estado tenha esses indicadores. A secretaria de segurança pública de Rondônia precisa fazer um estudo detalhado sobre esta situação e buscar uma solução. É lamentável que isto aconteça em cidade tão importante como Vilhena.

FÉRIAS DOS VEREADORES. Algumas pessoas chegaram a imaginar que nossos vereadores teriam a primeira sessão ordinária do ano na última segunda-feira. Um grande engano!!! Ao contrário de muitos municípios brasileiros, os vereadores de Cacoal têm direito a quase 100 dias de férias, enquanto a legislação estabelece que o recesso parlamentar deve ter, no máximo, 55 dias. Isto significa que nossos queridos vereadores têm o dobro de dias de recesso. É curioso observar que os deputados e senadores, tão criticados pelo eleitor brasileiro, cumprem somente os 55 dias de recesso que determina a legislação brasileira. Por que os vereadores não tentam fazer esse sacrifício??? “Coitados! Trabalham demais!”, alguém ironizava por aqui.

ELES VÃO RETOMAR O TRABALHO NO DIA 17. E a população que gosta do esporte espera que a retomada dos trabalhos pelos vereadores em Cacoal, dia 17, seja de grande valia com a adoção da idéia de rever a doação do terreno da Vila Olímpica. A Polícia Civil merece um terreno até mais bem localizado do que aquele que será retirado do grande projeto da Vila Olímpica. Um terreno que é sugerido, por ficar até junto à Promotoria, bem centralizado é aquele que abrigou primeiramente aquilo que seria ou foi o mercado Municipal, depois foi lugar da Semast e por muitos e muitos anos está ali, servindo só para morcegos e outros indesejáveis habitantes, além, claro, de ajudar a deixar a cidade mais feia. Pensem nisso, vereadores e prefeita. Aquela grande esquina na Guaporé com a Luther King, se o terreno não for do tamanho que é necessário, pensem na possibilidade de verticalizar a edificação. Evitemos possível manifestação contra a doação do terreno da Vila Olímpica, já sendo pensada por muitos.

O GEAN CRISTIAN, em Cacoal desde 2009, esposo da Jaqueline Messias, técnico em telefonia na empresa Senhor Smart na Avenida Porto Velho, 2432, ao lado do bar do Barba, também lê TRIBUNA POPULAR e tribunapopular.com.br

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp