Rondônia, 22 de julho de 2024 – 06:39
Search
Anuncie aqui
Search
22 de julho de 2024 – 06:39

Coluna BOCA MALDITA: CARONA POLÍTICA

Anuncie aqui

DEMISSÕES NA SAÚDE

Esta semana, o governo de Rondônia exonerou mais de 500 profissionais do setor de saúde. O governo alega que, em virtude da queda acentuada de casos de covid-19 no estado, não existe a necessidade de manter as contratações emergenciais que foram feitas para atender as demandas. Médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas e outros profissionais constam na lista de demitidos e não há nenhuma previsão de serem recontratados. Claro que lamentamos o alto número de exonerações, mas considerando a razão pela qual elas acontecem, podemos afirmar que em relação à pandemia, a situação em Rondônia ficou mais tranquila. Conforme a avaliação de pesquisadores, esta queda no número de internações e óbitos acontece porque a vacinação tem caminhado no estado e, embora muitas pessoas ainda não tenham tomado a segunda dose do imunizante, os números são animadores. Esperamos que outras doses de vacinas cheguem ao estado, para que sejam vacinadas as pessoas que por alguma razão estão sem vacina.

VISITA DO GOVERNADOR

O governador Marcos Rocha esteve em Cacoal, na semana. Na ocasião, ele anunciou que trouxe para o município 10 km de recapeamento para a recuperação de ruas e avenidas da cidade. O vereador EdimarKapiche não gostou da conversa e criticou duramente a situação, dizendo que com essa oferta do governo praticamente nada poderá ser feito em diversos setores da cidade, visto que com 10 km pouca coisa será feita, deixando a sensação de que a maioria da população ficou sem ter sua rua atendida, em função da escassez de serviços do governo oferecidos. A reclamação do vereador faz sentido, porque setores como saúde e educação também precisam de investimentos em Cacoal, mas em seu discurso o governador não tratou desses temas. Na realidade, o coronel Marcos Rocha teria prometido a um dos vereadores que pretende devolver para o sistema municipal de saúde os servidores municipais da saúde de Cacoal que foram cedidos ao governo do estado e atuam no HEURO e Hospital Regional de Cacoal. Segundo a análise do governador, a devolução desses servidores pode melhorar muito o atendimento na rede municipal.

CRISTIANE LOPES

Falando em governador de Rondônia, recentemente o coronel Marcos Rocha nomeou para o cargo de secretária-adjunta da educação estadual a ex-vereadora de Porto-Velho Cristiane Lopes.  Até agora, muitas pessoas simplesmente não entenderam a dedicação do governador, porque Rondônia possui milhares de professores com currículos excelentes e ele escolheu para uma pasta tão técnica a ex-candidata a prefeita da capital do estado. Não estamos desprestigiando Cristiane Lopes, mas ela não possui nenhuma formação na área de educação e nada tem a ver com este setor. A ex-vereadora de Porto – Velho pode até conhecer da arte de trabalhar em televisão, apresentando programas que apelam para o coração da comunidade e até mesmo programas policiais, mas a educação nunca foi a área de atuação dela. Nas redes sociais, milhares de pessoas fizeram duras críticas ao governador pela nomeação e disseram que o único critério que ele usou foi o critério eleitoral. Uma nomeação desse porte apenas para cumprir uma finalidade eleitoral tem tudo para causar muitos prejuízos ao setor de educação, principalmente porque, depois desta pandemia, muita coisa precisará ser feita.

CARONA POLÍTICA

A cidade inteira de Cacoal sabe que o vereador Luís Fritz faz parte do grupo de vereadores que fazem de tudo para agradar o prefeito Adailton Fúria, mas isso não para por aí. O vereador tem usado a proximidade política com o prefeito para mandar e desmandar em vários órgãos da Administração Municipal. Assessores muito próximos do prefeito têm reclamado que Fritz tenta pagar carona política em todas as ações da prefeitura, conduta que segundo os assessores do prefeito causa muita irritação nos servidores de carreira que fazem seu trabalho corretamente em todas as secretarias. Pelas informações que temos, o vereador coloca sua esposa para dar plantão em órgãos municipais, como se fosse uma espécie de gerente das ações. A maior vítima dessa situação seria o GRAS, local onde a esposa do vereador costuma ficar por muito tempo. Mesmo sem possuir nenhum vínculo com a administração, ela age como se tivesse fazendo as ações sociais em nome de seu esposo, fato que pode inclusive ser interpretado como uso da máquina pública para fins políticos. Não há nenhum mal no fato de esposas de vereadores visitarem órgãos da administração municipal, mas tentar tirar proveito político das ações da administração não é recomendável para os agentes políticos. Autoridades que atuam no setor de fiscalização, estão de olho na esposa do vereador Fritz e na interferência dela sobre trabalhos sociais do município.

TEORIA DA CONSPIRAÇÃO

O vereador Magnison Mota colocou na cabeça a ideia de que um grupo de esquerda não deixa o prefeito Adailton Fúria trabalhar. Essa ideia não faz o menor sentido, porque Cacoal não tem nenhum vereador da esquerda e o prefeito Fúria nunca teve sua administração incomodada por nenhum vereador. Dentro da Câmara de Cacoal, é natural o prefeito ter suas matérias aprovadas por unanimidade, sem que haja nenhuma discussão. Desde o mês de janeiro, até hoje, nenhum dos vereadores se colocou contra nenhum projeto da prefeitura. Mesmo assim, em todas as sessões, o vereador Magnison usa todo o seu tempo de tribuna para atacar as pessoas que, segundo ele, não deixam o prefeito trabalhar. O vereador alega que, mesmo tendo forte oposição, o prefeito arruma estradas e pontes. Certamente o vereador não sabe, mas para a secretaria de obras ou de agricultura construírem pontes e fazerem a manutenção das estradas vicinais, não precisa votar nada dentro da Casa Leis. Basta ir lá e fazer o trabalho. É possível que o prefeito Fúria nem precise de tanto paparico, mas o vereador Magnison não passa uma sessão sem fazer longos discursos enaltecendo a figura do prefeito. Vereadores que acompanham a movimentação dentro da câmara afirmam que a veneração é planejada para ganhar espaço e valorizar o passe, além de pedir cargos e outras benesses. O excesso de zelo do vereador vai tão longe a ponto de afirmar que existe um grupo político muito forte que conspira contra o prefeito.

ELEIÇÃO DA MESA

A eleição para os membros da Mesa Diretora da Câmara de Cacoal pode ser mais uma situação que acusará conflitos entre vereadores controlados pela prefeitura e os vereadores ditos independentes. Esta semana, a proposta de mudar a data para o fim do primeiro biênio esteve na pauta de discussões, mas foi retirada para que fosse reavaliada por um dos vereadores. Vários vereadores que assinaram o documento pedindo que a data mudasse para o fim da gestão atual estão sendo pressionados pelo prefeito para mudar de lado. O candidato do prefeito é o vereador Luís Fritz, mas isso criou um clima bem delicado dentro da Casa de Leis. Essa situação toda mostra a falta de independência da Câmara de Cacoal, porque até a eleição dos membros da Mesa Diretora é controlada pelo prefeito. Um dos vereadores ligados ao prefeito está muito magoado pelo fato de não ser o escolhido pela administração e afirma que muitos cargos estão sendo oferecidos pelo prefeito Adailton Fúria para os vereadores que votarem para fazer a eleição ainda este ano e votarem no vereador Fritz. Na prática, os vereadores eleitos para fazer diferente e para moralizar as coisas estão agindo com uma conduta muito pior do que os vereadores do passado, que eram acusados de se vender para a administração.

FUTUROS CANDIDATOS

O ano da eleição será 2022, mas nos bastidores, diversos candidatos aos cargos que estarão em disputa já buscam apoiadores para suas eventuais candidaturas. Até o presente momento, surgiram diversos pretensos candidatos a deputados estaduais e federais, mas nada ainda muito sólido. Entre os pretendentes ao cargo de deputado estadual, estão o vice-prefeito Cássio Goes, o presidente da Câmara de Cacoal, João Pichek, o vereador Edimar Kapipche, o advogado e jornalista Luiz Paulo, o atual deputado Elcirone p-çeiró, a ex-prefeita Glaucione Rodrigues Neri e outros nomes. Entre os nomes citados nos bastidores como pretendentes ao cargo de deputado federal, estão os vereadores Paulinho do Cinema, Zivan Almeida e Magnison Mota. Logicamente que esta lista sofrerá muitas alterações, até o período das convenções e principalmente após as convenções, porque alguns desses nomes acabam deixando de lado a vontade de entrar na disputa. Entretanto, existe também a possibilidade de surgirem nomes diferentes desses que apresentamos aqui na coluna e, quando isto acontecer, levaremos ao conhecimento de nosso leitores. Em publicações futuras, faremos comentários sobre as possibilidades desses e de outros nomes na disputa do próximo ano.

PLANTÃO DE FARMÁCIAS

O vereador Zivan Almeida tem feito um excelente trabalho com a finalidade de organizar os plantões de farmácias em Cacoal. A preocupação do vereador nasce do fato de que muitas pessoas procuraram a Câmara de Cacoal para dizer que muitas vezes ficam horas na cidade procurando a farmácia de plantão sem sucesso. Isto acontece, porque existem algumas farmácias que mesmo estando de plantão não atendem, principalmente no período noturno. Essa situação causa profundo desespero em muitas famílias, porque as pessoas fazem de tudo para salvar vidas de seus parentes e não é raro encontram dificuldades no serviço de atendimento de algumas farmácias. Claro que a maioria faz o possível para atender de modo satisfatório. A ideia do vereador Zivan é cadastrar as empresas que ainda não estão cadastradas, rediscutir o mapeamento da cidade, organizar os plantões e criar mecanismos para que o atendimento seja eficaz. Nos próximos dias, uma reunião envolvendo todos os donos de farmácias e autoridades municipais será organizada pelo vereador e os proprietários de farmácias precisam participar e colocar suas dificuldades. Somente assim será possível reorganizar os plantões.

DISTRITO ABANDONADO

A comunidade do distrito de Divinópolis não gostou nem um pouco da visita do governador de Rondônia a Cacoal. O problema é que, há meses, diversas lideranças do distrito entregaram para vereadores, deputados, senadores, prefeito e assessores do governo de Rondônia documentos cobrando diversas demandas de Divinópolis e reclamando do abandono. Curiosamente nenhuma resposta foi dada e, durante a visita do governador, foram anunciados alguns benefícios, mas nada tem a ver com Divinópolis. Algumas lideranças do distrito entraram em contato com a coluna e disseram que cobraram do deputado Elcirone Deiró alguma resposta sobre as reivindicações da comunidade do Divinópolis, mas que não receberam nenhuma resposta até este momento. As autoridades municipais e estaduais precisam ter algum respeito pelo distrito de Divinópolis, porque passar por lá somente em períodos eleitorais já não resolve muita coisa. O Riozinho também sofre com a falta de ações em prol da população, mas algumas coisas acontecem no Riozinho, principalmente depois que aquela comunidade resolveu eleger um vereador do local . No caso de Divinópolis, faz tempo que a população cobra, reclama grita e ninguém ouve as reivindicações. O distrito está abandonado. Quem sabe, na próxima eleição para vereadores,  Divinópolis escolha um nome como Riozinho escolheu.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Facebook
WhatsApp