Cacoal/RO, 20 de maio de 2024 – 08:59
Search
Search
20 de maio de 2024 – 08:59

Coluna Boca Maldita – OPERAÇÃO DETALHES

 

DIA DAS MÃES

Neste domingo, 12 de maio, é o Dia das Mães. Certamente esta é uma data das mais comemoradas no país e as homenagens são sempre muito merecidas, porque as mães representam as pessoas que possuem a capacidade de gerar vidas e a vida é o maior bem da humanidade. Por esta razão, a coluna registra todas as homenagens às mães brasileiras, com destaque para as mães rondonienses. Para que não cometamos nenhuma injustiça citando especificamente as mães de determinado segmento da sociedade, registramos nossos cumprimentos e parabéns para todas as mães, desejando que elas tenham saúde e a inigualável capacidade de amar seus filhos indistintamente. Aliás, a tarefa das mães brasileiras não é muito fácil, porque vivemos num país com muitas injustiças sociais e muita desigualdade. Somente uma pessoa com o dom de gerar vidas é capaz de oferecer tanto amor, afeto e compreensão, buscando diariamente o bem-estar de seus filhos. A falta de amor, carinho, afeto e compreensão em muitos setores da sociedade acontece exatamente pela ausência de mulheres, porque elas sabem dedicar o amor de verdade e sem limites. Parabéns a todas a mães e que Deus ilumine todas elas!!

 

REVOLTA DOS FEIRANTES

Na última quarta-feira, uma nova polêmica surgiu em Cacoal. Os feirantes que trabalham na rua Marechal Rondon reclamaram que o pessoal da SEMTTRAN estava no local aplicando multas nos proprietários de veículos que utilizam seus carros e motos para trabalhar no transporte de produtos que são comercializados na feira. Diversos vídeos circularam nas redes sociais mostrando que realmente havia a presença de agentes da secretaria de trânsito no local. Questionadas, as autoridades políticas e administrativas afirmaram que não se travava de multar os feirantes, mas de desobstruir a via para que o trânsito não fosse interrompido. Esses problemas acontecem, porque não existe na atual administração uma política de informação. A SEMTTRAN, na maioria das vezes, atua de maneira repressiva, o que pode causar a irritação dos proprietários de veículos. Porém, não há como colocar a culpa nos agentes que trabalham nas ruas, porque isso depende de planejamento e organização da secretaria. No caso da feira, não dá para dizer que se trata de uma aglomeração aleatória, porque é uma atividade tradicional que acontece há muito tempo no mesmo lugar. Neste caso, a SEMTTRAN deveria fazer uma campanha educativa e orientar os feirantes e demais condutores sobre as normas de tráfego nos dias de feira. Qualquer ação de improviso realmente causa muita confusão e isso cria muitos transtornos.

 

EDUCAÇÃO NO TRÂNSITO

A realidade do trânsito em Cacoal é bem complicada e todas as pessoas que vivem na cidade sabem disso. Entretanto, é preciso haver critérios de organização para a abordagem de pessoas. A educação no trânsito é algo que pode ser conseguido facilmente, mas é necessário que haja campanha educativas, informações técnicas e ações planejadas. Em diversos outros locais da cidade, é comum ver pessoas que ingerem bebidas alcóolicas e praticam diversas infrações. Essas pessoas, sim, devem ser penalizadas sem aviso prévio e de maneira improvisada. No caso das feiras, é possível organizar, planejar e orientar os feirantes de demais pessoas que circulam nas proximidades, mas essas ações não devem ser de responsabilidades dos agentes, porque eles estão nas ruas para cumprir seu trabalho e cumprem determinações legais. Quem precisa ser cobradas são as autoridades do município, entre elas o prefeito, a secretária de trânsito e transporte e outras. Uma coisa é fazer ações de fiscalização no trânsito nos feriados e fins de semana, quando muitas pessoas exageram no consumo de álcool e praticam infrações no trânsito. Outra coisa é agir de modo desproporcional em relação aos trabalhadores. As declarações de autoridades, depois que os problemas acontecem geram apenas irritação na população. A SEMTTRAN precisa dar aos agentes de trânsito o apoio e condições necessárias de trabalho e isso se faz com planejamento.

 

DISCURSOS DE ÓDIO

O vereador Magnison Mota pode ter, nos próximos dias, um problema com os partidos que formam a frente de esquerda em Cacoal. A situação ganhou um clima de conflito, porque o vereador adotou a mania de fazer duros ataques contra a esquerda, sem que haja nenhuma razão para as declarações de ódio. Primeiro, é necessário esclarecer que os vereadores possuem a liberdade para expor suas opiniões sobre temas diversos, quando fazem uso da tribuna da Casa de Leis, mas isso tem um limite legal, quando esbarra em condutas que a lei considera ilícitas. As declarações de ódio, ofensas e acusações levianas não podem ser consideradas como a liberdade de exercer o mandato e falar bobagens sem limite. A própria legislação eleitoral prevê diversas punições para quem pratica ataques contra partidos políticos. Então, caso siga sua tática de praticar agressões infundadas sobre os partidos da esquerda, o vereador pode enfrentar problemas que podem ser evitados, caso ele cuide do seu mandato e deixe de lado as declarações de ódio. Poucos dias atrás, alguns partidos de esquerda com sede em Cacoal realizaram uma reunião para avaliar as possíveis ações sobre o fato. Os vereadores precisam acordar e perceber que há muitas coisas importantes e necessárias a serem faladas sobre a cidade. Esses ataques de ódio contra quem quer que seja não servem para resolver os problemas da cidade.

CAMPANHA EQUIVOCADA

E não é a primeira vez que o vereador Magnison pratica conduta que disseminam o ódio. Pouco tempo atrás, ele fez diversas declarações de ódio contra as religiões de matrizes africanas existentes no Brasil e no município de Cacoal. Após as reações de lideranças que representam as religiões de matriz africanas em Cacoal, o vereador usou a tribuna para se desculpar e dizer que procuraria conviver em harmonia com as diferentes religiões da cidade. Esses discursos de ódio não ficam bem para um político que foi eleito falando em Deus, que se declara muito religioso e que se diz representante de determinada religião na Câmara de Cacoal. Todas as pessoas possuem a liberdade de praticar a religião que quiserem, ser filiadas aos partidos que escolhem e viver em harmonia. Os vereadores são eleitos para representar a população e para terem uma conduta de respeito em relação a todas as crenças. Além disso, nenhum vereador possui legitimidade para determinar qual religião ou partido as pessoas devem seguir. Cabe aos vereadores fiscalizar os atos da administração municipal, verificar como está o atendimento ao público nas unidades de saúde, cuidar da educação e do bem-estar da população. Claro que o período de campanha se aproxima e aqueles vereadores que não produziram nada durante o mandato podem tentar se aproveitar dos discursos de ódio para tentar ganhar votos, mas os eleitores também não aprovam essa conduta. A estratégia do vereador pode criar muito mais dificuldades para suas pretensões de reeleição.

MATERNO INFANTIL

A secretaria municipal de saúde precisa encontrar uma maneira adequada para transportar os alimentos que são distribuídos no Hospital Materno Infantil. Esta semana, alguns servidores da unidade foram filmados transportando uma grande quantidade de marmitas em caixas de isopor que acabam ficando muito pesadas pela quantidade de alimentos. O Hospital Materno Infantil deveria ter um carrinho para transportar as caixas de marmitas, já que o trajeto é longo e exige uma condição melhor de transporte. Esta sim é uma situação que deveria ser vista pelos vereadores, mas eles fingem que não sabem de nada. Sempre que alguém reclama de alguma situação relacionada com o Materno Infantil, vários vereadores aparecem para dizer que é o melhor hospital infantil do estado e que seus filhos são atendidos na unidade. Não dá para entender como é que uma unidade hospitalar é considerada a melhor do estado e não tem uma maneira adequada para transportar os alimentos que são distribuídos aos pacientes. Não se pode negar que as instalações internas do prédio foram melhoradas na atual administração, mas muita coisa ainda precisa ser feita, para que se tenha o mínimo necessário para a comodidade dos pacientes e para as melhores condições de trabalho dos servidores municipais que atuam na unidade. Será que nossos vereadores não percebem isso?

 

OPERAÇÃO DETALHES

Essa semana, o mundo político de Cacoal voltou a comentar sobre a ação judicial que tramita no Tribunal de Justiça de Rondônia, em relação à Operação Detalhes, ocorrida durante a gestão do ex-prefeito Franco Vialeto. Fala-se de uma possível sentença que teria sido proferida pelo Tribunal de Justiça do estado em desfavor dos acusados. Entretanto, ainda não houve a publicação de nenhum acórdão sobre o assunto e muitas especulações passaram a acontecer no município. É necessário esclarecer que somente a publicação do acórdão será possível obter as informações oficiais sobre o fato e que os advogados dos acusados acompanham de perto a situação. Muita gente chegou a falar até mesmo em cassação do mandato do atual presidente da Câmara Municipal, em consequência da decisão comentada, mas são apenas especulações, já que qualquer decisão neste momento será passível de recurso no próprio Tribunal de Justiça de Rondônia e posteriormente no Superior Tribunal de Justiça. Neste sentido, existe a possibilidade de haver reformas na decisão e até mesmo nulidades que devem ser alegadas pelos advogados que atuam na ação, visto que se trata de uma ação complexa e muito questionada por todos os advogados que possuem clientes na ação. O mais prudente, neste momento, é esperar os acontecimentos e não precipitar opiniões, porque uma ação com milhares de páginas, como é o caso, não deixa margem para decisões precipitadas e especulações.

 

OFERTA DE PRÊMIO

O vereador Valdomiro Corá, presidente da Câmara de Cacoal, gravou um áudio que circula nas redes sociais no qual ele desafia qualquer pessoa a apresentar provas que ele tenha participação em algum ato de desvio de recursos do município na ação judicial que trata da Operação Detalhes. No áudio, o vereador oferece um carro zero quilômetro para quem apresentar provas de sua participação nos atos denunciados na época. Corazinho lembrou, no mesmo áudio que, na atual administração, houve desvios de milhares de reais em combustíveis de diversas secretarias e que a ação de investigação está em andamento. Os fatos e boatos divulgados atualmente sobre a Operação Detalhe também possuem relação com o momento político do município, já que a partir de agosto começam as campanhas eleitorais mais as eleições de outubro. Na prática, qualquer afirmação hoje sobre a ação judicial em curso, relacionada com a Operação Detalhes pode não se confirmar no futuro, porque existe a possibilidade de absolvição de muitas pessoas que tiveram os nomes citados na ação. Na decisão de primeira instância, diversas pessoas já foram absolvidas justamente porque nenhuma prova de participação delas nos atos foi apresentada. Em possíveis recursos a serem apresentados durante a tramitação da ação, é possível que outras pessoas sejam absolvidas, porque os advogados que trabalham no caso veem diversas falhas no processo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Facebook
WhatsApp