Rondônia, 18 de julho de 2024 – 15:44
Search
Anuncie aqui
Search
18 de julho de 2024 – 15:44

Delegado Camargo denuncia projeto de vingança da esquerda contra produtores de Rondônia

Anuncie aqui

Deputado defende os produtores rurais contra as ações da esquerda que tentam inviabilizar a produção Rural em Rondônia com moratória, multas e embargos

Ao participar da sessão itinerante extraordinária da Assembleia Legislativa, na tarde de quinta-feira, 05, no município de Buritis, o deputado Delegado Camargo apresentou um relatório, denunciando uma perseguição por parte do governo federal contra os produtores rurais de Rondônia e de todo o bioma amazônico. O parlamentar abordou o processo de moratória da soja em Rondônia, que proíbe a aquisição do grão produzido em áreas consideradas de desmatamento posterior a 2008, que inviabiliza o cultivo em todo o estado.

De acordo com Camargo, esta é mais uma etapa do projeto de vingança dos governos de esquerda para atingir os produtores rurais, assim como fizeram com a produção de carne. “É o mesmo modelo do embargo da carne, que atingiu centenas de propriedades em Rondônia, onde propriedades rurais foram embargadas pelo governo federal e os produtores não conseguem vender a proteína animal produzida, muitas vezes, em propriedades que já tem título de terra e que de um dia para outro foram embargadas”, disse.

Camargo fez ainda um alerta que esta política de perseguição não vai ficar apenas com os produtores rurais. “Isso que atinge os nossos pequenos, médios e grandes produtores rurais com esses embargos ou moratória, é só o início do plano deste governo de esquerda. Em breve teremos ações contra a mineração e outras atividades econômicas, que nos ajudam no desenvolvimento da nossa economia”, alertou.

“Este acordo que prevê o não financiamento e a proibição de compra de tudo o que for produzido em áreas desmatadas antes de julho de 2008, foi assinado há mais 18 anos no governo petista, e estão executando somente agora, no novo desgoverno petista, porque eles têm um acordão, para com esse discurso de proteção ambiental, se vingar do produtor rural de todo o bioma amazônico”, apontou.

Ao apresentar dados e mapas sobre essa moratória da soja, as áreas embargadas, áreas de proteção ambiental estaduais e federais, e reservas indígenas em todo o estado de Rondônia, Camargo deixou claro que o plano do governo de esquerda é inviabilizar a Amazônia para entregar as riquezas aos interesses internacionais. “Para defender os interesses de ONGs internacionais, governos estrangeiros, eles estão fechando o cerco, obrigando o produtor rural a desistir, colocando dificuldades, aplicando multas milionárias e impagáveis, expulsando as famílias das suas terras, muitas  delas chegadas aqui até antes da década de 1970 a chamado do próprio governo, mas assim como este povo trabalhador, que desafia os próprios limites, enfrenta sol e chuva para garantir o alimento da sua família, do Brasil e do mundo, vamos seguir fortes e combatendo estas injustiças, porque desistir não é uma opção. Fora Lula”, finalizou Camargo, sob aplausos de todos os presentes.

Texto: Assessoria

Foto: Rafael Oliveira/Alero

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Facebook
WhatsApp