Cacoal/RO, 21 de junho de 2024 – 02:44
Search
Anuncie aqui
Search
21 de junho de 2024 – 02:44

DILEMA ELEITORAL – Boca Maldita – Coluna do dia 18.09.2020

Anuncie aqui
Boca Maldita 2

CONVENÇÕES PARTIDÁRIAS. Na última quarta-feira, terminou o prazo estabelecido pelo Tribunal Superior Eleitoral para os partidos realizarem as convenções partidárias para a escolha de candidatos a prefeito, vice-prefeito e vereadores. A partir de agora, os partidos terão 10 dias para solicitar ao Juízo Eleitoral os registros de candidaturas dos candidatos aprovados em convenções. Vale lembrar que a definição de candidaturas majoritárias pode sofrer alterações e isto significa após o dia 28 de setembro o cenário poderá ser outro. É importante lembrar aos candidatos aprovados em convenção que a propaganda eleitoral somente estará liberada nas redes sociais após o dia 27 de setembro. Antes disso, as publicações em redes sociais podem provocar punições aos candidatos ou eleitores que não cumprirem as leis.

CANDIDATOS A PREFEITOS. Após o prazo final para a escolha de candidatos, quatro nomes foram definidos pelos partidos ou coligações. O MDB confirmou a candidatura à reeleição da prefeita Glaucione Rodrigues; o PSD apresentou o deputado Adailton Fúria como candidato a prefeito e o professor Alex foi aprovado na convenção do DC. A outra candidatura aprovada em convecção foi a do vereador Mário Angelino Moreira, o Jabá Moreira, escolhido pelo PROS. Até o fechamento desta coluna, a prefeita Glaucione Rodrigues não tinha definido nenhum nome para compor sua chapa como vice-prefeito, mas assim que tivermos os detalhes, vamos informar nossos leitores. Muitas pessoas chegaram a pensar que o Dr. Marco Aurélio Vasques seria o vice na chapa com a prefeita, mas ele decidiu ficar fora da disputa em 2020. Caso fosse o vice na chapa da atual prefeita, Vasques poderia ser decisivo na eleição em Cacoal, mas a sua saída de cena também pode ser decisiva, porque muda completamente a configuração do cenário. Duas candidaturas difíceis de entender: Mario Moreira Jabá, um dos poucos vereadores que pode se eleger. Adailton Fúria: Eleito para ser deputado por quatro anos. O páreo é difícil, mas Cacoal pode perder um deputado.

ESCOLAS DO PASSADO. O deputado Adailton Fúria esteve na convenção do Republicanos e fez um duro discurso sobre a educação e as escolas de Cacoal. Segundo ele, as escolas municipais não mudaram nada, desde os tempos em que ele era criança e usava a bicicleta para ir à escola. Não sabemos qual a referência que ele utilizou para dizer que nada mudou, mas não podemos negar os fatos. Apesar de todos os problemas, os professores de Cacoal procuram se qualificar frequentemente e são dedicados ao trabalho. Com certeza, alguma coisa mudou nesses anos. Não sabemos quando foi a época em que o deputado Fúria frequentou as escolas municipais e nem sabemos que ele visitou essas escolas nos últimos dois anos, mas algumas coisas mudaram para melhor. Sobre a escola José de Almeida, por exemplo, o problema da reforma e tudo de errado que aconteceu no processo de licitação foi exatamente no período em que ele era vereador em Cacoal. 

DILEMA ELEITORAL. O processo de escolha do nome para compor a chapa de vice junto com a prefeita Glaucione Rodrigues certamente vai entrar para a história como uma das situações políticas mais complicadas que já aconteceram em eleições municipais de Cacoal. Começaram a complicar, quando surgiu a ideia de que ela seria candidata e deixaria o cargo, caso fosse eleita, para disputar outra eleição em 2022. Isso despertou a cobiça de muitos candidatos a vice que desejavam herdar a prefeitura. Pelo menos 20 nomes foram discutidos e sondados pelo grupo da prefeita, mas parece que ela acabará ficando com o nome que jamais foi cogitado durante todas as discussões. Pelas informações que temos, o senador Marcos Rogério do DEM teria dito que sua condição para apoiar a prefeita era ter na chapa o ex-vereador Rafael Evangelista. Claro que o ex-vereador é boa pessoa, mas a forma como as coisas foram conduzidas é muito esquisita. Precisamos saber o que é que o senador Marcos Rogério tem feito de bom para Cacoal para poder ter tanto poder de decisão.

COMEMORAÇÃO ANTECIPADA. Com a realização das convenções e com as definições de nomes para disputar a prefeitura de Cacoal, surgiram alguns aliados de candidatos que adotaram o clima do “já ganhou”. Esse tipo de pensamento não combina com pessoas que sabem avaliar um cenário eleitoral. A partir do momento em que as chapas forem oficializadas e saírem para as ruas, tudo pode mudar na eleição de Cacoal. Muita gente não lembra das eleições de 2012, quando a prefeita Glaucione aparecia em todas as pesquisas divulgadas com números que nunca foram menores do que 60% dos votos. Quando as urnas foram abertas, o ex-prefeito Francesco Vialeto venceu uma eleição que também parecia muito definida. Por tudo que já acompanhamos nas eleições de Cacoal, alguém pensar hoje que a eleição está decidida é, no mínimo, delírio de quem não sabe avaliar os fatos. Em 2012, todas as pessoas que fizeram comemorações antecipadas ficaram frustradas com o resultado oficial. Basta tentar lembrar.

DEMOCRACIA CRISTÃ. Menos de dois meses atrás, o candidato escolhido pela Democracia Cristã (DC) para disputar a prefeitura de Cacoal, professor Alex Costa sofreu uma condenação de segundo grau no Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia. Segundo a legislação eleitoral brasileira, esse tipo de sentença torna os candidatos inelegíveis. Neste caso, o candidato aprovado na convenção do seu partido tem direito de solicitar o registro de candidatura, mas enfrentará uma batalha jurídica, porque as chances de continuar na disputa são pequenas. A ex-prefeita Suely Aragão enfrentou problema semelhante, quando tentou disputar uma eleição, tempos atrás. Na ocasião, ela acabou fora da disputa. O ex-senador Expedito Junior e o senador Acir Gurgacz tiveram problemas semelhantes. Acir até tentou ser candidato ao governo em 2018, mas acabou impedido. Na verdade, disputar uma eleição em que o candidato enfrenta os adversários e os tribunais certamente não é uma tarefa muito fácil.

RENOVAÇÃO NA CÂMARA. Nas eleições municipais de 2016, pelo menos quatro vereadores daquela legislatura não disputaram a reeleição. Após a eleição, quatro foram reeleitos. Então não podemos afirmar que 08 vereadores foram derrotados nas urnas, porque nem todos entraram na disputa. Desta vez, apenas o vereador Mário Moreira está entre os candidatos ao cargo de prefeito, enquanto os outros 11 vereadores disputam a reeleição. Nesse caso será uma boa oportunidade para verificar se a população quer mudanças ou quer manter os vereadores atuais. Não podemos esquecer que nem sempre mudar os nomes das pessoas significa mudar a forma de fazer as coisas. Existem atualmente dezenas de candidatos a vereadores aprovados nas convenções dos seus partidos que não possuem nenhuma noção do que seja o mandato de vereador e que estão nas ruas prometendo trazer indústrias, gerar empregos e construir escolas em Cacoal. Engraçado é que os vereadores que prometem construir escolas não falam nada sobre a reforma da escola José de Almeida. Será que eles não conhecem a escola???

CANDIDATO DA DISCÓRDIA. A prefeita Glaucione Rodrigues poderá enfrentar um problema sério durante a campanha eleitoral, em relação aos candidatos a vereadores do seu partido.  Nos bastidores políticos de Cacoal circula a informação de que o motivo dessa possível revolta será o registro de candidatura de uma pessoa escolhida pelo esposo da prefeita como o candidato a vereador preferido da família Neri.  No dia da convenção do MDB, pelo menos dois vereadores do partido disseram aos seus aliados que podem abandonar a campanha da prefeita, caso os candidatos do MDB não sejam atendidos pela candidata. Em cumprimento à legislação eleitoral, não vamos citar o nome do candidato que seria protegido pela prefeita e seu esposo, mas podemos afirmar com certeza que a possibilidade de conflito é muito grande, porque em uma campanha de prefeito ou governador, não existe nada mais complicado do que os candidatos aos cargos legislativos abandonarem o barco. Nas eleições de 2018, o ex-deputado Maurão de Carvalho decidiu colocar uma assessora como candidata a deputada estadual e isso irritou os candidatos da coligação. Maurão poderia ser o governador hoje, caso não tivesse apoiado sua assessora.

CUIDADO COM A COVID-19. Quem tem passado pelas ruas e avenidas de Cacoal certamente observa que há um número muito alto de pessoas que agem como se a pandemia da Covid-19 tivesse acabado. Essa conduta pode trazer consequências muito sérias para Cacoal. A população precisa entender que adotar as medidas de prevenção é fundamental para evitar que o problema aumente em Cacoal. Em muitas outras cidades brasileiras onde a situação parecia ter chegado ao fim também ocorreu esse fenômeno em que as pessoas deixaram de cumprir as medidas de prevenção e as consequências foram muito graves, porque a doença voltou com mais força. Ainda que muita gente não acredite, a saúde da população depende de cuidados que precisam ser tomados por todos.

IDEB CACOAL. No começo desta semana, foi divulgado no país o resultado do IDEB 2019. O IDEB trata dos índices da qualidade da educação e das escolas brasileiras. Pelos números das escolas de Cacoal, os resultados ficaram abaixo da meta definida e vai ser necessário muito trabalho para recuperar. Como em 2021 haverá novas provas do IDEB, pode ser que as coisas mudem, mas não é possível avaliar os prejuízos que a pandemia vai provocar na educação. A prova do IDEB envolve questões de Matemática e Língua Portuguesa, mas as notas das escolas não se definem somente a partir disso. Existem diversos outros fatores que são adotados para se obter os índices do IDEB, entre eles a estrutura física das escolas, as condições sociais dos alunos e outros fatores. E vale registrar que os professores que trabalham nas escolas de Rondônia fazem de tudo para melhorar o grau de aprendizagem dos alunos, mas muitas vezes os fatores externos comprometem a qualidade que se busca. Lamentável!

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Facebook
WhatsApp