Rondônia, 19 de julho de 2024 – 06:05
Search
Anuncie aqui
Search
19 de julho de 2024 – 06:05

Égua dá à luz a potro e burro ao mesmo tempo em caso raro registrado em Rondônia

Anuncie aqui

Uma égua deu à luz a um potro e um burro ao mesmo tempo em uma propriedade rural localizada no distrito de União Bandeirantes, a 160 quilômetros de Porto Velho. O caso é considerado raro, pois os dois filhotes resultam do cruzamento do animal com espécies diferentes.

A “Estrelinha”, como a égua é chamada, vive na fazenda do pecuarista Marcos Soares. Ele conta que o burro e o potro nasceram no início do mês de junho e desde então suspeita que um dos filhotes possa ter sido adotado por ela, pois nunca viu nada semelhante acontecer antes.

“A gente até acha que não é filhote dela, mas eu sei que ela cria direitinho, dá de mamar. Eu a coloquei para cruzar com um jumento. Eu não tenho cavalo, mas meu vizinho tem; pode ser que eles tenham cruzado pela cerca. Nunca se sabe”, explica o pecuarista.

Marcos Soares afirma que viu Estrelinha dando à luz apenas ao burro e não estava presente no momento em que o outro filhote nasceu. Mas tem certeza que o potro nasceu na sua propriedade, pois não há possibilidade de ele ter vindo de outro pasto.

 

Caso raro

Segundo o médico veterinário Paulo Saulo, o caso é incomum por dois motivos. Primeiro, é extremamente raro uma égua ter um “parto gemelar”, ou seja, gerar dois animais ao mesmo tempo. O segundo fato, que chama mais atenção ainda, é que os dois filhotes são de espécies diferentes.

“Um é proveniente da cruza da égua com o cavalo [potro] e outro cruzamento com um jumento [burro]. Eu já acompanhei partos gemelar da mesma espécie, mas nunca tinha visto um caso raro como esse”, explica o especialista.

Paulo Saulo conta que há uma grande probabilidade de ambos os animais serem filhos da Estrelinha. Isso porque o proprietário viu a égua dando à luz ao burro, e o segundo filhote (o potro), apresenta características muito semelhantes à mãe.

Ele explica que a égua pode ter tido duas ovulações em seus dois colos uterinos: um óvulo foi fecundado pelo sêmen do cavalo e outro pelo sêmen do jumento. Entretanto, os dois cruzamentos não precisam ter ocorrido no mesmo dia, pois as ovulações não precisam acontecer simultaneamente.

Para confirmar essa possibilidade, seria necessário realizar um teste de DNA (ácido desoxirribonucleico) com o jumento e com o cavalo do vizinho, que o pecuarista informou ser o possível “pai” do potro.

Parto gemelar

Conforme o médico veterinário, é contra indicado uma gestação de dois animais, pela baixa estatura que uma égua possui. Na maioria das vezes, não é levada adiante, pois apenas um dos filhotes se desenvolve.

“Acontece de falecer até os dois animais ao mesmo tempo. Em alguns casos, acaba envolvendo a mãe, que pode morrer por não conseguir parir. Portanto, no caso da Estrelinha, provavelmente seria desaconselhável ela ter outra gestação”, afirma.

O especialista sugere a hipótese do parto gemelar ter causado problemas no sistema reprodutivo da égua. Por isso, será necessário um acompanhamento clínico com o animal e seus filhotes, pelos riscos da gestação e ao fato de ela estar amamentando em dose dupla.(G1/RO)

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Facebook
WhatsApp