Anuncie aqui
Anuncie aqui

Em Cacoal, jovens dão exemplo de solidariedade e se oferecem para fazer compras para pessoas mais velhas

Com o avanço da pandemia mundial covid-19 várias medidas estão sendo tomadas por autoridades de saúde e gestores públicos para tentar conter a transmissão da doença, principalmente entre os idosos, principal público em risco. Diante deste cenário, quarentena, autoisolamento são as principais palavras de ordem contra o vírus.

Lavar as mãos sempre e não tocar nas pessoas são as principais recomendações das autoridades sanitárias nesta guerra. Porém, mesmo diante deste cenário assustador, ainda há espaços para a solidaridade e amor ao próximo.
Exemplos de companheirismo são espalhados principalmente pelas redes sociais. Na Itália, por exemplo, pessoas cantam juntas nas janelas. Outra ação que vem ganhando espaço pelo mundo é a iniciativa de jovens que se oferecem para fazer compras para pessoas mais velhas que não podem fazê-las.
Em Cacoal, diversas pessoas estão seguindo o exemplo e se colocando à disposição para ajudar as pessoas da faixa de risco. À reportagem da Tribuna Popular, Antônio Santos, explicou que decidiu adotar a medida após ver que a ação solidária, que poderá evitar o contágio do vírus entre a população idosa já estava sendo praticada em outras partes do país.

“Eu vi que em São Paulo algumas pessoas estavam oferecendo esse auxílio com cartazes nos elevadores e aqui em Rondônia alguns ja se ofereceram também. Achei que seria interessante trazer isso para Cacoal também”, conta.
“Nossa vida deve ser assim, sempre servindo ao próximo. Já vi vários outros jovens que gostaram da ideia e estão fazendo também. Isso é bom, quanto mais, melhor né”, acrescenta.

Maicon Diones, conhecido na cidade como ‘Palhaço Babu’, por trabalhar com animação de eventos infantis e comerciais, também se colocou a serviço do próximo neste momento em que se exige união sem aglomeração.

“Então sempre estive a disposição pra ajudar o próximo, já arrecadei alimentos, sou palhaço de hospital e sempre quando posso eu ajudo. Tenho a Kombi Julieta, coloco as compras dentro e levo até às pessoas”, revela.


Doação de saúde

Assim como no resto do país, as doações de sangue caíram de maneira significativa, e de acordo com a direção do banco de sangue local, o estoque de sangue está bem abaixo do recomendado para suprir a demanada da região. Mesmo com o decreto de calamidade pública no estado, as coletas de sangue estaão sendo realizadas nos bancos de sangue locais. Preocupado com a sistuação, Maicon já se programou para colaborar com esta corrente do bem.
“Segunda-feira irei doar sangue e ver como que faz pra doar medula óssea, pois devido o vírus as pessoas não estão indo doar”, explica.

Fonte: Tribuna Popular- Foto: Reprodução

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp