Cacoal/RO, 3 de março de 2024 – 14:43
Search
Search
3 de março de 2024 – 14:43

O DIA 22 DE OUTUBRO NA HISTÓRIA – TEIXERÃO: “UM BANDEIRANTE NO SÉCULO XX”

Por Lúcio Albuquerque
69 99910 8325

22.10.23 – BOM DIA!

COMEMORE
Dia Internacional de Atenção à Gagueira. Dia do Enólogo. Dia do Paraquedista. Dia do Protesto Mundial Contra o Uso do Eletrochoque.

Católicos celebram Dia Mundial das Missões, Santa Maria Salomé. São João Paulo II, São Marcos de Jerusalém. São Gaudêncio de Bréscia.

RONDÔNIA
1942 – A representação da Fundação Sesp em Porto Velho adverte à população que não deve comprar o medicamento “Atebrina”, usado contra malária, em razão e ser de distribuição gratuita.

1954 – A produção da borracha brasileira na fronteira com a Bolívia está sendo contrabandeada para aquele país, onde o peço é maior e o pagamento é feito em dólar.

1981 –Se houver eleição a governador em 1982 o PDS tem 5 nomes: o governador Jorge Teixeira, os médicos Leônidas Rachid e Jacob Atallah, o agrônomo William Cury e o advogado Odacir Soares. (AM)

1985 – O governador Angelo Angelin instala em Porto Velho a delegacia de Defesa da Mulher, a 3ª no gênero no país.

1987 – Mais de 100 amigos do ex-governador Jorge Teixeira (1921/87), fizeram fila no “Belmont” para receber a viúva, senhora Aída Teixeira que veio receber do TCE uma homenagem ao seu marido.

BRASIL
1807 – Acordo secreto com Londres prevê mudança da Corte portuguesa para o Brasil. 1954 – Morre Oswald de Andrade (n. 1890), dentre outras obras é de sua autoria “O Rei da Vela”. 1969 – Dez meses depois de fechado pelo AI-5, é reaberto o Congresso Nacional.

MUNDO
1797 – André-Jacques constrói o primeiro paraquedas e com ele salta de um balão a 914 metros de altura.

1909 – A aviadora francesa Élise Deroche é a primeira mulher a fazer um voo sozinha.

1966 — The Supremes, a 1ª banda formada só por mulheres a atingir o topo na lista de discos mais vendidos.

 

FOTO DO DIA

 

“UM BANDEIRANTE NO SÉCULO XX”

Mais de dois anos após sair de Rondônia, com o marido Jorge Teixeira que em maio de 1985 deixou o governo do ex-Território, a senhora Aída Teixeira veio a Porto Velho receber, em nome do marido, uma homenagem do Tribunal de Contas.
Com o auditório do TCE lotado, especialmente por amigos e ex-assessores de Teixeira, a maioria dos quais a foram receber no dia anterior no “Belmont”, dona Aída, lembrou que seu marido foi “um grande bandeirante do século XX”, destacando os mais de 20 anos que ele trabalhou na Amazônia.
“Meu marido não só mandava fazer, como acompanhava cada obra, o que sempre aconteceu nas várias missões que lhe foram atribuídas, e aqui, devido às distâncias e da urgência em tomar decisões, transformou o helicóptero em ferramenta de trabalho”.
O vice-governador Orestes Muniz lembrou que politicamente estava em campo oposto a Teixeira, mas que “era muito difícil fazer oposição a ele, pelo volume de seu trabalho”.
A importância de dona Aída, no resultado final da ação de Teixeirão, foi lembrada pelo jornalista e conselheiro do TCE Rochilmer Rocha: “A sua presença com certeza foi vital nos momentos difíceis que o nosso governador teve de enfrentar”.

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Facebook
WhatsApp