Cacoal/RO, 24 de maio de 2024 – 03:27
Search
Search
24 de maio de 2024 – 03:27

SENAI-RO oferece consultorias para indústrias locais mediante o programa Brasil Mais Produtivo


Em Rondônia, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI-RO) é o responsável por executar duas ações do novo programa Brasil Mais Produtivo, com o objetivo de auxiliar empresas em seu processo produtivo: Manufatura Enxuta, que visa identificar desperdícios e acompanhar a implementação de um plano de ação para eliminá-los. Eficiência Energética: busca otimizar o consumo de energia e reduzir custos.

Ambas as ações oferecem consultorias, com trilhas de cursos em aperfeiçoamento profissional, realizados pelo Sebrae e executados pelo SENAI. As trilhas de aperfeiçoamento visam capacitar os colaboradores para que possam implementar e manter as melhorias alcançadas. Segundo José Rafael Gerente de Tecnologia do SENAI e interlocutor do Programa “para participar, as empresas devem se inscrever na plataforma Brasil Mais Produtivo e manifestar interesse em uma das ações do programa. O cadastro é espontâneo e as que se inscreverem mais cedo terão mais chances de participar do programa. O SENAI fará um diagnóstico in loco para identificar as necessidades da empresa e elaborar um plano de ação personalizado”.

Ainda segundo Rafael a meta para Rondônia em 2024 é atender 33 empresas que terão como benefícios: eliminação de desperdícios de produção no chão de fábrica, redução de custos, aumento da produtividade, maior competitividade e capacitações alinhadas à manutenção dos benefícios. Após a conclusão do curso de aperfeiçoamento profissional, os colaboradores podem continuar sua capacitação nos módulos setoriais específicos para as empresas atendidas, como metalmecânica, confecção e alimentos.

O acompanhamento e avaliação dos resultados serão realizados regularmente junto às empresas atendidas. “O objetivo final do Brasil Mais Produtivo é tornar as empresas participantes mais eficientes, produtivas e competitivas, contribuindo assim para o desenvolvimento econômico local e para a geração de oportunidades de trabalho”, pontuou Rafael.

Segundo Rafael, o programa destina-se a micro, pequenas e médias empresas, sendo que o custo da participação é subsidiado por parceiros, o que significa que as empresas pagam um valor mínimo para ter acesso a todos os benefícios oferecidos. Por fim, as empresas que aderirem ao programa devem comprometer-se a participar ativamente de todas as etapas, desde a consultoria inicial até a implementação das melhorias propostas.

Rafael lembra que as empresas com CNAE industriais, primário e secundário e que disponham de mais de cinco empregados, são elegíveis para participar das consultorias. “Se um micro ou pequeno empresário fosse pagar um programa de consultoria e capacitação, o custo seria por baixo, uns 14 mil reais. Então, esse seria o desembolso da indústria, mas esse valor, por causa dos parceiros, ele está sendo subsidiado”.

O interlocutor acrescentou que “não quer dizer que é gratuito. Quem entrar sabe que aquele programa alguém está pagando. Se a empresa deixar de participar, de cumprir, de acompanhar, construir, fazer as capacitações, está dando prejuízo e está deixando de oportunizar a uma outra empresa que precisa mais. E somente poderá participar novamente quando se adequar. Em resumo, o Brasil Mais Produtivo representa uma oportunidade valiosa para as micro, pequenas e médias indústrias de Rondônia melhorarem sua eficiência, competitividade e contribuição para o desenvolvimento econômico regional”, finalizou Rafael.

Sobre o programa

Lançado oficialmente em novembro de 2023, o programa é coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC) em uma parceria inédita entre o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), a Empresa Brasileira de Inovação Industrial (Embrapii) e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES).

O programa destina R$ 2,037 bilhões para o engajamento digital de 200 mil indústrias, com atendimento presencial a 93 mil empresas até 2027. A Plataforma de Produtividade, em operação desde 31 de janeiro, serve como porta de entrada para as empresas participarem do programa. Além disso, elas terão acesso aos conteúdos complementares relacionados à produtividade e digitalização. No programa, SENAI e Sebrae atuam de forma conjunta para identificar e diagnosticar gargalos de gestão e da produção, por meio de metodologias mais adequadas para as empresas atendidas.

Imprensa/FIERO

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Facebook
WhatsApp