Rondônia, 17 de julho de 2024 – 07:25
Search
Anuncie aqui
Search
17 de julho de 2024 – 07:25

Coluna Boca Maldita – CHUVA DE OPORTUNISMO!

Anuncie aqui

 FÚRIA GOVERNADOR

Nos últimos dias, alguns jornais de Rondônia divulgaram uma matéria informando que o PSD, partido do prefeito Adailton Fúria, poderia lançar seu nome para disputar o governo do estado. Claro que a notícia deixou os eleitores do prefeito muito eufóricos e eles acreditam mesmo que Fúria poderia ser eleito, mas o prefeito certamente vai pensar muito bem antes de aceitar o convite de seu partido. Quando era deputado, Adailton Fúria disputou a eleição e venceu em Cacoal. O problema é que para disputar um cargo hoje ele teria que renunciar ao mandato de prefeito já no fim de março. Essa situação não é tão simples de ser decidida, mesmo quando a pressão de aliados é grande. Fúria conhece bem o mundo político e sabe que disputar um governo implica uma estrutura de grupo político e de campanha que não se constrói em 30 dias. Como é muito novo e ousado, claro que o prefeito deve ter vontade de governar o estado, mas a renúncia é uma coisa que nem todos os políticos estão dispostos, mesmo os mais ousados. Isso não significa que a coluna é contrária à candidatura do prefeito de Cacoal ao governo, porque não há motivos para isso e bem ao contrário, Cacoal nunca teve um governador, a exemplo de Rolim de Moura, Ji-Paraná e Ariquemes. Cacoal precisa construir essa liderança, mas com muito cuidado para não estragar prematuramente.  Porém, vamos esperar esses trinta e poucos dias que faltam para encerrar o prazo estabelecido pelas normas da eleição para conferir o resultado do plano do PSD.

 

ELEIÇÕES 2022

Falando em eleições, os partidos estão enfrentando um grande desafio para encontrar nomes de peso para formar nominatas e disputar as eleições proporcionais deste ano. Essa situação pode complicar muito a vida de antigos caciques políticos do estado. O problema maior é que os candidatos novatos estão fugindo como o diabo da cruz de entrar em grupos que já possuem pessoas com mandato. Vários deputados federais e estaduais podem acabar ficando sem a cadeira depois da apuração de votos. Por esta razão, várias lideranças partidárias estão em peregrinação por todos os municípios buscando prefeitos e vereadores para engrossar as nominatas. No caso de Cacoal, todos os vereadores estão sendo pressionados ou convencidos a colocarem seus nomes nas listas de candidatos para salvar a reeleição dos velhos caciques. Assim, os candidatos de Cacoal podem encontrar um grande problema na divisão de votos, porque a tendência é uma pulverização muito grande. E com as novas regras, os partidos não querem abrir mão de ter candidatos em todos os municípios para garantir legenda.

 

MELHOR PREFEITO

Nesse ufanismo que se instalou em Cacoal, diante da possibilidade de uma candidatura de Adailton Fúria ao governo, alguns de seus eleitores mais apaixonados passaram a dizer que ele é o melhor prefeito da história de Cacoal. Entre esses apaixonados estão alguns vereadores que fazem parte da chamada base aliada. Não se pode dizer que o prefeito Fúria tem o perfil de cruzar os braços e esperar que as coisas caiam do céu. Isso seria injustiça. Mas talvez seja um exagero afirmar que ele é o melhor prefeito da história, porque isso significa ignorar completamente administrações como da prefeita Suely Aragão, Divino Cardoso, Josino Brito, Orlandino Ragnini, Franco Vialeto, Glaucione Rodrigues e outros nomes. Para fazer esse tipo de comparação, é necessário pesar todas as ações. Cacoal tem hoje uma estrutura urbana muito boa e isto foi trabalho de todos os antecessores do atual prefeito. Precisamos lembrar dos muitos quilômetros de asfalto, construções de escolas, creches, hospitais, postos de saúde, construção de casas populares e outras obras de prefeitos do passado. Não custa nada as pessoas tentarem voltar um pouco o pensamento e lembrar de boas obras dos ex-prefeitos para depois fazer as comparações.

 

SINALIZAÇÃO DA BR 364

A polêmica em torno da história do semáforo nas proximidades do Feirão do Produtor em Cacoal pode estar com os dias contados. Porém, a Administração Municipal precisa cumprir uma lista de diversas orientações do Departamento Nacional de Transporte e Infraestrutura (DNIT). No mês de abril de 2021, o órgão enviou à Prefeitura de Cacoal o OFÍCIO Nº 54099/2021/SRE – RO esclarecendo como o prefeito deve proceder para fazer a instalação de semáforos e outras sinalizações no local. A lista tem cerca de 09 itens que devem ser cumpridos, entre eles a instalação de semáforos em todas as vias do local. Isto significa que não será possível cumprir as normas do DNIT instalando apenas um semáforo, visto que não seria suficiente para garantir a segurança dos condutores e pedestres que utilizam a rodovia 364, no local onde existe o problema. É estranho que o DNIT tenha enviado um documento há quase um ano e que a prefeitura não tenha adotado as medidas que foram sugeridas, a não ser que o documento não tenha chegado às mãos do prefeito.

 

CHUVA DE OPORTUNISMO!

A recente situação das cheias em Cacoal provocou o aparecimento de vários políticos tentando bancar uma de herói. Muitos deles aproveitaram a oportunidade para fazer verdadeiros palanques com as doações que foram feitas por outras pessoas e instituições. A bem da verdade, todas as doações feitas para ajudar as pessoas atingidas pela enchente foram feitas por empresas de Cacoal ou municípios vizinhos, igrejas, clubes de serviço, maçonaria, OAB, lideranças comunitárias, voluntários anônimos, associações, sindicatos e diversos outros segmentos da sociedade. Assim, não há razão para idolatrar nenhum político, porque todas as pessoas ajudaram. Claro que diversos políticos apareceram, entraram na água, andaram de barco nos lugares alagados e fizeram fotos e vídeos, mas deveriam ter deixado claro que estavam fazendo política. Quem merece todos os aplausos é a população que se mostrou solidária em todos os momentos e não mediu esforços para ajudar. Aliás, registramos nossos elogios para a população cacoalense que soube entender a situação e estendeu os braços às pessoas prejudicadas. Isso mostra que eu outras ocasiões certamente haverá a ajuda imediata das pessoas solidárias, como aconteceu desta vez.

 

VIAGEM HUMANITÁRIA

Os vereadores Edimar Kapiche e Magnison Mota foram a Brasília esta semana. Segundo consta no Portal da Transparência da Câmara de Cacoal, eles foram à capital federal em busca de alguns objetos para atender as famílias atingidas pela cheia dos rios do município. Entre os pedidos está um barco e vários outros objetos que serviriam para equipar a Defesa Civil de Cacoal. Nas redes sociais, muitas pessoas criticaram os vereadores, por causa das diárias recebidas, mas eles juram que a viagem tem caráter humanitário e afirmam que não existe nenhuma ilegalidade no recebimento das diárias. O problema é que muitos deputados e senadores não estarão em Brasília até passar o carnaval e talvez nossos vereadores não consigam encontrar os membros da bancada de Rondônia. A sorte é que eles devem passar por Cacoal neste período, porque muitos deles já estão em campanha pela reeleição e costumam ser vistos com facilidade nos municípios do estado. Vale lembrar aos vereadores que a deputada Jaqueline Cassol é aliada da administração, já que o vice-prefeito foi indicado por seu partido. Além disso, o deputado Expedito Neto é aliado antigo do prefeito Adailton Fúria e deve ter contato frequente com ele. Engraçado é que os vereadores foram a Brasília em busca de ajuda aos atingidos pelas enchentes e o deputado federal Coronel Chrisóstomo veio a Cacoal verificar os estragos provocados pelas enchentes. Em reunião com o  prefeito, o deputado se colocou à disposição do município e vai procurar apoio federal para ajudar Cacoal. Alguém sabe da presença de mais alguém da bancada federal, que esteve em Cacoal, com a mesma finalidade?

 

CIDADE DA MUDANÇA

Alguns opositores da administração apelidaram o prefeito Adailton Fúria de “Prefeito da Mudança”. Eles alegam que o prefeito de Cacoal adotou a mania de mudar coisas de lugar. Nas redes sociais, as pessoas citam que o prefeito mudou o semáforo da avenida Cuiabá para a BR-364; mudou o parquinho de uma creche para a praça da prefeitura; quer mudar a sede da prefeitura para o Complexo Beira Rio e há quem diga que ele quer mudar a UPA para o local onde funciona o CER. Além disso, existem servidores do município dizendo por aí que são secretários adjuntos de diversas pastas, numa prova de que mudou a regra da administração. Na realidade, o cargo não existe na estrutura do município, tanto é que essas pessoas não assinam documentos colocando o cargo de adjuntos e possuem apenas portarias de outros cargos comissionados. Essa mudança o prefeito não pode fazer sem que haja aprovação da Câmara de Vereadores. Então, até este momento, os secretários adjuntos funcionam apenas como a “Viúva Porcina” da novela exibida pela TV Globo na década de 80.

 

FERIADÃO DE CARNAVAL

Em praticamente todos os órgãos da administração pública estadual, haverá vários dias de ponto facultativo, em virtude de decreto do governador Marcos Rocha. Assim, muitos servidores estaduais estarão de folga na segunda, terça e quarta-feira da semana que vem. Claro que existem diversos setores considerados essenciais que funcionarão normalmente, como é o caso de unidades de saúde, polícias e outros. No caso da educação, os professores, técnicos e alunos devem voltar apenas na quinta-feira. Em Rondônia, o carnaval não está entre as tradições mais evidentes, mas muitas pessoas tiram os dias para descansar ou fazer tarefas domésticas. Há muitos grupos, entre eles grupos religiosos, que preferem os retiros onde ficam por todo o período. Na verdade, a pandemia da Covid-19 não tem permitido mesmo a realização de bailes carnavalescos e várias atividades do gênero foram suspensas em diversos municípios para evitar a aglomeração.

 

POLÊMICA À VISTA

Recentemente o prefeito Adailton Fúria enviou um projeto à Câmara de Cacoal que pode comprometer muito os grupos que praticam retiro de carnaval. O projeto prevê que os dias de carnaval sejam considerados ponto facultativo em órgãos públicos e não feriado. Neste caso, os trabalhadores das empresas privadas poderiam levar falta e ter desconto do salário, caso saiam para fazer retiro de carnaval. A proposta do prefeito pode agradar muito os empresários, mas vai causar a irritação dos funcionários que não poderão gozar os dias de feriado. Na justificativa, o prefeito cita que o carnaval não faz parte da lista de feriados nacionais e seria esta a razão para pedir aos vereadores que aprovem o projeto. Como o prefeito tem ampla maioria de votos no legislativo, não seria nenhuma novidade a aprovação desta matéria. Resta saber como os vereadores vão reagir, porque eles devem ter eleitores que são empresários e funcionários de empresas privadas. Vamos esperar para conferir!

 

 

 

 

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Facebook
WhatsApp