Anuncie aqui
Anuncie aqui

Coluna Boca Maldita – PRESENTE DE GREGO

 

CANDIDATOS NACIONAIS

Esta semana, o presidente Jair Bolsonaro se reuniu com quase a metade de seus ministros para discutir os substitutos de 09 pastas. Entre os exonerados estão a ministra Damares Alves e o ministro Tarcísio de Freitas. Damares cogita uma candidatura ao Senado Federal, por São Paulo ou outro estado a ser definido, e Tarcísio de Freitas é a aposta do presidente da República para disputar o governo de São Paulo. As pesquisas no momento indicam que o favorito ao governo do principal estado brasileiro é Fernando Haddad, o candidato de Lula. Porém o Palácio do Planalto acredita que pode reverter a situação nos próximos meses.

CENÁRIO ESTADUAL

Em Rondônia, a situação não é muito diferente. Alguns dos principais secretários do governo Marcos Rocha devem deixar os cargos neste fim de semana e se preparar para disputar a preferência do eleitor em outubro. Fernando Máximo, secretário de saúde; Suamy Lacerda, da educação; e Evandro Padovani, da agricultura, encabeçam a lista de exonerações no primeiro escalão de Rondônia. A legislação eleitoral prevê que diversos agentes públicos devem se desincompatibilizar seis meses antes da eleição. Este é o caso das pessoas que ocupam cargos de primeiro escalão.

RENÚNCIA ESPERADA

Este fim de semana será determinante para os destinos políticos de Cacoal. Diversas pessoas próximas ao prefeito Adailton Fúria garantem que ele renuncia ao cargo até a noite de sábado para ser candidato ao governo do estado. Se confirmada a renúncia do prefeito, Cássio Góes é quem assume como chefe do executivo cacoalense. Entretanto, Cássio Góes também cogita a possibilidade de ser o candidato a deputado estadual do prefeito de Cacoal. O problema é que, para ser candidato, Cássio também ficaria obrigado a renunciar. Assim, a vaga de prefeito seria ocupada pelo presidente da Câmara de Cacoal, João Paulo Pichek, que também pretende ser candidato. Cacoal já teve sérios problemas administrativos por causa dessa história de prefeitos e deputados que ficam no mandato apenas por dois anos. A situação tende a virar tradição na prática política da Capital do Café e tudo isso conta com a colaboração dos eleitores cacoalenses.

BERNARDO GUIMARÃES

O professor Nilton César da Mata voltou ao cargo de diretor da escola Bernardo Guimarães, em Cacoal. Ele havia se afastado do cargo para concorrer à eleição de vereador em 2016 e retornou às atividades escolares no início de 2021, após ter tentado a reeleição para vereador. Desde que o governador Marcos Rocha tomou posse, ele acabou com o sistema de consulta à comunidade escolar que tinha como finalidade a escolha de diretores de escolas, após a aprovação dos alunos, pais e funcionários das escolas. Agora, o procedimento para a escolha de diretores é a indicação de políticos da cidade. Como o professor Nilton Cesar tem boas relações políticas com o grupo do governador, ele certamente não teve nenhuma dificuldade para ser indicado. Além disso, ele é uma pessoa conciliadora e certamente pode receber bons apoios para fazer a escola Bernardo Guimarães voltar a ser considerada uma das melhores instituições públicas de ensino em Cacoal. Diversos profissionais muito qualificados deixaram a escola nos últimos anos alegando que foram perseguidos pela direção anterior. Há casos em que os professores possuem farta documentação que comprovam as perseguições.

LEO SIMÕES

A professora Lionilda Simões está visitando diversos municípios de Rondônia, com o objetivo de discutir com trabalhadores da educação sobre o apoio a uma candidatura que ela pretende lançar, rumo a uma cadeira na Assembleia Legislativa de Rondônia. Leo Simões é irmã da ex-vereadora de Cacoal,  Penha Simões, e conta com o apoio de muitas lideranças da educação em todos os municípios do estado. Ela está em seu segundo mandato como presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Educação de Rondônia ( SINTERO) e deverá ser um dos principais nomes do PT nas eleições deste ano. Há vários anos, os trabalhadores da educação buscam eleger um nome para defender a categoria na Assembleia Legislativa de Rondônia, onde muitas vezes os trabalhadores são traídos em votações que acontecem durante as madrugadas. Pode estar aí a chance que Leo Simões possui dentro da categoria.

VEREADORES MAGOADOS

No ano passado, os vereadores de Cacoal eram treinados para registrar os parabéns e bater palmas para o prefeito em todas as situações. Sempre ficou muito claro que a maior preocupação deles era agradar o prefeito a qualquer custo. Claro que este fato não envolvia a unanimidade da Casa de Leis, mas ao menos 2/3 dos vereadores agiam desta maneira, incluídos todos os membros da Mesa Diretora. Essa história parece ter mudado muito e o quadro atual é bem diferente. Vários vereadores da base aliada passaram a reclamar do prefeito nos bastidores e antigos aliados hoje pregam a independência. Entre os motivos da insatisfação, estão a falta de convites para eventos e o encaminhamento, por parte do executivo, de matérias que desgastam os vereadores.

PRESENTE DE GREGO

Uma das matérias enviadas ao poder legislativo que mais irritaram os vereadores foi o projeto de autoria do prefeito Adailton Fúria que tinha a finalidade de acabar com o feriado de carnaval. Esse projeto causaria grandes prejuízos a todos os servidores públicos municipais e a praticamente todos os trabalhadores da iniciativa privada. A ideia do prefeito teria sido para agradar alguns empresários do município e ganhar apoio político. Entretanto, a repercussão negativa levou os vereadores a sofrerem muita pressão da classe trabalhadora e o prefeito acabou pedindo a retirada da matéria de pauta provavelmente com medo do desgaste político. Esta situação pegou muito mal para o prefeito Adailton Fúria e tudo indica ele perdeu o apoio de muitas pessoas de Cacoal que sonhavam com a aprovação do projeto.  Além disso, os trabalhadores que seriam prejudicados agora possuem um pé atrás, em relação à administração municipal.

PRONTO SOCORRO MUNICIPAL

Após muitas cobranças de todos os setores da sociedade, parece que a administração municipal finalmente vai reabrir o Pronto Socorro Municipal. Alguns aliados do prefeito Adailton Fúria já começaram a divulgar que a reabertura deve acontecer em breve. Esta situação vai resolver parte do problema de filas intermináveis de moradores de Cacoal que procuram pelo HEURO. Os vereadores ligados ao prefeito possuem como estratégia atacar o governo do estado para esconder as falhas da administração municipal no setor de saúde de Cacoal. Claro que a reabertura do Pronto Socorro Municipal será muito importante, porque vai atender a parte da população que até hoje tinha que correr para o HEURO. Agora, prefeito Adailton Fúria precisa cumprir a promessa do “Corujão do SUS”, que ele dizia em campanha. Segundo o prefeito, caso ele fosse eleito, a população teria direito a fazer todo tipo de exames dia e noite na Capital do Café. Até o momento, a promessa não saiu do papel.

CANDIDATO A GOVERNADOR

O deputado federal Leo Moraes parece estar decidido a entrar na disputa pelo governo de Rondônia. As pessoas mais próximas ao deputado  garantem que a decisão já está tomada e que o anúncio é questão de tempo.  Leo Moraes disputou a prefeitura de Porto Velho em 2016 e por muito pouco não assumiu o comando da capital. Depois disso, em 2018, ele foi o deputado federal mais votado em Rondônia e atualmente possui uma relação muito próxima com o eleitor, já que suas redes sociais são muito ativas no estado. Aliados de Leo Moraes adiantam que uma das estratégias e bandeiras de campanha será buscar a força da juventude no estado e manter distância dos velhos políticos de Rondônia. Pelo menos num eventual primeiro turno, essa ideia pode ganhar a simpatia de muitos eleitores, porque em eventual segundo turno isto não funciona.

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp