Cacoal/RO, 22 de maio de 2024 – 05:05
Search
Search
22 de maio de 2024 – 05:05

COLUNA DO SIMPI – Saiba como e onde buscar seu empréstimo no programa “ACREDITA”

Saiba onde e como buscar seu empréstimo no programa “ACREDITA”
O programa ACREDITA, lançado pelo Governo Federal na última terça-feira (22), tem como principal meta o fortalecimento econômico da categoria  que mais emprega   e mais distribui renda  no Brasil e garantir amplo apoio aos Microempreendedores Individuais (MEI’s), Micro e Pequenas  Empresas, inclusive  para recém criadas informais. Consiste em um programa que tem como objetivos no curtíssimo prazo, conceder empréstimos e permitir a renegociação de dívidas, e que  está organizado em quatro eixos norteadores que incluem medidas específicas para serem colocadas em prática. Veja mais: https://www.legisweb.com.br/legislacao/?id=458050
Acredita I: Empréstimo para informais, como conseguir?
Programa de microcrédito destinado a famílias de baixa renda inscritas no Cadastro Único (CadÚnico) e que não tenham empresas formalizadas. Metade das concessões será destinada a mulheres. O sistema de garantia de crédito será de R$ 500 milhões em 2024, segundo o governo federal e será necessário se tornar MEI e procurar as agências bancárias como Caixa Econômica e Banco do Brasil.
Acredita II:  Empréstimo para Micro e Pequenas Empresas, como conseguir?
Nesse eixo, está previsto o Procred 360, Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) bastante melhorado, e o Programa Sebrae para Facilitação de Acesso ao Crédito para os Pequenos negócios. o Procred 360, consiste em uma política de estímulo ao crédito que estabelece condições especiais de taxas e garantias por meio do Fundo Garantidor de Operações (FGO). A forma de solicitar será o mesmo do PRONAMPE e via bancos, que terão prazo de 60 dias para se prepararem para dar início aos serviços do Procred 360. O programa contará com R$ 4 bilhões do Fundo Garantidor, que vão gerar quase 12 bilhões de empréstimos. Além disso, os empreendedores terão 60 meses para pagar com um juro que vai equivaler a um pouco mais de 1% ao mês.
 
Acredita III: Desenrola para Pequenos Negócios veja como renegociar as dívidas?
Desenrola Pequenos Negócios permitirá a renegociação de dívidas de pequenos negócios e de microempreendedores individuais (MEI) e teve as regras regulamentadas nesta sexta-feira pelo Ministério da Fazenda que define a participação dos bancos nas renegociações  ver mais: https://in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-mf-n-686-de-25-de-abril-de-2024-556243182. Entrarão nas renegociações dívidas vencidas há mais de 90 dias na data de lançamento do programa, na última segunda. Não haverá limites para o valor da dívida nem de tempo máximo de atraso. A versão do Desenrola para as micro e pequenas empresas é um dos quatro eixos do Programa Acredita, que pretende ampliar o acesso ao crédito e estimular a economia. A previsão é que as renegociações do Desenrola Pequenas Empresas comecem efetivamente na próxima semana. O Desenrola Pequenos Negócios pretende renegociar débitos de empreendedores que faturam até R$ 4,8 milhões por ano. Os interessados poderão quitar, à vista ou parcelado, as dívidas bancárias feitas pelo próprio CNPJ ou pelo Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe). Para participar da iniciativa, será necessário acessar uma plataforma de renegociação da mesma forma como ocorreu com o Desenrola para pessoas físicas.
Unir, Simpi e Sebrae reunidos para indicar soluções para os MEI’s
A nova Reitora da Universidade Federal de Rondônia (Unir), professora Marília Pimentel, foi convidada pela Federação das Entidades Estaduais de Micro e Pequenas Empresas de Rondônia (FEEMPI), pelo Sindicato da Micro e Pequena Indústria (SIMPI) e pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas em Rondônia (Sebrae RO), para uma reunião na última sexta-feira (26), em Porto Velho. O objetivo do encontro foi discutir uma parceria para o oferecimento de assistência contábil aos Microempreendedores Individuais (Mei). A ideia apresentada à reitora da Universidade consiste em um projeto que envolva os acadêmicos do curso de Ciências Contábeis da instituição, sob a supervisão dos professores, em uma rede de suporte e consultoria para os pequenos negócios. Hoje com faturamento represado em R$ 81 mil, em um curto espaço de tempo  o microempreendedores já estão se tornando ME e aí começam os problemas, pois  os custos de manutenção chegam a ser maiores em cerca de 30  vezes . Presente também na reunião Acrecid- Banco do Povo, o braço financeiro das instituições e dos empreendedores, representado por seu presidente Manoel Serra  – foto
O impacto da nova Política Nacional de Desenvolvimento da Micro e da Pequena Empresa
O advogado Marcos Tavares Leite discorreu sobre o Decreto 11.993, publicado neste mês de abril, o qual institui a Política Nacional de Desenvolvimento da Micro e da Pequena Empresa, regulamentando e aprofundando os aspectos da disposição constitucional que trata do tratamento diferenciado destinado a esses empreendimentos.  Dentro deste decreto, busca-se a orientação e assessoria para o desenvolvimento de programas voltados ao crescimento das micro e pequenas empresas, abrangendo áreas como tecnologia, desburocratização, acesso a mercados internos e externos, investimento e financiamento, com o objetivo de promover e fortalecer a atividade empresarial nesse segmento.  Esses programas são implementados em parceria com órgãos ou instituições da administração pública federal, podendo também se estender a outras entidades, incluindo os serviços sociais autônomos.  O Fórum Permanente da Micro e da Pequena Empresa desempenhou um papel de participação ativa, orientando e continuará a assessorar o desenvolvimento e a implementação desses programas. O foco principal é assegurar que tais iniciativas sejam eficazes, permitindo que as empresas, tanto micro quanto pequenas, tenham acesso não apenas ao mercado interno brasileiro, mas também ao mercado externo.

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Facebook
WhatsApp