Rondônia, 16 de julho de 2024 – 12:48
Search
Anuncie aqui
Search
16 de julho de 2024 – 12:48

Doze capitais já estão aptas a receber novas redes 5G

Anuncie aqui

O Ministério das Comunicações informou nesta quarta-feira (26) que 12 capitais brasileiras já estão totalmente prontas – tanto em infraestrutura quanto em legislação – para receber a quinta geração de internet móvel, o 5G.

Leiloado em novembro do ano passado, o padrão 5G oferecerá internet de alta velocidade em todas as capitais brasileiras até 31 de julho deste ano.

Para as demais localidades, é importante que haja adequação de leis municipais e da instalação de infraestrutura adequada para o funcionamento da tecnologia. De acordo com os termos do leilão do 5G, empresas que arremataram as concessões de uso das bandas também firmaram o compromisso de ampliar para 100% do território nacional a cobertura do padrão atual, o 4G.

“Nossa missão é garantir a tecnologia 5G conectando o Brasil e levando a internet para todos os brasileiros”, afirmou em nota o ministro das Comunicações, Fábio Faria. “Ao longo dos anos, faremos com o que o país tenha assegurado a cada um o direito de acesso à internet; todos nós sabemos a importância que isso tem”, complementou.

Para que a tecnologia chegue a todas as cidades, é ideal a  adequação da Lei Geral das Antenas. O prazo para o processo vai até 2029.

 

Na parte de infraestrutura, o Decreto nº. 10.480 de 2020 detalha a expedição de licenças para que as operadoras possam realizar a instalação da rede. A instalação das novas antenas do 5G difere das tecnologias anteriores, já que necessitam de densidade maior de replicadores de sinal. Os grandes centros urbanos terão uma antena para cada 100 mil habitantes – número 10 vezes maior do que o que se usa atualmente no padrão 4G. “Este é mais um dispositivo que contribui para a expansão das redes 5G, que, em comparação às tecnologias anteriores, requerem maior densidade de antenas (mas de menor tamanho)”, explica o secretário de Telecomunicações Arthur Coimbra.

A responsabilidade de fiscalização e regulamentação das antenas que serão instaladas em todo o Brasil é da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que participará de todo o processo de transição da atual rede de antenas para o novo padrão.

 

Tecnologia 5G pode ser até 100 vezes mais rápida que conexões 4G

De imediato, as pessoas que se conectarem na rede 5G irão experimentar uma velocidade maior para baixar e enviar arquivos pelo celular e menos atraso em videochamadas. Isso porque o 5G pode ser até 100 vezes mais rápido do que as conexões 4G e terá a chamada baixa latência – um tempo mínimo de resposta, responsável pelo delay, ou atraso, que acontece em ligações. O doutor em computação, operador da LGPD na esfera federal, Allan Douglas Costa, explica o que é o 5G e qual a sua principal vantagem.

A evolução da rede vai permitir conectar muitos objetos à internet ao mesmo tempo: celular, carro, semáforo, relógio. Tudo isso já pode ser ligado ao 4G, mas é esperado que tudo funcione de forma mais rápida e estável. O 5G pode revolucionar o próprio smartphone, já que as altas velocidades permitiriam que muitas tarefas deixassem de ser processadas no chip do aparelho e passassem a acontecer na nuvem, pegando emprestado a potência dos computadores. O mesmo pode acontecer com acessórios médicos, como pulseiras e relógios conectados. O doutor em computação, Allan Douglas Costa, enumera algumas aplicações melhoradas com a nova tecnologia.

Em termos práticos e do dia a dia, as videochamadas devem se tornar mais claras. A experiência de jogos online também deve ser aprimorada. As transmissões de vídeo ao vivo devem travar menos e perder sinal em meio a uma multidão será mais raro. As operadoras geralmente não oferecem acesso exclusivo a um tipo de tecnologia de rede, mas cobram pela franquia de dados utilizada: quanto mais se navega, mais se paga.

As empresas ainda não definiram se haverá reajustes nos preços em seus pacotes, pois ainda vão levar meses até que a tecnologia esteja disponível.

(Agência Brasil)

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Facebook
WhatsApp