Cacoal/RO, 18 de junho de 2024 – 11:03
Search
Anuncie aqui
Search
18 de junho de 2024 – 11:03

Governo uruguaio ‘imita Maduro’ e surpreende ao reivindicar posse de territórios brasileiros

Anuncie aqui

Isso porque o país vizinho comunicou ao governo brasileiro, por meio de sua diplomacia, que quer ‘reaver’ territórios que considera seus por direito histórico.

Os locais em questão são o povoado gaúcho de Tomás Albornoz e uma pequena ilha fluvial na foz do rio Quaraí, cujo nome, veja só, é ‘Ilha Brasileira’

“Uruguai reivindica a posse (…) baseando-se em interpretações divergentes de tratados históricos com o Brasil. A disputa, confinada até agora a debates diplomáticos, destaca questões de fronteira e soberania entre os dois países”, diz a publicação.

Segundo uma reportagem da BBC, desde o século XIX, as fronteiras entre os dois países foram demarcadas pelo Tratado de 1851, mas disputas surgiram em 1930 quando o Uruguai passou a questionar a validade desse acordo.

Localizado dentro dos limites do município de Santana do Livramento, o povoado de Tomás Albornoz tem apenas 100 habitantes, possui apenas uma escola pública construída pelo Brasil, mas conta com os demais serviços essenciais, prestados pelo Uruguai.

Uma rápida pesquisa no Google Maps revela que a vila é contornada por linhas pontilhadas, justamente por não estar evidenciado a que país pertence.

Já a Ilha Brasileira, situada na foz do rio Quaraí, foi morada do fazendeiro José Jorge Daniel até 2011, mas atualmente está desabitada.

O Uruguai argumenta que mudanças geográficas alteraram a localização da ilha desde o tratado de 1851, o que deveria transferir a soberania para o Uruguai.

A diplomacia brasileira, através de declarações do Itamaraty, garante que os termos do tratado de 1851 ainda são válidos e não considera a questão como parte das discussões bilaterais atuais com o Uruguai.

Assim, o Uruguai ‘imita’ uma decisão recente do narcoditador venezuelano Nicolás Maduro, que reivindica a posse de uma parte majoritária do país vizinho, a Guiana.

Mas enquanto lá, Maduro ameaça até entrar em guerra para tomar o território, no caso da ilha e da vila, hoje sob posse do Brasil, talvez seja entregue de ‘bandeja’, tão logo o atual presidente, o ex-sindicalista Lula, tome conhecimento do pedido.

Para quem já entregou, de graça, uma refinaria da Petrobrás para os bolivianos, o que é uma ilha desabitada e uma vila abandonada?

(Fonte: Jornal da Cidade Online)

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Facebook
WhatsApp