Rondônia, 14 de julho de 2024 – 18:45
Search
Anuncie aqui
Search
14 de julho de 2024 – 18:45

NO ALMOXARIFADO DESDE 2017! Dr. Paulo solicita UTIs Neonatais para o Materno Infantil de Cacoal

Anuncie aqui
Equipamentos que compõem os 09 leitos de UTI neonatal estão parados, desde 2017, no almoxarifado do Hospital Regional de Cacoal

 

Em reconhecimento ao mês da mulher e por ser defensor nato das causas sociais, o vereador Dr. Paulo Henrique (PTB) solicitou, via indicação, durante o discurso desta segunda, 14/03, que a Secretaria de Estado da Saúde celebre termo de cooperação entre Estado e Município de Cacoal para que os 09 leitos de UTI Neonatal e o leito móvel sejam destinados ao Hospital Materno Infantil de Cacoal visando o atendimento das gestantes que compõem a regional da capital do café. A aquisição das UTIs Neonatais é fruto de emenda parlamentar do ex-deputado federal Nilton Capixaba (PTB).

De acordo com o vereador, aproximadamente 04 mil gestantes com gravidez de alto risco são atendidas pelo Governo do Estado, no Hospital de Base, com o uso de UTI Neonatal na cidade de Porto Velho. Fato que se mostra inaceitável a não implantação e não funcionamento da UTI Neonatal no Hospital Regional de Cacoal ou no Hospital de Referência como o Materno Infantil de Cacoal. Mães e nascituros são obrigados a transitarem em rodovias esburacadas, com o intuito de tentar salvar vidas.

“Desde 2019, mesmo antes de ser vereador, já denunciava o descaso deste governo com a nossa população. As Incubadoras e diversos equipamentos que compõem os 09 leitos de UTI neonatal estão parados, desde 2017, no almoxarifado do Hospital Regional de Cacoal. Isso é abominável e repugnante” destacou o vereador.

De acordo com o Ministério da Saúde, no Brasil nascem quase 40 prematuros por hora, ou 900 por dia. Nos estados onde o número de unidades é menor, a ocorrência de mortes tem sido mais alta, especialmente nos estados do Norte e Nordeste brasileiros. A mortalidade neonatal (número de óbitos de crianças com menos de 28 dias de idade) por mil nascidos vivos é inversamente proporcional ao número de leitos disponíveis.  (Assessoria de Imprensa)

 

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Facebook
WhatsApp