Cacoal/RO, 26 de fevereiro de 2024 – 11:28
Search
Search
26 de fevereiro de 2024 – 11:28

O DIA 5 DE MARÇO NA HISTÓRIA


Lúcio Albuquerque – [email protected]

BOM DIA 5 DE MARÇO!


COMEMORA-SE
Dia do Filatelista brasileiro. Dia Nacional da Música Clássica (homenagem ao nascimento de Villa Lobos). Dia da Integração Cooperativista. Católicos lembram São João José da Cruz e Santo Adriano.

FATOS
1616 – Livro de Nicolau Copérnico “Das revoluções das esferas celestes” é adicionado, pela Igreja Católica, ao Índice de Livros Proibidos 73 anos depois de publicado a 1ª vez.

1837 – Falece Alessandro Giuseppe Antonio Anastasio, Pioneiro da idade e da potência, creditado como o inventor da pilha voltaica e o descobridor do metano.

1830 – Circula o primeiro exemplar do Jornal Matutina Meiapontense, em Meia Ponte (Atual Pirenópolis, Goiás). Este é o Primeiro Jornal do Centro-Norte brasileiro.

1887 – Nascimento do músico brasileiro Heitor Villa Lobos – principais obras: Bachianas e Uirapuru.

1909 – Nasce Antonio Gonçalves da Silva, um dos principais representantes da arte popular nordestina do século XX. Conhecido por Patativa de assaré.

1940 – O ditador soviético Josef Stalin manda executar 25.700 poloneses no que será conhecido como o Massacre de Katyn.

1946 – Winston Churchill, usa pela primeira vez a expressão “cortina de ferro” para designar os limites da Europa sob o domínio comunista.

1953 – Morreu um dos maiores ditadores que o mundo conheceu: Josef Stalin, da União Soviética.

2000 – Papa João Paulo II beatifica 30 mártires do Rio Grande do Norte, trucidados por índios e holandeses em 1645.

2015 – O Estado Islâmico destrói sítios arqueológicos milenares e patrimônio cultural da humanidade no Iraque.

FOTO DO DIA

569054d8 Cf38 44f9 81f0 Ae629861eee7

1976 – Roberto Carlos em Porto Velho. Já em pleno auge, o “rei” da Jovem Guarda desceu no aeroporto do Belmont, hospedou-se no Hotel Guaporé (na Sete de Setembro com a Campos Sales) para uma única apresentação, na quadra do Ferroviário, num dia de muita chuva. O jornalista Ciro Pinheiro lembra: “Eu e a primeira dama dona Gilsa Guedes (esposa do governador Humberto Guedes) fomos ao hotel e ela pediu que ele voltasse para uma apresentação beneficente”. O jornalista Zé Catraca foi ao show. “A quadra era descoberta e ele entrou por uma porta aberta especialmente para ele, quando as luzes foram todas apagadas”. Zé Catraca destaca: “A frieza da plateia. Não houve aquele desespero comum a suas apresentações e creio que ele saiu daqui decepcionado”. (Na foto Ciro, dona Gilsa e Roberto Carlos)

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Facebook
WhatsApp