Operação resgata 337 trabalhadores de condições análogas à escravidão

Além delas, cinco crianças e adolescentes, quatro migrantes paraguaios e venezuelanos, também foram salvas

Coletiva sobre resultados da Operação Resgate 2, ação conjunta de combate ao trabalho análogo à escravidão no país

 

A segunda edição Operação Resgate, que tem por objetivo combater trabalhos de condições análogas à escravidão, libertou 337 pessoas em julho. Além delas, cinco crianças e adolescentes, quatro migrantes paraguaios e venezuelanos, também foram salvas. O Ministério Público Federal aponta que pelo menos 149 dos resgatados também foram vítimas de tráfico de pessoas. A ação, que começou no dia 4 de julho e segue ainda em andamento, conta com fiscalizações em 22 estados brasileiros e no Distrito Federal. Durante a operação, foram lavrados aproximadamente 660 autos de infração de trabalho análogo ao escravo, trabalho infantil, falta de registro na carteira de trabalho e descumprimento de normas de saúde e segurança no trabalho.

Além do MPF, integram a força-tarefa da Operação Resgate II a Subsecretaria de Inspeção do Trabalho (SIT) do Ministério do Trabalho e Previdência, o Ministério Público do Trabalho (MPT), a Defensoria Pública da União (DPU), a Polícia Federal (PF) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Por Jovem Pan

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp

Últimas