Reuniões marcam alinhamento da realização do prêmio Samuel Benchimol

 

Uma série de reuniões marcou a estada do curador do Prêmio Samuel Benchimol, José Rincón Ferreira, em Porto Velho, na última semana, para divulgar a importância da iniciativa, que tem por objetivo maior reconhecer e agraciar projetos que atuam no desenvolvimento sustentável da Amazônia. Este ano, a Federação das Indústrias do Estado de Rondônia (FIERO) sediará a cerimônia de outorga, marcada para o dia 25 de novembro. As inscrições dos projetos podem ser efetuadas até o próximo dia 15.

De acordo com a comissão organizadora, até a última sexta-feira, 8, 45 trabalhos já tinham sua inscrição efetivada. Além do Prêmio Samuel Benchimol, é realizado concomitantemente, o Prêmio Banco da Amazônia de Empreendedorismo Consciente. Dentre os requisitos para inscrição dos projetos, precisam que estejam diretamente relacionados formalmente com o desenvolvimento e sustentabilidade da Amazônia. Os interessados em inscrever suas propostas podem acessar o Portal do Prêmios da Amazônia.

Em uma das reuniões, o superintendente da FIERO, Gilberto Baptista, ressaltou que o empresário Samuel Benchimol era um homem que viveu à frente do seu tempo. “Ele foi uma das primeiras pessoas que pensou a Amazônia para quem vive nela, sempre observando as questões da sustentabilidade ligadas à qualidade de vida da sua população”, afirmou.

O Prêmio Samuel Benchimol está dividido em duas categorias: a primeira contempla trabalhos economicamente viáveis, ecologicamente adequados, politicamente equilibrados e socialmente justos, intitulada Projetos de Desenvolvimento Sustentável na Região Amazônica, e a segunda homenageia personalidade do meio empresarial ou acadêmico, que se destacou em prol do desenvolvimento sustentável na região, intitulada “Personalidades dedicadas ao Desenvolvimento Sustentável da Região Amazônica”.

Já o Prêmio Banco da Amazônia de Empreendedorismo Consciente contempla duas naturezas de premiação: a primeira cujo objetivo é revelar o potencial de transformação da Região Amazônica por meio de conceitos e práticas de Economia Criativa, Economia Verde ou Agroecologia e Produção Orgânica, intitulada Iniciativa de Desenvolvimento Local (IDL). A segunda categoria de premiação é honorífica, abrangendo duas distinções: o reconhecimento de Empresas (Empresa na Amazônia) e de Microempreendedores de Sucesso na Amazônia (Prêmio Florescer).

Imprensa/FIERO

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp