Anuncie aqui
Anuncie aqui

CACOAL: A POLÍTICA, AS REDES SOCIAIS E A FORMA DE GOVERNO…

O advento do avanço tecnológico trouxe incontáveis benefícios à humanidade, em todos os setores, mas os problemas vieram na mesma proporção, em determinados setores. Especialmente no caso das redes sociais, não se pode negar a evolução, visto que a comunicação se tornou muito mais veloz, abrangente e precisa. Infelizmente, e com a mesma velocidade, o surgimento de mentiras, fofocas, distorções e a negação da estrutura política e administrativa do Brasil ganham força com uma intensidade sem precedentes. Claro que a incidência destes fatos em Cacoal não poderia ser diferente e, diariamente é possível constatar muitos casos vexatórios, principalmente partindo de pessoas que possuem total aversão aos livros e à leitura…
   
A Constituição Federal da República Federativa do Brasil é uma das maiores vítimas das redes sociais e um dos livros mais ignorados pelos “cientistas políticos” formados pelo feicibuque ou uatizápi, porque essas pessoas dão sinais claros de que nunca leram uma mísera linha da Carta Magna. As páginas preferidas pelos incautos que adoram rasgar a Constituição Federal são aquelas em que aparecem os artigos 1°, 2°, 3°. Outras vítimas são artigos que tratam dos direitos e garantias individuais e coletivos; e, ainda, os artigos de proteção a esses dispositivos, como é o caso do Art. 60, principalmente em seu§ 4°. Aliás, o Art. 60 é justamente o que trata das chamadas Cláusulas Pétreas; mas não adianta falar das cláusulas pétreas para os “cientistas políticos” formados pelo feicibuque ou uatizápi, visto que eles possuem um sistema encefálico muito mais pétreo… A Forma de Governo é outro grande problema na cabeça das pessoas que possuem aversão pelos livros. Para essas pessoas, o presidencialismo é quando uma única pessoa manda no país. Essa forma de governo não existe nem mesmo no sistema monárquico. Uma das raras monarquias que se aproximam daquilo que desejam os brasileiros que não gostam de ler está na Jordânia, talvez muito mais pelas características paleolíticas daquele país oriental. Na Jordânia, o rei é Chefe de Estado e Chefe de Governo, enquanto o primeiro-ministro é o príncipe herdeiro. Agora, convenhamos, o Cavalão  não leva jeito nem para deputado do baixo clero, da mesma maneira que Laranjinha, Moranguinho e Bananinha não apresentam o menor cacoete para príncipes…
 
A falta de leitura, a aversão pelos livros e o amor incondicional pelas notícias falsas causam um grande transtorno na vida de muitos apedeutas cacoalenses, com destaque para aqueles que trazem na cabeça a ideia do “bipartidarismo”. Existem muitas pessoas em Cacoal que pensam que só há dois partidos no Brasil: o Partido da Família do Presidente e o “Petê”. Recentemente, em um desses tantos grupos de uatizápi de Cacoal, um desses fanáticos esbraveja que não sabia por que o Petê havia ficado “16 anos no poder” e não tinha mudado as leis do país. Primeiro, vale informar que o Petê teve o cargo de presidente por 13 anos e oito meses; não foram 16 anos. Segundo, é necessário esclarecer que a atribuição de mudar as leis do país é do Congresso Nacional; não de partidos… O Petê teve o cargo de presidente; mas jamais teve o poder, assim como acontece com o Cavalão…
 
A alusão ao Art. 60 da Carta Magna tem exatamente a finalidade de informar que, para mudar uma única palavra da Constituição Federal, são necessários 308 votos, na Câmara dos Deputados. Durante o período do governo Dilma Rousseff, o Petê chegou a eleger 88 deputados federais. Com esse número não é possível nem mesmo apresentar uma PEC. E, ainda que um partido tenha os 308 deputados federais, não é o suficiente para mudar as leis do país. Faltará a esse partido ter ainda 49 senadores. Atualmente, o  partido com o maior número de senadores é o   MDB, com 14 senadores. Com esse número, também é impossível mudar as leis…
 
Uma cidade universitária, como é o caso de Cacoal, não pode ter uma quantidade tão grande de pessoas que não gostam de ler. A cidade precisa refletir sobre isso!! Querer mudar as leis do país pela via do uatizápi é algo insano. Antes de tentar mudar a Constituição Federal, talvez seja mais fácil tentar mudar a Lei Orgânica de Cacoal, porque isto é possível com apenas 08 votos dos vereadores. Os dois filósofos da honestidade já tentaram mudar algumas coisas na Lei Orgânica de Cacoal, todavia não foi possível, por várias razões… Enquanto muitos apedeutas sonham com a Monarquia da Jordânia, nosso país segue em busca de paz, na luta contra o coronavírus, com a República e o Presidencialismo… Tenho dito!!!
FRANCISCO XAVIER GOMESProfessor da Rede Estadual e Articulista

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp