Cacoal/RO, 20 de maio de 2024 – 07:51
Search
Search
20 de maio de 2024 – 07:51

Coluna Boca Maldita – CURRAL ELEITORAL

 

MOURA ESTEVE NA SESSÃO

 O prefeito de Cacoal, Adailton Fúria, parece mesmo disposto a cortar relações políticas com o governador Marcos Rocha, situação que poderia causar enormes prejuízos para o município de Cacoal. Como é do conhecimento de todos os vereadores cacoalenses e do próprio prefeito, o governo estadual tem feito muitos investimentos na Capital do Café. É claro que os investimentos são resultantes da obrigação do governo com o município e também porque o coronel Marcos Rocha sempre obteve da população de Cacoal expressivas votações nas eleições que disputou. Porém, um racha neste momento certamente não é bom para o município. Movido pelo sentimento da pré-campanha, o prefeito tem usado suas redes sociais para fazer inúmeras críticas contra o governo de Rondônia, embora muitas dessas críticas não encontrem respaldo na realidade dos fatos. O prefeito de Cacoal ou de qualquer outro município não precisa ter nenhuma relação de fidelidade política ao governador, mas negar o apoio que Cacoal tem recebido do coronel realmente não parece ser o melhor caminho a ser seguido pelo prefeito de Cacoal.

 SECRETÁRIO DE GOVERNO

 Na sessão ordinária da última segunda-feira, na Câmara de Cacoal, o Secretário Regional de governo, José Moura dos Santos, usou a tribuna da Casa de Leis para apresentar um relatório das ações do governo do estado no município e deixou claro que a parceria entre município e governo, muitas vezes, conta apenas com a fidelidade do governador. Segundo José Moura, o estado paga a energia elétrica do Pronto Atendimento Municipal (PAM), paga o serviço de vigilância da unidade e outras necessidades. O prédio onde funciona o PAM também pertence ao governo do estado. Além disso, José Moura citou outros investimentos como a manutenção e pavimentação de ruas e avenidas de Cacoal, revelando a dependência que o município tem em relação ao governo estadual. Para muitas pessoas próximas ao governador, o grande problema na relação com Cacoal é exatamente a falta de clareza nas declarações do prefeito e dos vereadores que defendem a administração municipal, porque eles tentam esconder as ações do estado na Capital do Café e fazem grande esforço para tentar dar os créditos ao prefeito, o que não corresponde à realidade. Algum tempo atrás, o prefeito declarou que poderia fazer no município uma saúde de qualidade, caso o governo devolvesse ao município os servidores municipais que estavam à disposição do estado. Os servidores foram devolvidos, mas a situação da saúde municipal continua precária.

ESTADO x MUNICÍPIO

Durante a sessão em que compareceu o secretário regional de governo, o vereador Paulinho do Cinema reclamou das críticas feitas sobre o PAM, feitas pelo vereador Paulo Henrique. Segundo Paulinho do Cinema, como o secretário José Moura é funcionário do governo estadual, somente poderiam ser falados na sessão assuntos referentes ao setor estadual de saúde. Esse é um grande equívoco do vereador Paulinho do Cinema, porque ele tem todo o direito de tentar impedir que as informações sobre a falta de estrutura também nas unidades municipais sejam reveladas. Entretanto, não dá para negar que as deficiências nas unidades municipais existem. Essa história de falar somente sobre o estado não tem coerência e  isto foi muito bem pontuado pelo vereador Toninho do Jesus, quando disse que tem que falar, sim sobre as duas esferas de governo. Na realidade, os vereadores não possuem o hábito de visitar os hospitais, nem municipais, nem estaduais. Eles costumam falar apenas com base em troca de mensagens com servidores comissionados do PAM, que certamente não dizem a verdade sobre as deficiências. O vereador Paulinho do Cinema deve ter seus motivos para tentar esconder a realidade das unidades municipais, mas tentar impedir os demais vereadores de falar foge dos limites do mandato.

VEREADORES DESMENTIDOS

A participação do secretário de governo na sessão da Câmara Municipal também revelou um dado muito curioso e importante. José Moura citou os nomes de todas as ruas e avenidas que foram asfaltadas ou recapeadas pelo governo de Rondônia em Cacoal. Ele citou também os valores empregados pelo governo na pavimentação dessas ruas e avenidas. Curiosamente, todos os nomes de ruas citadas pelo secretário do governo Marcos Rocha são as mesmas que alguns vereadores costumam citar e dizer que foi o gabinete deles que arrumou os recursos, que fez projetos e que liberou recursos. Claro que não é verdade o que dizem os vereadores, tanto que nenhum deles contestou as informações dadas pelo secretário José Moura. Caso os recursos tivessem sido mesmo conseguidos pelos vereadores, eles teriam rebatido as declarações de José Moura. Nenhum dos vereadores contestou o secretário e alguns até deram os parabéns. Aliás, os vereadores que atacam o governo são exatamente os vereadores da base do prefeito e, nos bastidores, corre a notícia de que eles teriam sido doutrinados pela administração para fazer os ataques contra Marcos Rocha, contra o secretário de estado da saúde e contra as unidades de saúde do estado instaladas em Cacoal. Pelo lado do governo, as pessoas falam de ingratidão e reclamam que o prefeito e seus vereadores escondem as informações sobre as ações do governo no município.

CONCURSO PÚBLICO

 Durante a sessão que contou com a presença do secretário de governo, o vereador Edimar Kapiche fez um duro discurso e cobrou do secretário que o governo de Rondônia faça concurso público para o preenchimento de vagas no setor de saúde pública. Segundo o vereador, o sistema de teste seletivo que o governo estadual utiliza para contratar servidores não resolve a situação, porque existem muitas pessoas formadas esperando que aconteça um concurso público para que ingressem de maneira efetiva na carreira e possam ajudar no atendimento à população. Talvez o vereador Edimar Kapiche não saiba, mas o prefeito de Cacoal também não tem nenhuma simpatia pela realização de concurso público e o sistema de teste seletivo na Prefeitura de Cacoal é realizado todos os dias. Aliás, nos corredores da prefeitura, muita gente fala que basta entregar o currículo para um dos vereadores da base do prefeito, que o contrato fica mais fácil. Pode até ser boato, mas a realidade é que existem diversas pessoas muito próximas aos vereadores da base aliada que realmente conseguiram contratos através de testes seletivos. Então, os vereadores deveriam cobrar também do prefeito a realização de um concurso público, porque existe uma carência muito grande de profissionais em todos os setores do município, principalmente no setor de saúde.

 JABÁ MOREIRA

 O ex-vereador Mário Moreira, conhecido popularmente como Jabá, também decidiu reagir aos ataques feitos pelo prefeito de Cacoal e pelos vereadores da base aliada do prefeito contra o governador. Aliado do coronel Marcos Rocha, Jabá Moreira mostrou, em duas ou três lives, diversas informações oficiais do governo de Rondônia que revelam a realidade dos atendimentos no HEURO e Hospital Regional de Cacoal. Logicamente que há deficiências na estrutura de atendimento, mas a realidade é que os números oficias mostram que os atendimentos têm sido feitos. Jabá Moreira também citou como um dos grandes problemas em relação ao setor de saúde em Cacoal a falta de ações e projetos dos deputados estaduais eleitos por Cacoal nas eleições de 2022. Os dois deputados de Cacoal fazem parte da base aliada do governador Marcos Rocha e conhecem os problemas do HEURO e do Hospital Regional. Além de fazerem parte da base aliada do governador, o deputado Cássio Gois é vice-presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Rondônia. Então, ele também pode propor melhorias nas unidades de saúde de Cacoal através da comissão onde ocupa a vice-presidência.

 MATERNO INFANTIL

 As discussões sobre o setor de saúde municipal e estadual em Cacoal nem sempre revelam todas as verdades, principalmente quando as informações partem de discursos dos vereadores ligados ao prefeito Adailton Fúria. No caso do Hospital Materno Infantil, de inteira responsabilidade do prefeito, não existe sequer o serviço de raio x para atender as crianças recém-nascidas. Praticamente todos os dias, crianças que nascem no Materno Infantil são colocadas em ambulâncias e levadas ao HEURO para fazer raio x. Esse procedimento oferece às crianças recém-nascidas um alto risco de infecção e não dá para entender por que os vereadores não falam desse assunto. Eles costumam dizer que tudo no Materno Infantil funciona de maneira maravilhosa e que até mesmo seus filhos são atendidos na unidade. É provável que os filhos dos vereadores não tenham necessitado fazer exames de raio x no Materno Infantil, mesmo porque eles podem fazer isso em clínicas particulares. Mas as crianças recém-nascidas não podem ser submetidas ao risco de infecção e outros problemas pela falta de um aparelho de raio x. Isso realmente é inaceitável.

 SONEGAÇÃO FISCAL

 O Grupo de Atuação Especial de Combate à Sonegação Fiscal e aos Crimes contra a Ordem Tributária do Ministério Público de Rondônia (GAESF) denunciou recentemente um esquema de sonegação fiscal em Rondônia. Segundo as denúncias, cerca de 63 milhões de reais em ICMS foram sonegados somente nos primeiros três meses deste ano. Os valores, segundo o Ministério Público, são superiores aos valores sonegados em todo o ano passado. O Ministério Público também informou que cerca de 11 milhões de reais oriundos de sonegação foram recuperados. Vale destacar que os recursos do ICMS possuem a finalidade de realizar investimentos na saúde, educação, segurança pública e diversos outros setores. A sonegação de impostos representa uma ação criminosa contra os investimentos que visam atender aos anseios da população, já que os impostos são pagos pelo contribuinte. A partir das denúncias formalizadas pelo Ministério Público, é possível que as empresas acusadas de sonegação sejam investigadas e punidas pelos atos contra a fazenda estadual.

CURRAL ELEITORAL

A  campanha eleitoral oficial ainda não começou, mas alguns fatos já causam conflitos bem tensos entre pré-candidatos e eleitores. A fala do prefeito Adailton Fúria sobre os futuros candidatos a vereadores e sobre a campanha no distrito de Riozinho causou mal-estar entre os moradores da localidade. Em áudio que circula nas redes sociais, o prefeito afirmou que não vai aceitar que outros candidatos a vereadores façam campanha e peçam votos no Riozinho, porque, no entendimento do prefeito, os eleitores daquele local devem votar apenas nos vereadores Paulinho do Cinema e Ezequiel Câmara (o Amendoim). As declarações do prefeito não representam a primeira ação política desse gênero em relação aos moradores do Riozinho. Pouco tempo atrás, o vereador Paulinho do Cinema usou a tribuna da Câmara de Cacoal para declarar que o Riozinho é um “curral eleitoral” dele e do vereador Amendoim. Presente à sessão, o vereador Amendoim, que foi eleito com maioria de votos no Riozinho, não disse nada sobre o fato, o que presume a ideia de que teria concordado. Diversas pessoas que moram no Riozinho rebateram as declarações do prefeito e manifestaram sua indignação pelo fato de políticos de Cacoal defenderem a ideia de que o Riozinho é um curral eleitoral. Situação realmente lamentável!

 

 

 

 

 

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Facebook
WhatsApp