Rondônia, 18 de julho de 2024 – 03:28
Search
Anuncie aqui
Search
18 de julho de 2024 – 03:28

Coluna do Xavier – Cacoal: A Administração, os Vereadores e os Presidentes de Bairros…

Anuncie aqui

As pessoas que acompanham as sessões da Câmara de Cacoal certamente já observaram que diversos vereadores adotaram a mania de atacar presidentes de bairros e dizer que eles estão fazendo as funções dos vereadores, para tentarem “mostrar serviço” e tentar uma das 12 cadeiras do legislativo cacoalense. Essa crise de emulação não faz o menor sentido, embora boa parte dos presidentes de bairros negociem benesses pessoais ou eleitorais com a administração municipal. Claro que a razão dessa pendenga é a eleição de outubro, ou pelo menos prevista para outubro, visto que os atuais vereadores pretendem ficar no mandato; e os presidentes de bairros, muitos deles arrivistas políticos, buscam um lugar ao sol ou aos olhares atentos da prefeita, que busca seduzir ou cooptar cabos eleitorais baratos e dispostos a explicar marcas de batom em cueca, a partir de agosto. Os vereadores que tentam alcançar o patamar dos presidentes de bairros o fazem, porque, até hoje, não descobriram quais são as atribuições de um mandato municipal. Alguns levarão mais uns 257 anos para descobrir. Claro que nem todos os vereadores disputam a atenção da prefeita, pois três ou quatro preferem exercer o mandato…

Os presidentes de bairros não sabem por que os vereadores estão magoados com eles; mas os vereadores também não sabem o motivo. A questão é muito simples: Em todas as sessões da Casa de Leis, o secretário da Mesa Diretora passa cerca de 40 a 50 minutos lendo pedidos de vereadores para a prefeitura tapar buracos de ruas. Uma câmara cujo maior índice de pedidos é tapar buracos não tem nenhuma noção de sua função. Além disso, alguns vereadores imaginam que a função de fiscalizar o Executivo é telefonar fazendo fofoca sobre buracos em ruas de diversos bairros. Essa tem sido a tônica!!! O grande problema é que os debutantes ao legislativo colocaram na cabeça que fazer esse tipo de pedido é verear, ou seja, a usurpação está na cognição dos que exercem o mandato e dos que desejam exercer. Essa escolinha da mediocridade não pode gerar bons frutos legislativos, porque a pré-campanha já está viciada. Esses neófitos que buscam ofuscar seus concorrentes estão fazendo cursinho para solicitar que a administração 2021/2024 tenha como função precípua tapar buracos de ruas. Isso sem falar nos pré-candidatos que estão dizendo para seus futuros eleitores que já possuem “projetos” registrados em cartórios. Então vejamos: as principais funções de um vereador são fiscalizar os atos do Executivo, elaborar ou alterar leis municipais. Quem disse que para fazer isso precisa de registro em cartório?? O que é que um cartório tem a ver com mandato de vereador?? Absolutamente nada!!! Somente uma pessoa muito trouxa acredita nesse tipo de candidato…

Agora, vamos refletir sobre a conduta da prefeita, acusada pelos edis de aliciar presidentes de bairros. Se ela realmente estiver fazendo isso, é algo péssimo, porque estaria preparando muito mal os futuros vereadores. Se existem presidentes de bairros que estão se deixando ser aliciados, é péssimo isso, porque estariam treinando para serem mamulengos da futura administração. Outra coisa que não se pode olvidar é que qualquer tentativa de aproximação com presidentes de bairros, neste período de pré-campanha, tem como única finalidade benefícios eleitorais, porque muitos presidentes de bairros falam em rodinhas políticas que controlam todos os votos do bairro. Claro que isso não é verdade, porque existem muitos bairros de Cacoal nos quais o presidente foi eleito com 30 votos. Eu moro, há dez anos, no mesmo bairro e não faço a menor ideia de quem seja o presidente do bairro. Obviamente que nem todos os presidentes de bairros são oportunistas eleitorais. A maioria deles nem vai disputar eleição. Mas aqueles que estão negociando benesses ou prebendas com a atual administração e que são pré-candidatos, estão falando apenas em nome da família deles, porque nenhum bairro da cidade fez escolha de pré-candidato a vereador. Aliás, existem muitos pré-candidatos que condenam tanto a “velha política” e não percebem que essa estratégia de aliciar presidente de bairro é do tempo em que Obedis nadava nas límpidas águas do rio Pirarara.  E os vereadores ficam bravos pelo fato de estarem em patamar inferior aos presidentes de bairro. O problema de alguns vereadores é que eles negociaram cargos com a administração e agora querem verear, como se tivessem o entono de um presidente de bairro…

Vários vereadores sugerem que os presidentes de bairros não disputem a eleição, porque eles já conseguem pedir para tapar buracos de ruas e são atendidos. O problema é que a administração não paga aos presidentes de bairros o mesmo salário que o contribuinte cacoalense paga aos vereadores. A premissa de que lideranças de bairros estão fazendo cursinho sobre como pedir para tapar buracos de ruas deixa claro que pouca coisa mudará nos próximos mandatos. A situação pode ficar bem diferente, se, antes de começar a campanha, os vereadores que hoje disputam espaço com presidentes de bairros descobrirem que os presidentes de bairro não podem usurpar as funções oficiais do vereador. Se a função de um vereador fosse a mesma de um presidente de bairro, qual a razão que existiria para realizar eleições municipais no Brasil??? Apenas para citar um detalhe, a eleição de 2016 custou cerca de 600 milhões ao contribuinte. E não estamos falando de financiamento de campanha; esses gastos foram com a estrutura do Tribunal Superior Eleitoral. Vamos ver o que vai acontecer quando as urnas transformarem os atuais vereadores em presidentes de bairros… Tenho dito!!!!

FRANCISCO XAVIER GOMES

Professor da Rede Estadual e Articulista

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Facebook
WhatsApp