Cacoal/RO, 14 de junho de 2024 – 01:21
Search
Anuncie aqui
Search
14 de junho de 2024 – 01:21

Coluna do Xavier – Cacoal: O Patriotismo, a Independência e o Cristianismo Glotal…

Anuncie aqui

Os últimos fatos ocorridos no Brasil deixam muito claro que a população brasileira vive muito distante de alguns sentimentos, valores ou crenças pregados nas redes sociais, como sólidos, mas completamente ignorados na prática. Tudo não passa de hipocrisia e muita dissimulação. Claro que há exceções!! Sempre haverá exceções!! Mas a regra tem predominado com muita força. O patriotismo, a independência e o cristianismo estão surrados e são muito mais usados com finalidade política, ou visando lucro financeiro. São situações cuja profundidade não vai além da glote. Como o Rio de Janeiro, berço do bolsonarismo, é um péssimo exemplo, talvez seja melhor pensar que Rondônia configura a exceção e que em Nossa Amada Cacoal está a sede da exceção. Em Cacoal, todas as pessoas sabem o que significa a independência do Brasil, todas as pessoas são patriotas e todas as pessoas são cristãos de verdade…
A Copa do Mundo de Futebol é prova clara do patriotismo sazonal dos brasileiros. Aquela euforia toda que se verifica em jogos do Brasil não existe. Talvez exista em Cacoal, porque no Rio de Janeiro as pessoas torcem por outras seleções e clubes da Europa. Os patriotas do Rio de Janeiro juntam dinheiro, não se sabe de onde, e colocam em contas na Suíça ou em outros paraísos fiscais. Os patriotas do Rio Janeiro gostam de passar férias na Disneylândia, nas Ilhas Maldivas, em Dubai, ou então outros destinos fora do país, e voltam falando que o Brasil é um lixo. Os patriotas do Brasil adoram endeusar o presidente americano. Alguns dos principais patriotas brasileiros vivem nos Estados Unidos ou na Europa e se dedicam a falar mal do Brasil, mas estão, há anos, sem visitar o país em que nasceram. Segunda-feira, muitos desses patriotas de ocasião certamente vão se enrolar com a bandeira do Brasil e fazer fotos para compartilhar nas redes sociais. Aliás, o patriotismo dessa gente é muito forte nas redes sociais, embora, na prática, sejam sempre bajuladores de outras nações. Um dos mais evidentes casos de bajulação do Brasil foi a decisão do Governo do Ypiranga de abrir totalmente o acesso para americanos entrarem no nosso país; em retribuição, o governo americano proibiu a entrada de brasileiros no país de Donald Trump. Ainda bem que os cacoalenses nunca desejaram passar férias nos Estados Unidos. Nossa gente prefere sempre destinos brasileiros, destinos da nossa pátria…
O Rio de Janeiro também é um péssimo exemplo de cristianismo. No Rio de Janeiro, tem a Flordelis, o Wilson Witzel, o pastor Everaldo, o Crivella, o Queiroz, o Flávio Laranjeira, todos acusados de envolvimento com o crime, com a corrupção e com a esbórnia financiada pelo erário fluminense. Que coisa feia!!!! Em Cacoal, não existe isso!! Na Nossa Amada Cacoal, os pastores, padres e outros líderes religiosos são envolvidos apenas com a bíblia e com orações; eles nunca se meteram em política e jamais usam suas igrejas para fazer campanha eleitoral, e muito menos como comitê eleitoral de políticos da cidade. Nossos líderes religiosos também não aceitam ser nomeados em gabinetes de políticos e não aceitam que seus familiares sejam nomeados. Não tem essa de se misturar com políticos!!! No Rio de Janeiro e São Paulo, a situação é vergonhosa, porque há muitas igrejas envolvidas em campanhas eleitorais e muitos líderes religiosos trocando a bíblia por estatutos de partidos.
Com esta farra, o Rio de Janeiro virou terra sem lei e o crime tomou conta das instituições. O governador do estado, que ficou famoso porque criou um programa para matar pessoas pobres em favelas, acaba de ser afastado do cargo por suspeita de envolvimento em diversos trambiques com dinheiro público. Junto com a família Bolsonaro, Wilson Witzel pregava a moralidade, os valores de família, o cristianismo e o zelo pela coisa pública. Esse tipo de político realmente acaba com a imagem do país e revela que a população do Rio de Janeiro não consegue acertar mesmo. Agora, já sabemos que a moralidade e os valores cristãos pregados por muitos políticos do Rio e São Paulo são apenas glotais. Caso a população do Rio de Janeiro não consiga aprender votar, nas próximas eleições, vamos sugerir os dois filósofos da honestidade como candidatos naquele estado. Em Cacoal, não precisa, porque todos os políticos são perfeitos e possuem belos sorrisos!! Se a situação não melhorar, o belíssimo estado do Rio de Janeiro terá que fazer uma eleição para trocar o povo… Tenho dito!!!

FRANCISCO XAVIER GOMES – Professor da Rede Estadual e Articulista

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Facebook
WhatsApp