Rondônia, 21 de julho de 2024 – 08:47
Search
Anuncie aqui
Search
21 de julho de 2024 – 08:47

Polícias Civil e Militar de Cacoal cumprem 25 mandados de prisão

Anuncie aqui

No total, são 23 mandados de busca e apreensão e 25 prisões e mobilizou mais de 50 policiais

20200918 164924 960x815 1

A Polícia Civil do Estado de Rondônia, por meio da Delegacia Regional de Cacoal em ação conjunta com o 4º Batalhão da Polícia Militar, deflagrou na tarde desta sexta-feira (18.09.2020), a operação denominada “TURING”. O objetivo é desarticular Organização Criminosa que abastecia grande parte do comércio de drogas ilícitas em Cacoal.

De acordo com o delegado de Polícia Alexandre Baccarini que conduz o Inquérito Policial, os investigadores conseguiram ao longo de 4 meses de apuração colher inúmeros elementos probatórios da atuação criminosa dos envolvidos. Durante a investigação foram apreendido mais de 10 kg de cocaína avaliada em R$ 330.000,00.

Os policiais averiguaram que a remessa cocaína vinha de Porto Velho para Cacoal, e nesta cidade a era dividida e distribuída para diversos traficantes, que se dedicavam à venda do entorpecente para os usuários. O pagamento da droga era realizado através sistema financeiro, inclusive, com a utilização de contas bancárias de terceiros. Por este motivo várias contas foram bloqueadas por ordem do Poder Judiciário.

O grupo era liderado por D.M. que se encontra recolhido no sistema prisional de Cacoal, mas mesmo assim dava ordens e comandava o tráfico de drogas, com o uso de um aparelho de telefone celular. Do lado de fora, sua esposa E.D.S.P., liderava da cidade de Porto Velho, o núcleo logístico e financeiro da ORCRIM.

As ordens judiciais foram cumpridas nas cidades de Cacoal, Pimenta Bueno, Jí-Paraná, Guajará-Mirim e Porto Velho. No total, são 23 mandados de busca e apreensão e 25 prisões.

A operação policial mobilizou mais de 50 policiais e foi coordenada pelo Núcleo Integrado de Inteligência de Cacoal (PC/PM) contando com apoio de unidades de Cacoal, Porto Velho e  Guajará-Mirim. Também deram apoio as equipes PATAMO (Patrulhamento Tático Móvel) e CANIL da PM.

A operação foi batizada pelo nome de “TURING” porque durante as apurações, alguns investigados passaram a se comunicar por meio de sequência cifrada criada com o objetivo de dificultar o trabalho da polícia. No entanto, após exaustiva análise das cifras foram identificados o seu significado e a partir daí compreender o teor do conteúdo das mensagens interceptadas. O nome é uma referência a Alan Turing, um matemático e cientista da computação que durante a segunda guerra mundial se dedicou a quebrar códigos utilizados pelos alemães, como demonstrado no filme “O JOGO DA IMITAÇÃO”.

Fonte: Assessoria PC

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Facebook
WhatsApp