Coluna Boca Maldita – NÃO AGRADOU O PREFEITO 

CONVENÇÃO TRABALHISTA

O período determinado pela Justiça Eleitoral para a realização das convenções partidárias será de 20 de julho a 05 de agosto. Entretanto, é pouco provável que os partidos tenham interesse em realizar suas convenções logo nos primeiros dias da abertura do prazo estabelecido pela legislação. Pelas informações que chegaram à coluna, apenas o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) fará a escolha dos candidatos nos primeiros dias. A Convenção do PTB está marcada para o dia 23 de julho, na Câmara Municipal de Porto-Velho. O partido definirá os nomes que disputarão pela sigla as eleições de outubro e os nomes que terão o apoio do PTB para os casos em que o partido não tiver candidatos. Claro que muitas coisas podem mudar e pode haver, inclusive a mudança de data da Convenção do PTB, mas, por enquanto, está confirmada para a data e local citados. Se houver alguma alteração, manteremos nossos leitores informados.

 

ELEIÇÕES 2022

Ainda sobre as eleições, o Movimento Democrático Brasileiro (MDB), um dos partidos mais tradicionais da história de Rondônia, não deverá apresentar nomes para a sucessão estadual do governador Marcos Rocha. A sigla, que é liderada em Rondônia pelo deputado Lúcio Mosquini, trabalha para organizar as nominatas que estarão na disputa por cargos da Assembleia Legislativa e Câmara dos Deputados. Esta informação também pode sofrer mudanças, porque as articulações de última hora, em períodos de convenções, fazem parte da regra das eleições. O senador Confúcio Moura, por exemplo, estaria sendo pressionado por aliados para disputar o governo do estado, mas tudo leva a crer que ele não entrará na briga. Como os prazos se afunilam, os partidos se movimentam para encontrar o melhor espaço nos palanques e emplacarem suas lideranças, nesta verdadeira ciranda que são as eleições. Até este momento, MDB e diversas outras siglas buscam compor suas listas para deputados federais e estaduais, já que a briga pela única vaga de senador e para o executivo estadual será um duelo talvez nunca visto em Rondônia.

 

FIEL ESCUDEIRO

Até poucos dias atrás, o vereador Edimar Kapiche era tido como um dos nomes que poderiam entrar na disputa por uma das vagas de deputado estadual, porém as coisas mudaram. Ele gravou um vídeo e compartilhou nas redes sociais, informando que está fora da disputa e que a principal razão seria permanecer na Câmara de Cacoal, onde pretende aprovar projetos em defesa da população cacoalense. Entretanto, diversas versões para a desistência do vereador são debatidas nas principais rodas de política do município, entre elas o fato de que ele teria sido aconselhado pelo prefeito a não atrapalhar os candidatos que serão defendidos pela administração municipal. Como Kapiche é o fiel escudeiro do prefeito Adailton Fúria no legislativo de Cacoal, resta-nos aguardar para ver de que lado ele estará. Nos bastidores, circula a informação de que o prefeito está muito irritado, porque grande parte de sua base aliada na Câmara de Cacoal estará na campanha de concorrentes de seus pupilos. Vários vereadores disseram à coluna que preferem apoiar candidaturas com mais chances de vitória, o que teria irritado Adailton Fúria.

 

MATEMÁTICA ELEITORAL

À medida que se aproximam os dias das convenções partidárias, muitos pré-candidatos intensificam as contas para colocar sua campanha na rua no mês de agosto. Nas contas, eles incluem a possibilidade de votos dos colegas e concorrentes, como se soubessem com antecedência quantos votos cada candidato terá nas urnas. Logicamente que isto é possível saber apenas na noite de 02 de outubro, quando o Tribunal Superior Eleitoral e o Tribunal Regional Eleitoral vão informar os vencedores e os candidatos que eventualmente disputarão o segundo turno, caso haja em Rondônia. Mesmo assim, em todos os lugares onde o assunto é a eleição, é comum ouvir dizer que fulano terá tantos votos, cicrano terá tantos votos e assim por diante. Algumas pessoas chegam a citar até mesmo quantos deputados estaduais ou federais serão eleitos por cada partido, mas é bom o eleitor ficar atento, porque são meras especulações. Nas eleições de 2018, muitas contas semelhantes foram feitas, mas a maioria não passou de meros devaneios dos comentaristas políticos mais empolgados. No caso da Assembleia Legislativa, grande parte dos eleitos naquele ano foram candidatos que jamais foram citados nas avaliações que antecederam a eleição.

 

NÃO AGRADOU O PREFFEITO 

Na edição anterior da coluna, divulgamos algumas informações do cotidiano político de Cacoal, como acontece desde o início da década de 80. As informações divulgadas parecem não ter agradado o prefeito Adailton Fúria e alguns de seus assessores mais próximos, visto que eles reclamaram das publicações e até sugeriram a mudança de nome da coluna. No grupo de WhatsApp da Tribuna Popular, que conta com a participação de várias autoridades e amigos do jornal mais antigo da cidade, o prefeito teceu comentários e disse que o nome da coluna deveria ser “Coluna Papo Bom”, pois o nome já tradicional não é, segundo ele, o ideal para nossa cidade. Como o prefeito não era nascido, quando começamos, certamente ele pode não lembrar que, neste mesmo espaço, já divulgamos inúmeras informações muito positivas sobre Cacoal, porque o nome da coluna representa a ideia de que nenhum fato deve passar despercebido por nossos colaboradores. Claro que muitas vezes também divulgamos informações positivas sobre o prefeito, mas ele não é obrigado a lembrar. Assim, agradecemos à sugestão do prefeito e seguimos nossa labuta, objetivando que nossos leitores estejam sempre bem informados sobre todos os fatos da cidade, alguns nem tanto alvissareiros, como deseja o chefe do executivo.

 

REVISÃO EDITORIAL

Em rápida pesquisa realizada no arquivo de mais de quatro décadas da história da Tribuna Popular de Cacoal, localizamos diversas informações muito positivas sobre o prefeito Adailton Fúria, mas que já caíram no esquecimento daqueles que desejam apenas ser lembrados positivamente no presente. Entre as informações, encontramos a notícia da eleição do atual prefeito, que disputou as eleições para o cargo de vereador e foi eleito como o quinto mais votado, com 1.237 votos. Belíssimo resultado para um jovem que tinha então 25 anos de idade. Todas as informações positivas sobre o ex-vereador Fúria Eventos foram devidamente registradas por nossa equipe. Em 2018, quando ele foi eleito para deputado estadual, a BM também registrou o fato. Naquela ocasião, ele teve 12.859 votos. Claro que registramos a vitória do prefeito em 2020 e desejamos a ele muito sucesso no atual mandato, porque a Tribuna Popular sempre defendeu a cidade, nesses mais de 40 anos. Não é de nosso interesse que as ações administrativas e políticas do município deem errado. Assim, temos compromisso com a cidade e principalmente com a verdade dos fatos, sejam eles positivos ou negativos. E se alguma pessoa citada se sentir ofendida, teremos a humildade de fazer a devida retratação, sem nenhuma necessidade de incomodar o Poder Judiciário.

 

GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA

Poucos dias atrás, o prefeito de Cacoal, Adailton Fúria, gravou um vídeo pedindo que a população receba os funcionários contratados pelo IBGE para a realização do CENSO 2022. A iniciativa do prefeito é louvável, porque os números do IBGE são determinantes para que os municípios recebam diversos recursos e benefícios federais ou estaduais. Entretanto, ele afirmou no vídeo que a última vez em que o IBGE esteve em Cacoal foi em 2010. Esta informação não é verdadeira. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística está em Cacoal desde sua fundação e faz pesquisas diariamente sobre economia, comércio, agropecuária, produção de leite e vários outros temas. Sem esses dados, o município poderia perder muitos recursos, mas o IBGE cumpre com muito profissionalismo suas atribuições. Aliás, a Agência do IBGE em Cacoal é uma das mais elogiadas da região Norte, exatamente porque cumpre as metas com qualidade. Para as pessoas que não sabem, a Agência do IBGE de Cacoal fica a menos de 50 metros da Praça Municipal, ou seja, da calçada da prefeitura, é possível ver o IBGE. Assim, ao dizer que o IBGE está há mais de 10 anos ausente do município, o prefeito comete uma gafe. Uma visita ao órgão para conhecer como funciona seria muito interessante para o prefeito e também para os vereadores. Fica a dica!

 

ORÇAMENTO FURADO

Essa semana vazou um áudio em que o prefeito de Cacoal, Adailton Fúria, afirma que vai recolher todas as máquinas utilizadas para a manutenção de linhas rurais e urbanas para o pátio. O prefeito e alguns de seus assessores tentam colocar a população do município contra os vereadores, alegando que existem cerca de 18 milhões de reais que o município precisa receber e que a Câmara de Cacoal “estaria contra”. As coisas não são bem assim. Na realidade, o prefeito estourou praticamente todos os limites de rubricas orçamentárias e precisa adequar sua gestão. Então, ele precisa que a Câmara de Cacoal aprove quase 20 projetos, com diversos valores diferentes, para resolver os problemas da administração.  Como os vereadores estão em período de recesso, o prefeito apelou para um grupo restrito de WhatsApp, onde estão apenas os vereadores que obedecem cegamente às ordens da administração, para fazer pressão contra o legislativo. No citado grupo estão apenas seis vereadores de Cacoal e eles tratam de assuntos que os outros seis colegas não podem saber. Segundo dois assessores do prefeito, três vereadores da base aliada, e que fazem parte deste grupo restrito, são suspeitos de terem vazado o áudio, um vereador muito próximo ao prefeito declarou, no grupo dos vereadores, que está para abrir o jogo e contar tudo sobre como funcionam os esquemas.

 

PRÉ-CAMPANHA

Dentro da Câmara de Cacoal, muitos servidores e vários vereadores afirmam que as declarações do prefeito, no áudio vazado, são muito mais eleitorais do que administrativas. O problema seria pelo fato de que, por várias vezes, o prefeito pressionou o presidente da Câmara de Cacoal, João Paulo Pichek, para desistir da candidatura e apoiar a primeira-dama do município. Porém, segundo os vereadores e servidores da CMC que falaram com a coluna, o Pichek não tem nenhuma intenção de abandonar seu projeto para embarcar nas aventuras políticas do prefeito. Essa ideia de parar todas as máquinas e colocar a culpa nos vereadores seria uma estratégia do prefeito para causar desgaste no presidente da Casa de Leis, provável concorrente da esposa do prefeito. Pouco tempo atrás, em uma reunião ocorrida em um bairro da cidade, com a presença de vários moradores do bairro, o prefeito declarou que João Paulo Pichek não tem condições de ser deputado federal. Caso a esposa do prefeito e o presidente da Câmara de Cacoal sejam aprovados nas convenções de seus partidos para disputarem o mesmo cargo, o clima será de muita tensão entre o executivo e legislativo de Cacoal.

 

DOAÇÃO DE ÓRGÃOS

O vereador Paulo Henrique Silva já apresentou, em três anos e meio de mandato, alguns projetos realmente importantes na Câmara Municipal de Cacoal. Ele apresentou o projeto que cria benefícios sociais para mulheres vítimas de violência doméstica, que foi transformado em lei. Ele apresentou o projeto que tinha como finalidade criar no município hortas comunitárias para ajudar na alimentação de famílias de baixa renda e escolas municipais. Este projeto sobre as hortas comunitárias poderia ajudar muito nesses tempos de crise, em que muitas famílias encontram dificuldades para garantir a alimentação. O projeto das hortas foi reprovado pelos vereadores ligados ao prefeito, embora não tivesse nenhuma ilegalidade. Agora, pouco tempo atrás, antes do início do recesso dos vereadores, Paulo Henrique apresentou outra matéria muito importante. Trata-se do projeto de lei que cria benefícios e estímulos para pessoas doadoras de tecidos e órgãos. Este projeto deveria ser copiado por todas as câmaras municipais de Rondônia, porque tem uma importância significativa. O projeto do vereador, que já foi transformado em lei municipal e já está em vigor pode ser muito útil para atender pessoas que precisam de rim, fígado, medula, sangue, situação que atinge milhões de brasileiros. Parabéns ao vereador Paulo Henrique. Excelente projeto!

 

 

 

 

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp