Cacoal/RO, 3 de março de 2024 – 09:44
Search
Search
3 de março de 2024 – 09:44

Coluna do XAVIER: CACOAL: A COVID-19, OS VEREADORES E OS TELEFONES…

Francisco Xavier E1599229223641 150x150 1

A saúde pública em Rondônia nunca foi referência a ser seguida por nenhum outro estado e a maior prova disso é que muitos rondonienses costumam sair do estado a procura de outras unidades da federação, em busca de tratamento para diversas doenças. Com o advento da pandemia, ou melhor, da sindemia, que atingiu nosso país, desde março do ano passado, claro que as coisas ficaram muito piores. Centenas de rondonienses foram levados para diversos estados, por falta de UTI nas unidades de saúde de Rondônia. No caso específico da covid-19, é muito difícil afirmar que a situação poderia ter controle, porque estados muito mais estruturados chegaram ao colapso. É muito importante registrar que os trabalhadores do setor de saúde, tanto municipais, como estaduais, que atuam na saúde de nosso estado são absolutamente dedicados, embora nem sempre tenham as condições de trabalho ideais. Com o problema da pandemia, diversos municípios do estado tentaram criar estruturas locais para atender as vítimas, mas há muitos problemas a serem resolvidos. No caso de Cacoal, até os telefones anunciados pela administração causam transtornos aos pacientes…

Esta semana, uma senhora precisou de atendimento médico e pediu ajuda em grupos de uatizápi. Ela precisava dos telefones do Hospital de Campanha de Cacoal, criado para atender pessoas vítimas da covid-19 e divulgado em prosa e versos em todos os rincões de Nossa UrbeObediana e em todas as redes sociais. Ela ligou inúmeras vezes e, sequer, as ligações foram atendidas, o que configura uma tremenda falta de respeito, por parte da administração municipal, com as vítimas da covid-19, ou com pessoas que apresentam sintomas da doença. Incomodado pelo fato de saber que a pessoa não conseguia contato com o Hospital de Campanha e preocupado com os sintomas que a pessoa apresentava, tentei ligar várias vezes para os números indicados na propaganda do hospital. Não deu certo!! Como eu pedi ajuda em diversos grupos de uatizápi, o vereador Zivan Almeida entrou em contato comigo e pediu o telefone da pessoa que estava precisando de atendimento. Registros meus agradecimentos ao vereador e meu total repúdio ao serviço de telefonia brasileiro, que impediu as ligações de serem completadas. Uma administração que não consegue atender ligações em um hospital preparado para atender vítimas de covid-19 não pode fazer propaganda de que está tudo bem… É claro que não está tudo bem!!!!

A propósito deste fato, sugiro ao vereador Magnison Mota que procure saber a razão pela qual os telefones do Hospital de Campanha não funcionam, visto que, na propaganda, está escrito que o atendimento é 24 horas. Duvido que o vereador vá fiscalizar o Hospital de Campanha!! Duvido que ele critique o sistema de telefonia do hospital municipal!! Essa tática de atacar somente os hospitais estaduais serve para convencer apenas trouxas. Os vereadores não estão impedidos de fiscalizar unidades estaduais de saúde, é bem verdade, mas atacar somente o Hospital Regional e o HEURO configura uma conduta covarde, porque a UCS não funciona como deveria e os telefones do Hospital de campanha não funcionam, embora o vereador nunca tenha abordado tais assuntos. E que fique claro: eu não estou afirmando que os trabalhadores da saúde não funcionam; estou afirmando que a administração municipal não possui, sequer, um sistema de telefonia que permita às vitimas da covid-19 falarem que precisam de ajuda. Ainda que alguém atenda às ligações e diga que não tem como providenciar o atendimento, é melhor do que ser ignorado. A quantidade de vereadores que fingem fiscalizar a administração municipal talvez seja maior do que a quantidade de telefones que a administração disponibiliza para atender vítimas da covid-19, mas que não funcionam. É fácil atacar o HEURO; é fácil atacar o Regional; é fácil atacar o secretário de estado da saúde (que é um incompetente, na minha ótica), porém fingir que exerce mandato de vereador, externando excrementos no púlpito do PCC não é o caminho…

Para que não restem dúvidas, ou para que não se fale informações distorcidas, em momento algum dirijo as divergências deste texto a qualquer servidor da saúde municipal e muito menos aos dirigentes do Hospital de Campanha. Apenas afirmo que os telefones divulgados pela administração municipal não funcionam para o atendimento às pessoas contaminadas ou suspeitas de terem a covid-19. Entretanto, nenhum servidor pode ser culpado para falta de telefones em prédios públicos. O prefeito e os vereadores e que devem ser cobrados por isso, como se registra neste arrazoado. Não é possível que os telefones e as redes sócias das pessoas que assessoram Seo Antunes sirvam apenas para fazer campanha eleitoral. É preciso que funcionem para o Hospital de campanha… Tenho dito!!!

FRANCISCO XAVIER GOMES – Professor da Rede Estadual e Articulista

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Facebook
WhatsApp