Cacoal/RO, 3 de março de 2024 – 09:33
Search
Search
3 de março de 2024 – 09:33

COLUNA DO XAVIER: CACOAL: A EDUCAÇÃO, A PIA E O ÁLCOOL EM GEL…

francisco xavier e1599229223641 150x150 1

O estado de Rondônia possui uma das mais graves taxas de mortalidade do mundo, por cada 100 mil habitantes, mas esses dados têm sido completamente ignorados pelo secretário de educação e pelo governador de Rondônia, com a leniência de diversas instituições públicas do estado. Esta semana, o coronel Marcos Rocha divulgou um vídeo em que ele decreta a volta às atividades presenciais nas escolas, como se tivesse tudo muito bem no estado, em relação ao controle da covid-19. Claro que não está!!! No citado vídeo, o coronel do Pé Quebrado afirma que todas as escolas estão preparadas para “enfrentar bravamente” a pandemia, porque possuem pia e álcool em gel. Após ter retirado dos profissionais de educação a gratificação do Auxílio Transporte e ter mandado queimar na fogueira da inquisição suamysta milhares de livros da Literatura Brasileira, Marcos Rocha agora defende a tese de que é possível fazer educação de qualidade com álcool em gel e pias…

A ciência e todos os cientistas do mundo afirmam que, para proteger a população contra a covid-19, a única medida cientificamente comprovada é a vacina. Ao dizer que as escolas de Rondônia estão preparadas para o retorno seguro às atividades, o governador está zombando da cara da população. Existem até alguns diretores, desses que possuem amor incondicional pela portaria, repetindo as declarações do coronel. Todavia, afirmar que as escolas estão preparadas para a volta as aulas é uma balela; é uma falácia; um embuste… Quantas pessoas foram vacinadas em Rondônia com as duas doses de vacinas?Apenas 16% da população! Quantos estudantes de Rondônia foram vacinados contra a covid-19? Um número que não lota sequer uma sala de aula, num estado com quase 200 mil estudantes. Quantos profissionais de educação morreram de covid-19 em Rondônia? O secretário de educação e o coronel certamente não sabem, mas é um número alarmante. Quando é que o estado terá os estudantes vacinados? Por que somente a educação deve voltar e ignorar a pandemia, quando todos os demais órgãos funcionam virtualmente? Não é possível dizer que o estado está preparado para colocar dentro de sala de aula 200 mil alunos e todos os profissionais de educação. Somente uma pessoa muito desinformada considera que a pandemia acabou em Rondônia. E por que o governo de Rondônia ignora os fatos? Porque os dois principais cientistas do governo Marcos Rocha, que orientam o governo sobre covid-19 são os deputados Eyder Brasil e Jair Montes. Eles são os principais infectologistas desse governo…

O governador Marcos Rocha e o secretário Suamy Lacerda não possuem nenhuma certeza sobre a covid-19 e a clara possibilidade de nova onda com a volta às aulas. E a principal prova disso está no discurso do governador e no panfleto que ele elaborou sozinho para decretar o fim da pandemia e a data de volta às aulas. No panfleto, existe um documento em anexo que os pais ou responsáveis por alunos serão obrigados a assinarem nas escolas. O documento diz claramente que, caso o aluno volte à escola e seja contaminado, a os pais são obrigados a assumir a responsabilidade. O governo de Rondônia ignora completamente a Carta Magna do país e Constituição Estadual. Nas duas leis está escrito, de modo cristalino, que a saúde é um dever do Estado. Tentar colocar a culpa na família do aluno por eventual contaminação pela covid-19 configura uma conduta criminosa. Quem serão esses gênios do Direito Administrativo e do Direito Constitucional que orientam o governo ??  Se as escolas governadas pelo suamysmo estão realmente preparadas para a volta às aulas presenciais, por que os pais são obrigados a assumir a responsabilidade por eventuais contaminações? Ou será que o governo vai trocar a pia e o álcool em gel por óleo de peroba, em relação aos deveres constitucionais do Estado?

Esse governo delira tanto, que o coronel disse ao Portal G1 que governoaumentou os salários dos profissionais de educação, porque Marcos Rocha baixou um decreto regulamentando a legislação nacional sobre o Piso Salarial. A Lei do Piso Salarial é de 2008 e qualquer pessoa pode constatar isso nos sites de buscas. Além disso, um decreto estadual não pode mudar uma lei federal. Concretamente, Marcos Rocha tem o dever de cumprir as leis que ele mesmo jurou em 1º de janeiro de 2019. Mesmo assim, o governador não cumpre tudo. Ele retirou dos profissionais de educação o direito ao Auxilio Transporte, que existia desde os tempos que ele era recruta do Exército Brasileiro. Durante todo esse período de pandemia, o secretário de educação fala que vai estudar uma forma de restituir os gastos que os professores têm mensalmente, para produzir aulas. O Governo de Rondônia nunca custeou um centavo dos gastos dos professores com equipamentos. Os equipamentos são propriedades dos professores e os estúdios são as residências dos profissionais. Essas instituições que ajudam Marcos Rocha decretar o fim da pandemia na educação nunca cobraram dele que oferecesse aos profissionais o mínimo necessário em termos de tecnologia para as aulas remotas…

Finalmente, como se fosse a Nise Yamaguchi de Rondônia, Marcos Rocha tenta mudar a bula da vacina. A FIOCRUZ, que produz a vacina AstraZeneca,  recomenda que o prazo correto de intervalo entre as doses é de 90 dias. Mas o governo de Rondônia bate o pé quebrado e diz que é de 45 dias. No caso de Cacoal, e de dezenas de municípios do estado, os profissionais de educação irão tomar a segunda dose de vacina no mês de setembro. Resta saber se a SEDUC vai enviar para as escolas um formulário em que os professores e técnicos vão se responsabilizar, caso sejam contaminados na volta às aulas. Ou talvez o governo tenha a esperança de que vai convencer os profissionais da educação de que é possível fazer aulas com qualidade e segurança, usando apenas a pia e o álcool… Tenho dito!!!

FRANCISCO XAVIER GOMES – Professor da Rede Estadual e Articulista

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Facebook
WhatsApp