Cacoal/RO, 3 de março de 2024 – 15:29
Search
Search
3 de março de 2024 – 15:29

COLUNA DO XAVIER: CACOAL: O RACISMO, O PRECONCEITO E O ANALFABETISMO…

Francisco Xavier E1599229223641
FRANCISCO XAVIER GOMES

O mês de novembro está devidamente registrado no calendário cultural brasileiro como o Mês da Consciência Negra, visto que Zumbi dos Palmares, o maior líder negro dos últimos 500 anos, faleceu em 20 de novembro. Todavia, apesar de incontáveis eventos culturais realizados nas praças, escolas, teatros, cinemas e outros espaços de convivência social, ainda há muita desinformação sobre o tema e a Cultura Negra é confundida por muitas pessoas desinformadas com esses desfiles fajutos nos quais são “eleitos” “Miss e Mister Negros”. É lamentável que exista tanta desinformação acerca do assunto e mais lamentável ainda é ver autoridades e pessoas públicas fazendo declarações completamente descabidas, como fez recentemente o vice-Presidente da República,  Hamilton Mourão, ao afirmar que não existe racismo no Brasil…

No Brasil não existe racismo!!” Essa infeliz sentença foi proferida pelo   desinformado General de Exército Hamilton Mourão. É importante o leitor observar que grafei “General de Exército”; não General do Exército. Essa segunda patente não existe na hierarquia militar do Brasil. No Brasil, existem generais de Brigada; generais de Divisão e generais de Exército. Nenhum deles tem utilidade nenhuma, mas existem!! Após o necessário esclarecimento, voltemos à temática epigrafada. Não foi a primeira vez que o vice-presidente fez declarações absurdas sobre a questão étnica no país. Durante a campanha eleitoral de 2018, Mourão declarou que estava feliz pelo fato de ter um neto branco, porque o neto representava o “branqueamento da família dele”. Declaração ridícula!! Já empossado como vice-presidente, ele declarou que a população brasileira é ruim, porque tem a indolência do indígena e a malandragem do negro. Declaração igualmente ridícula!!!

Um país que possui autoridades do alto escalão da república fazendo declarações desse tipo está muito distante de erradicar o racismo e o preconceito. É por isso que aparecem analfabetos idiotizados, erguendo a bandeira da tese “No Brasil não existe racismo”. É lógico que existe!! O problema é que essas pessoas são tão estúpidas a ponto de não perceber. Essa frase é usada sempre pelas pessoas mais racistas que existem e é sempre acompanhada de outras frases infelizes, como “eu já tive um amigo negro”; “eu tenho uma empregada negra”; “na minha empresa já trabalhou um negro”… Essa semana, justamente no Mês da Consciência Negra, apareceu um imbecil que fez um vídeo declarando que estava “muito chateado com essa história de racismo, porque no Brasil não existe racismo”. No vídeo, ele fala que nunca teve problema e que já até trabalhou como motorista de aplicativo. Declara, ainda, o apedeuta que hoje vive bem e tem seus negócios. Claro que ele não explica no vídeo quais são os negócios que possui, porque certamente tem vergonha de dizer que são subnegócios. O tal vídeo circulou pelas redes sociais, sempre compartilhado por pessoas muito desinformadas. Muitas delas bateram palmas para o vídeo, sem ter nenhuma noção do conteúdo.

Claro que as pessoas que bateram palminhas para o indivíduo do vídeo são pessoas brancas, de olhos azuis ou verdes e que nunca sofreram preconceito racial. Em um grupo de uatizápi, quando questionei o conteúdo do vídeo, uma senhora branca, de olhos azuis e analfabeta, ficou muito irritada. Eu perguntei a ela o que ela tinha feito, até hoje, em defesa da Cultura Negra. Ela respondeu que “um dia já fez um desfile para “eleger” a Miss Negra e o Mister Negro” em Cacoal. Rí-dí-cu-lo!!! Essa história de “eleger miss e mister” nada tem a ver com a Cultura Negra e muito menos com a Cultura Indígena. Somente pessoas muito atrasadas e racistas fazem esse tipo de desfile. Quem sabe de onde vem essa história de desfile de miss pode constatar que não existe nenhum cabimento em confundir a Cultura Negra com essa pataquada…

Além de ter demonstrado profunda irritação pelo fato de eu ter contestado o teor do vídeo, a organizadora do “concurso de miss negra e mister negro”, declarou que eu gosto de querer saber de tudo. Ora, toda pessoa com alguma inteligência precisa ter vontade de aprender as coisas. É lógico que eu não sei de tudo, porque procuro me dedicar às áreas em que atuo profissionalmente. Em relação à Língua Portuguesa, a Língua Espanhola e à Cultura Negra, tenho obrigação de saber muitas coisas. E não é somente isso! Eu tenho obrigação de não aceitar a desinformação e o analfabetismo como regras. Eu tenho obrigação de combater o racismo, o preconceito e a desinformação. Não existe nenhuma possibilidade (nem intenção) de eu voltar a ser analfabeto, para agradar quem quer que seja. Jamais vou aceitar a ideia de que o racismo não existe no país, porque é uma tese burra e cínica. Aliás, é muito curioso que essa tese venha de pessoas que acreditam que existe a mamadeira de piroca.

Finalmente, quero deixar claro que minha posição será sempre muito firme em defesa da Cultura Negra, ainda que isso possa parecer arrogância para os mais desinformados. O fato de ter nascido às margens do Lendário Rio Guaporé certamente fazem de mim um negro muito mais altivo e atento à defesa da Cultura Negra. Quanto às pessoas que fazem beicinho pelas claras posições que tenho sobre o tema, apenas lamento que elas vivam, até hoje, enterradas na lama da estultícia,  do preconceito e do racismo… Tenho dito!!!

FRANCISCO XAVIER GOMES

Professor da Rede Estadual e Articulista

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Facebook
WhatsApp