Cacoal/RO, 26 de maio de 2024 – 23:14
Search
Search
26 de maio de 2024 – 23:14

COLUNA PAPUDISKINA: FUI ELEITOR DE LULA E DILMA, MAS O PT ME CONVENCEU A VOTAR NO BOLSONARO

Ao publicar que voto em Bolsonaro, não quero virar o seu voto; apenas exerço minha liberdade de expressão, algo que suponho não haver mais caso tenhamos o dissabor de ver o Lula eleito. Fiquemos certos, contudo, de que voto consolidado ninguém muda.

Quando eu decidi votar em Lula em 2002 e 2006; e na Dilma em 2010, ninguém conseguiu mudar minha opinião. Sabe quem me convenceu a votar no Bolsonaro? Não foram as postagens de quem odeia o PT nas redes sociais. Foi o PT mesmo com as bandeiras que voltou a defender, tão firmemente.

Alguns dizem: Santa ignorância. Lula governou o país entre 2002 e 2010 e não houve ruptura aos valores democráticos. Eu explico. Sim, pelo menos nos primeiros anos de governo, o PT respeitou o pacto que fez com a sociedade nos meses prévios às eleições, com uma carta aos brasileiros, na qual assumia o compromisso de respeitar a LIVRE INICIATIVA e a LIBERDADE DE EXPRESSÃO. Mas Lula sofreu pressão do partido e a partir de 2006 começou a ensaiar medidas voltadas a atender a ala mais radical do PT e dos partidos de ESQUERDA que apoiavam o seu governo.

Como todos os brasileiros, fiquei estarrecido com os atos de corrupção denunciados no governo do PT, mas como estávamos tão acostumados a roubalheira em outros governos, muitos de nós, mesmo envergonhados, acabamos por votar na candidata do Lula, a Dilma, em 2010, imaginando que com ela o país teria dias melhores e estávamos enganados. O governo dela foi um desastre total. Lula, no primeiro governo, conseguiu, em certa medida, controlar um pouco os radicais do PT, mas já em seu segundo mandato, começou a acenar para essa ala, defendendo coisas absurdas como regulação das mídias, etc.

O QUE ACONTECERÁ SE O PT VOLTAR AO PODER?

Os inocentes úteis que votam no Lula acreditando no Lulinha paz e amor, estão confiantes nessa nova “Carta de Intenções de Lula”, mas ela está cheia de palavras vazias. Lula não colocou nem no seu plano de governo as promessas que fez ao trazer um ex-ferrenho adversário para o seu lado, o popular picolé de chuchu, aquele a quem seus pais lhe deram o nome de Geraldo.

Lula colocou milhares de jornalistas da grande mídia deste país em um balde de água morna e eles parecem se sentirem confortáveis, pois essa água ainda não ferveu. Gente como eu e outros milhões de brasileiros vamos tentar salvar a pele desses jornalistas e chutarmos o balde antes que a água ferva. Óbvio que nós, Bolsonaristas, não estamos preocupados com os jornalistas incoerentes e ativistas que não percebem que a água morna preparada pelo PT irá ferver em uma eventual vitória do Lula. Ao votarmos no Bolsonaro, queremos salvar a nossa própria pele, pois com o PT no poder, a vida de todos nós será impactada negativamente, não importa qual seja a nossa atividade laboral ou econômica.

Ah, mas o PT é um partido tão democrático, dirão alguns e completarão: “é o partido da inclusão social, do respeito à diversidade étnica, religiosa e de gênero, blábláblá”. Será mesmo?

O PT e os radicais da esquerda fazem, sim, aceno às religiões de origem africana, mas odeiam os cristãos. Isso não é defender a liberdade religiosa, mas aprofundar as divisões que há e sempre houve na sociedade, aqui e em qualquer parte do mundo. O PT defende sim as pessoas que se identificam como integrantes do mundo LGBTQIA** (e outras letras a mais), mas aprofunda as divisões entre esse grupo e os heterossexuais. Inclusive já vimos muita gente da Esquerda ofendendo aqueles que, baseando-se em suas convicções de que Deus nos fez homens e mulheres e que o que passa disso são opções que devem ser respeitadas. Não podemos concordar com essa ideologia de gênero, que quer privilegiar quem opta por certas preferências sexuais, mas tratam os heterossexuais com agressividade em seu ativismo de gênero.

A esquerda pretende criar uma casta de privilegiados excêntricos, com privilégios simplesmente por serem diferentes. Não respeitam o fato de que, no mundo ideal, todos devem ser tratados em igualdade de condições, de modo que as opções no âmbito privado não podem anular valores como dignidade humana e o respeito também aos que pensam diferente de nós. (Muitos da esquerda, infelizmente, querem que o respeito seja dispensando aos grupos minoritários (e nisso estão certos), mas faltam com o respeito aos grupos majoritários (e erram muito nisso).

A esquerda – só percebi depois de votar tantas vezes no PT para presidente – aos poucos está destruindo a harmonia entre os diversos grupos sociais. Está certo que ao longo dos séculos, a pluralidade era desrespeitada e os grupos majoritários eram privilegiados, mas isso vinha se sendo ajustado ao longo dos séculos com leis punitivas para aqueles que as infringiam, seja por ofensas racistas, religiosas ou de gênero. Ou seja: precisamos de respeito a lei e menos militância agressiva que opõe NÓS a ELES.

O que o PT e as esquerdas fizeram, ao dividir os grupos, foi reabrir feridas antigas e escancarar o ódio. É errado pensar que leis feitas sob medidas, para cada grupo, curam as feridas e pacificam a sociedade. Isso é enganoso. As leis precisam ter alcance global, feitas para garantir as liberdades individuais – assegurando a harmonia coletiva, mesmo sob o caos que a diversidade pareça significar.

Todos temos de saber que tudo aquilo que afeta apenas a nós, como indivíduos, é decisão nossa e ninguém tem nada a ver com isso. No entanto, o nosso direito não pode afetar ou constranger os demais indivíduos que, como nós, também receberam de Deus a dádiva que transitar em sociedade durante o seu ciclo vital.

Em síntese: a esquerda raivosa presta um desserviço à nação. Um partido de esquerda pode até chegar ao poder e não causar tantos danos se tivermos um parlamento equilibrado, com esquerdistas moderados (algo que nem o PT, nem os seus partidos satélites representam).

Se o PT assumir o Governo, com o apoio dos radicais do PCdoB e PSOL lhe dando sustentação no Parlamento, aí haverá um sério risco para a sociedade. Não nos faltam exemplos. Além de Cuba e Venezuela, o novo exemplo de que o PT no poder pode ser um risco à nossa democracia é a Nicarágua, onde padres e pastores estão sendo arrastados às prisões e pessoas estão sendo intimidadas para que não manifestem. Milhares de pessoas foram presas e algumas até torturadas apenas por tentar exercer o seu direito à manifestações públicas.

Como ex eleitor de Lula e Dilma, entendo que agora não devo mais votar no PT. O partido e seus aliados à ESQUERDA me deram motivos para entender que preciso votar agora em BOLSONARO, que mesmo não sendo perfeito, ainda é uma opção mais confiável.

Torço que muitos outros, como eu, também deixem de votar no Lula por entender, agora, que o PT representa mais riscos à democracia do que um partido de direita. Algumas pessoas dizem que temos uma constituição democrática, mas a verdade é que, aqui ou alhures, não há regime que seja 100% à prova de investidas de cunho autoritário. As leis estão sujeitas àqueles que estão no poder. Eles têm poder para modificá-las e ajustá-las aos seus interesses. De todo modo, é muito melhor, em minha avaliação, que, entre Lula e Bolsonaro, este último é mais comprometido com as liberdades individuais.

Bolsonaro fala besteiras, é grosseiro – dirão muitos -. mas ele não é diferente de milhões de outros brasileiros. Não sejamos hipócritas. Manifestar o que se pensa – mesmo que choque alguns – é também o fruto da liberdade de expressão. Nem Lula, nem Bolsonaro estão imunes a falas que incomodam a alguns.

Lula e Bolsonaro já disseram falas preconceituosas, mas seja qual deles seja o eleito, o governo é exercido por uma equipe técnica, sob o controle mais ou menos rígido do parlamento e outras instituições.

Com o PT, em minha humilde opinião, velhas e novas feridas serão abertas, afetando ainda mais o tecido social de nossa sempre frágil e tenra DEMOCRACIA.

DANIEL OLIVEIRA DA PAIXÃO – JORNALISTA, EX-MEMBRO DO DIRETÓRIO MUNICIPAL DO PSB EM CACOAL, RO.

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Facebook
WhatsApp