Rondônia, 25 de julho de 2024 – 14:49
Search
Anuncie aqui
Search
25 de julho de 2024 – 14:49

Mulheres representam 48,8% dos docentes do ensino superior em Rondônia

Anuncie aqui

Entre os anos de 2015 e 2019 houve um aumento de 1,2% na taxa de mulheres lecionando no ensino superior em Rondônia

0000 4 1

Quando o assunto é a presença de mulheres na docência do ensino superior, em 2019, elas ainda eram minoria em 21 UFs, sendo que a maior proporção foi registrada na Bahia, onde elas eram 51,8% do quadro de professores, e que a menor ocorreu em São Paulo, onde 43,4% dos docentes são do sexo feminino. Em Rondônia, as mulheres representaram 48,8% dos docentes.

Também foi possível observar que houve um aumento na proporção de mulheres na docência do ensino superior em 24 UFs entre 2015 e 2019, que variaram de 0,2 p.p (Tocantins) a 3,3 p.p (Distrito Federal). Em Rondônia, o aumento foi de 1,2 p.p, assim como, Goiás, Pará e Paraná. Amazonas (0,3 p.p), Acre (0,4 p.p) e Piauí (0,9 p.p) tiveram redução na proporção de mulheres entre os professores.

Menos de 15% das cadeiras da Câmara de Deputados são ocupadas por mulheresA pesquisa mostra ainda como foi a participação das mulheres na política no ano 2020. Das 513 cadeiras da Câmara dos Deputados, 76 eram ocupadas por mulheres, representando 14,8% do total de vagas. Rondônia e Amapá, com três mulheres eleitas em cada estado, tinham a quarta maior proporção de participação feminina em suas bancadas: 37,5%.Acre e Distrito Federal foram as UFs com maiores proporções de mulheres: 50% de suas vagas, enquanto Pernambuco foi o estado com menor proporção: apenas 4%. Amazonas, Maranhão e Sergipe não tiveram mulheres eleitas para o cargo. A proporção de mulheres eleitas para o cargo de vereadora é um pouco maior que para deputada federal: 16% em todo o país. Rondônia apresentou a terceira menor proporção de mulheres nas Câmara de Vereadores: 11,5%, ficando atrás de Rio de Janeiro (9,8%) e Espírito Santo (9,9%). O estado com maior proporção foi o Rio Grande do Norte, onde 21,8% dos eleitos são do sexo feminino.

Taxa de desocupação é maior entre as mulheres que entre homensAs Estatísticas de Gênero também revelam que a desocupação é maior entre as mulheres que entre os homens e entre as pessoas pretas ou pardas que entre as brancas. Em 2019, a taxa geral de desocupação em Rondônia foi 8,1%, mas ocorreu uma diferença de 3,7 p.p entre homens e mulheres. Eles registraram 6,5% e elas de 10,2% de desocupação. A maior diferença entre gêneros foi registrada no Amazonas (8,4 p.p) e a menor ocorreu no Piauí (0,7 p.p).Quando considerada cor ou raça, Rondônia é a única UF em que as mulheres brancas apresentam taxa maior de desocupação que as mulheres pretas ou pardas. Entre as brancas, o índice foi de 11,6% e entre as pretas ou pardas, foi de 9,8%. No Brasil, a desocupação era de 11% entre as mulheres brancas e de 16,8% entre as pretas ou pardas.

(Amabile Casarin – Analista Censitária/Jornalismo)

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Facebook
WhatsApp