Cacoal/RO, 17 de maio de 2024 – 20:26
Search
Search
17 de maio de 2024 – 20:26

Pedro Lourenço oficializa compra do Cruzeiro SAF junto a Ronaldo

Empresário adquiriu 90% das ações da Sociedade Anônima do Futebol do clube mineiro

 

Pedro Lourenço é novo dono da SAF do Cruzeiro – Cris matos/STAFF IMAGES
Dia histórico no Cruzeiro. O empresário Pedro Lourenço, de 68 anos, oficializou nesta segunda-feira (29), no microfone da Itatiaia, em primeira mão, a compra de 90% das ações da Sociedade Anônima do Futebol do clube junto a Ronaldo Nazário, que geria a empresa desde janeiro de 2022.

Pedro também confirmou Alexandre Mattos como novo homem do futebol do Cruzeiro. O dirigente estava no América desde 15 de abril. “Alexandre Mattos é nosso homem do futebol. Ele tem o jeitinho dele. Ele está animado. O Pedro (Júnior, filho mais velho de Lourenço) vai ser o assistente do Alexandre. Eu fico mais na retaguarda, nas questões maiores. Eles ficam no dia a dia”, disse.

A assinatura oficial será às 16h, na Toca da Raposa II, com presença de toda a cúpula da antiga gestão e os novos dirigentes.

Pedrinho, como é popularmente conhecido o empresário, dono da rede varejista Supermercados BH, adquiriu 90% das ações do Cruzeiro SAF por R$ 600 milhões.

Este ano, Lourenço pagará a Ronaldo mais R$ 150 milhões. Os R$ 350 milhões restantes serão quitados ao longo de dez anos com o Fenômeno.

Os 10% restantes da SAF continuam sob o controle do Cruzeiro (associação).

Resumo da era Ronaldo

Ronaldo anunciou a compra da SAF em 18 de dezembro de 2021, em São Paulo. Em janeiro de 2022, o empresário deu início à gestão. Mas a oficialização da compra só ocorreu de fato em março daquele ano, após a aprovação por parte do Conselho Deliberativo de ajustes no contrato. O então sócio-majoritário assumiu a dívida tributária, na ordem de R$ 180 milhões, a troco das Tocas da Raposa I e II.

Antes, o Fenômeno já tinha como obrigações arcar com as dívidas associação civil no âmbito esportivo (FIFA e CNRD) e administrar a recuperação judicial (dívidas trabalhistas e cíveis).

Paralelamente à missão de reduzir a dívida do Cruzeiro, estimada em R$ 1,05 bilhão, Ronaldo tinha como meta recolocar o Cruzeiro na Série A, uma vez que o clube fora rebaixado em 2019 na gestão de Wagner Pires e Sá e Itair Machado. O acesso foi conquistado logo no primeiro ano de gestão, com o título da Série B.

Na volta à Série A, em 2023, o Cruzeiro lutou contra o rebaixamento, mas por fim atingiu o objetivo de terminar em 14º lugar, com 47 pontos e uma vaga na Copa Sul-Americana.

A pressão sobre a gestão da SAF aumentou este ano, após a eliminação na primeira fase da Copa do Brasil para o modesto Sousa-PB e depois da perda do Campeonato Mineiro para o rival Atlético. A principal crítica da torcida foi em relação à falta de investimentos que poderiam tornar o time mais competitivo na Sul-Americana e no Brasileirão. Outros pontos negativos da gestão foram a falta de transparência, a comunicação ruim com os torcedores e a imprensa e as sucessivas trocas de treinadores, bem ao estilo “associação”.

Responsabilidades

Além de comandar todo o departamento de futebol cruzeirense, Pedro Lourenço assumirá todas as responsabilidades que eram da Tara Sports, holding de Ronaldo e então dona da SAF.

Pedro assumirá o pagamento das dívidas cíveis e trabalhistas no regime de recuperação judicial; o pagamento da dívida tributária; o pagamento de dívidas relacionadas à prática esportiva (FIFA e CNRD); e o controle das Tocas da Raposa I e II.

A sede administrativa do Cruzeiro, no Barro Preto, em Belo Horizonte, já estava alugada para a rede Supermercados BH, de Pedro Lourenço, pelo período de dez anos. O negócio foi fechado em troca do pagamento antecipado de R$ 11 milhões, em 2021.

Novo organograma da SAF

Ao assumir oficialmente a gestão da Sociedade Anônima do Futebol, Pedro Lourenço terá que montar o novo organograma do Cruzeiro. Até então, o CEO na era Ronaldo era Gabriel Lima.

Pedro Júnior, filho mais velho de Lourenço, deve assumir a função de CEO, que estava a cargo de Gabriel Lima.

Gabriel Lima participará de todo o processo de transição e cuidará da administração da SAF por tempo determinado.

Alexandre Mattos ficará à frente do departamento de futebol, mas certamente fechará a contratação de um novo gerente para ajudá-lo no dia a dia e fazer a interlocução com o elenco.

As regras do controle do Cruzeiro SAF

  • Pagamento das dívidas cíveis e trabalhistas no regime de recuperação judicial a ser elaborado em comum acordo entre as partes;
  • SAF ficará responsável pelo pagamento da dívida tributária;
  • Dívidas relacionadas à prática esportiva (FIFA e CNRD) serão de responsabilidade da SAF;
  • Integralização de R$ 50 milhões na assinatura do Acordo de Investimentos. Capital comprometido de R$ 350 milhões a ser realizado em 5 anos por aporte de capital e/ou por receitas incrementais acima da média de receita entre os períodos de 2017 a 2021;
  • Em caso de não cumprimento com o compromisso de investimento, o investidor poderá ser diluído até participação proporcional ao capital integralizado;
  • Em caso de venda de participação majoritária para terceiro, o novo investidor precisará cumprir exigências de perfil, além de seguir os termos do acordo de acionistas e do atual acordo de investimento;
  • Associação deterá vetos para assuntos que são hoje previstos pela lei (ex: alteração de logradouro, brasão, etc.);
  • Associação deterá o direito de nomear 1 membro para o Conselho de Administração e 1 membro para o Conselho Fiscal, obtendo assim acesso a toda informação pertinente relativa à gestão do investidor da SAF;
  • Ronaldo Nazário de Lima permanecerá obrigatoriamente como membro do Conselho de Administração até que a Tara Sports venda sua participação majoritária;
  • Lock-up para venda de controle de 60 meses ou até cumprir integralmente compromisso de investimento dos R$ 350 milhões adicionais;
  • Previsão de remuneração incremental para a Associação a partir da venda de controle da SAF assumindo retorno mínimo para o investidor;
  • Opção de compra de participação do investidor em casos que impossibilitem o investidor continuar normalmente o curso do projeto estabelecido;
  • Licenciamento da Marca Cruzeiro para a SAF, com pagamento de royalties para a Associação, após quitada todas as dívidas da Associação;
  • Direito da associação de realizar uma primeira oferta pela participação do acionista majoritário caso o mesmo inicie um processo organizado de venda.

(CNN Brasil)

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Facebook
WhatsApp