Cacoal/RO, 22 de maio de 2024 – 03:53
Search
Search
22 de maio de 2024 – 03:53

SENAI de Rondônia inicia consultorias pelo Programa Brasil Mais Produtivo

Duas indústrias, uma no segmento de alimentos e outro de móveis planejados começaram a ser atendidas pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de Rondônia (SENAI-RO), dentro do Programa Brasil Mais Produtivo. O objetivo é identificar desperdícios e acompanhar a implementação de um plano de ação para eliminá-los, e ao final essas empresas terem um ganho de produtividade de no mínimo 20%. Elas também receberão atendimento em educação profissional com participação nas trilhas de aperfeiçoamento voltadas à produtividade.

As consultorias são realizadas pela equipe da área de Soluções em Tecnologia (STI) do SENAI e está sob a responsabilidade de Lissandra Souza Fernandes e Wilson de Carvalho. De acordo com Lissandra, o primeiro passo é uma reunião com os responsáveis pelas indústrias, momento em que se conhece os processos produtivos das empresas e a família de produtos dessas empresas. Após isso, inicia-se o diagnóstico para identificar os principais desperdícios, que impedem a eficiência na produtividade.

“Muitos gestores acreditam que o aumento da produtividade está diretamente ligado ao aumento da carga horária da fábrica e à aquisição de maquinário, o que resulta em um aumento de gastos. No entanto, o objetivo do nosso programa é proporcionar aos gestores a oportunidade de aumentar o volume de produção utilizando menos recursos, tornando o processo mais eficiente. Durante a fase de diagnóstico, identificamos os obstáculos que impedem esse aumento e já indicamos os pontos de melhoria necessários”, explicou.

Após o diagnóstico e identificação das necessidades, é feita a apresentação das oportunidades de melhorias. “A partir daí, utilizamos ferramentas para corrigir esses efeitos negativos na produção, entre elas, padronização de processos, manutenção de maquinários, que servem para minimizar e até mesmo sanar os problemas que impedem a eficiência na produção”, disse Lissandra. “Em determinados casos, a gente consegue identificar qual o tempo que a indústria leva para fabricar determinado produto e a meta é reduzir esse tempo em 20%”, pontuou.

Lissandra também afirmou que a equipe de STI fará o acompanhamento e avaliação dos resultados obtidos junto às indústrias atendidas.

 

Sobre o programa

Lançado oficialmente em novembro de 2023, o programa é coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC) em uma parceria inédita entre o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), a Empresa Brasileira de Inovação Industrial (Embrapii) e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES).

O programa destina R$ 2,037 bilhões para o engajamento digital de 200 mil indústrias, com atendimento presencial a 93 mil empresas até 2027. A Plataforma de Produtividade, em operação desde 31 de janeiro, serve como porta de entrada para as empresas participarem do programa. Além disso, elas terão acesso aos conteúdos complementares relacionados à produtividade e digitalização. No programa, SENAI e Sebrae atuam de forma conjunta para identificar e diagnosticar gargalos de gestão e da produção, por meio de metodologias mais adequadas para as empresas atendidas.

O B+P propõe trilhas de aperfeiçoamento profissional para micro, pequenas e médias empresas, que incluem cursos e ferramentas sobre práticas de gestão, mercado, inovação, eficiência energética, manufatura enxuta e transformação digital. Para aderir ao programa, faça o cadastro no link do Brasil Mais Produtivo.

(Imprensa/FIERO)

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Facebook
WhatsApp