Cacoal/RO, 26 de fevereiro de 2024 – 10:50
Search
Search
26 de fevereiro de 2024 – 10:50

RESGATE HISTÓRICO: 1º DE JUNHO, O CENTENÁRIO DO TEIXEIRÃO, O 1º GOVERNADOR DO ESTADO DE RONDÔNIA

Compartilhe:

1 3
Jorge Teixeira de Oliveira (primeiro à esquerda) foi o último governador do Território e o primeiro governador do Estado
facebook sharing button
twitter sharing button
messenger sharing button
whatsapp sharing button
 

O mais popular governador da história de Rondônia completaria 100 anos de vida neste dia 1º de junho. O coronel do Exército, Jorge Teixeira de Oliveira, foi designado com a missão de organizar o então Território Federal de Rondônia para elevar à categoria de Estado. Missão dada; missão cumprida! Com quase três anos de trabalho intenso e muita motivação da população que acompanhou a proposta e ajudou na construção do projeto que culminou na criação do Estado de Rondônia.

Jorge Teixeira de Oliveira foi o último governador do Território e o primeiro governador do Estado. Sua trajetória política foi marcada pela paixão de fazer, habilidade de agregar pessoas e livre acesso ao então presidente da República, o general do Exército João Batista de Figueiredo. 

O jornalista R. Machado, autor das fotos desta reportagem, acompanhou o governador em basicamente todos os momentos marcantes para história do novo Estado. Segundo declarou ao Diário da Amazônia, o governador tinha livre acesso ao Palácio do Planalto e suas demandas eram despachadas diretamente com o presidente. Todos os pedidos do governador eram com comprovações técnicas visando a estruturação de Rondônia.

“Quando chegávamos no Palácio do Planalto tínhamos livre acesso e não precisa nem de revista. Todos os seguranças já nos conheciam. O governador Teixeirão ia direto para o Gabinete da Presidência e os ministros eram chamados para dar andamento às demandas”, conta R. Machado.

O perfil

O momento é para celebrar o centenário de Teixeirão, como era conhecido popularmente o coronel. Ele nasceu em 1º de junho de 1921, em General Câmara, um pequeno município gaúcho da mesorregião de Porto Alegre. Filho de Adamastor Teixeira de Oliveira e de Durvalina Stilben de Oliveira foi filho exemplar e honroso. Estudou em internato, fez curso preparatório para Cadete do Exército no Ceará, e selou seu destino no Rio de Janeiro, onde cursou o ensino superior na Academia Militar de Agulhas Negras (Aman), e foi declarado aspirante da Arma de Artilharia. Foi um dos primeiros oficiais do Paraquedismo no Exército.

Formou-se também em Educação Física pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e como apaixonado por esportes se destacava como jogador de baquete e vôlei. Casou-se em 1950 com Aida Fibiger de Oliveira, com quem teve um filho, Rui Guilherme Fibiger Teixeira de Oliveira.

Exerceu diversas funções militares no Brasil e exterior até chegar à Manaus para instalar o Curso de Guerra na Selva, formando a primeira turma em 1966. Como coronel da reserva, foi nomeado em 1973 para assumir a prefeitura de Manaus, onde ficou até março de 1979. Em sua gestão como prefeito demonstrou ser um líder carismático e estimulou a população para os avanços da cidade que despontava com o surgimento da Zona Franca de Manaus. 

A gestão como prefeito o credenciou para assumir como governador do antigo Território Federal de Rondônia e o primeiro governador do novo estado. Foi indicado pelo General João Batista de Figueiredo, assumindo em 10 de abril de 1979, com a principal tarefa de transformar o Território Federal de Rondônia em estado. Seu antecessor também coronel do Exército, Humberto da Silva Guedes, já tinha iniciado ações importantes como a emancipação dos primeiros municípios do interior Ariquemes, Ji-Paraná, Cacoal, Pimenta Bueno e Vilhena. 

Jorge Teixeira de Oliveira faleceu no dia 28 de janeiro de 1987 e foi enterrado no Cemitério São João Batista, na cidade do Rio de Janeiro, onde fixou residência após cumprir a missão de instalar e estruturar o Estado de Rondônia.

Estruturação 

Foi na gestão de Jorge Teixeira de Oliveira que Rondônia ganhou novas estradas, impulsionou a agricultura, criou novos municípios (Colorado do Oeste, Espigão D´Oeste, Presidente Médici, Ouro Preto do Oeste, Jaru e Costa Marques). Outros feitos estruturantes foi a construção da Esplanada de Secretarias e a criação de instituições que pudessem formalizar a estrutura inicial de um novo estado. Sábio em suas escolhas, Teixeirão formou uma equipe técnica capaz de assessor e de realizar grandes realizações, compostas por profissionais de nível superior e multidisciplinar. Gostava de contar com pessoas determinadas e ágeis que acompanhavam o seu perfil de cumpridor de missões.

Como maçom, Teixeirão trouxe para o governo alguns nomes de potencial e de fidelidade, que muito contribuíram com o projeto de criação do Estado. O governador ajudou a fundar a Grande Loja Maçônica do Estado de Rondônia (Glomaron). 

O Estado

Em dois anos e oito meses, Rondônia estava pronto para ser Estado. Em 16 de dezembro de 1981, o projeto de lei complementar nº 221-A/81 foi aprovado na Câmara Federal, dando origem à Lei Complementar nº 41, de 22 de dezembro de 1981, que criava a nova unidade federativa, o estado de Rondônia. Teixeirão foi reempossado no cargo de governador, agora do Estado, em 29 de dezembro de 1981, em solenidade realizada em Brasília. 

Como governador do Estado passou a atuar na estruturação dos demais poderes. Instituiu o Tribunal de Justiça, o Ministério Público, empossou os primeiros magistrados e promotores, e constituiu os primeiros colegiados de desembargadores e procuradores. Também foi ele que instituiu o Tribunal de Contas do Estado e empossou os primeiros conselheiros.

Nas eleições de 15 de novembro de 1982 foram eleitos os primeiros representantes pelo voto popular sendo três senadores, oito deputados federais e 24 deputados estaduais que compuseram a Assembleia Constituinte – que promulgou a primeira Carta Magna do Estado. A maioria dos eleitos tinham o apoio político de Teixeirão, que se revelou como um grande líder político.

Educação

Como governador, Jorge Teixeira de Oliveira promoveu grande estruturação educacional. Construiu escolas na Capital e nos municípios, e instituiu a Universidade Federal de Rondônia (Unir) que inicialmente tinha apenas um polo em Porto Velho, no prédio histórico no centro da cidade, onde atualmente funciona a Unir Centro. Depois a instituição de ensino superior expandiu para Ariquemes, Guajará Mirim, Cacoal, Ji-Paraná, Presidente Médici, Rolim de Moura e Vilhena. 

Outras instituições

Foi no governo de Teixeirão que Rondônia expandiu de forma organizada na mineração com a instalação da Companhia de Mineração de Rondônia (CMR), criou o Banco do Estado de Rondônia (Beron) que se tornou agente financeiro de fomento do desenvolvimento regional, construiu hospitais e unidades especializadas de saúde, e iniciou o projeto de construção da usina Hidrelétrica de Samuel. Na área social também teve grande atuação consolidada pelo trabalho amoroso da esposa Aída Fibiger de Oliveira que, como primeira dama, dirigiu com maestria o Programa Nacional de Voluntariado da Legião Brasileira de Assistência (Pronav/LBA).

Asfaltamento da BR-364

Um feito determinante para o progresso de Rondônia foi o asfaltamento da rodovia BR-364, no percurso entre Cuiabá (MT) a Porto Velho (RO). O jornalista R. Machado conta que fez um book fotográfico das condições precárias da rodovia, e com esse acervo, o governador Jorge Teixeira de Oliveira apresentou ao presidente da República, João Batista de Figueiredo, que ao visualizar a dimensão do problema determinou o imediato início da obra, custeada pelo Programa Integrado de Desenvolvimento do Noroeste do Brasil (Polonoroeste).

O asfaltamento da rodovia BR-364 foi determinante para o progresso e crescimento regional, facilitando o transporte rodoviário e favorecendo o fluxo de importação e exportação. 

(Diariodaamazonia)

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Facebook
WhatsApp