Cacoal/RO, 18 de abril de 2024 – 13:57
Search
Search
18 de abril de 2024 – 13:57

Coluna Boca Maldita – PONTES DO EXÉRCITO

CONFERÊNCIA MUNICIPAL

Na última sexta-feira, foi encerrada em Cacoal 1ª Conferência Municipal de Desenvolvimento Econômico e Social Sustentável. Organizada pela Universidade Federal de Rondônia, Instituto Federal de Rondônia e com o apoio da ACIC, CDL, OAB, SEMAGRI e o governo estadual, a conferência discutiu diversos temas relacionados com o desenvolvimento econômico e social do município. O objetivo do evento foi discutir com todos os segmentos da população os caminhos para a elaboração de projetos e captação de recursos para alavancar o município. O agronegócio, o comércio, os financiamentos para muitas iniciativas foram pautas das oficinas, palestras e outras atividades que aconteceram durante uma semana no município de Cacoal. Vários especialistas em gestão públicas e gestão de negócios vieram a Cacoal para ministrar oficinas e palestras. Políticos, empresários e profissionais liberais de municípios vizinhos também participaram da conferência e tudo indica que os resultados positivos devem surgir em pouco tempo. Foi a primeira vez que Cacoal realizou um evento dessa natureza e a parceria entre UNIR e IFRO certamente vai trazer muitos benefícios para a Capital do Café e para os municípios vizinhos. A coluna registra os elogios a todos os organizadores e participantes.

ELEIÇÕES MUNICIPAIS

A Janela Eleitoral tem provocado muita movimentação de todos os partidos políticos com sede no município de Cacoal. No dia 5 de abril vencerá o prazo para que os atuais vereadores troquem de partido, caso tenham interesse, sem perder o mandato. A tendência é que vários vereadores mudem de sigla na próxima semana. A maior preocupação dos vereadores é buscar abrigo nos partidos onde eles acreditam que podem ter mais facilidade para garantir a reeleição. Outra grande preocupação dos atuais vereadores é tentar aumentar o número de cadeiras na Câmara de Cacoal, fato que também pode facilitar muito a vida de quem já está no mandato, embora isso não traga nenhum benefício para a população. Como o assunto gera grande desgaste político, os vereadores tentam fazer tudo na surdina, para que a população não saiba quem são os vereadores e ex-vereadores que se movimentam nos bastidores para aumentar de 12 para 15 ou 17 o número de vereadores na Capital do Café. Essa manobra representa a falta de compromisso de muitos vereadores com a população. O presidente da Câmara de Cacoal, Valdomiro Corá, já declarou que não vai colocar a matéria em votação, mas existem pelo menos 7 vereadores dispostos a fazer a mudança. Não dá para entender por que a insistência de alguns vereadores em aprovar uma matéria que a população rejeita completamente.

PICHCEK CANDIDATO

O ex-governador Ivo Cassol entrou na briga para tentar eleger o prefeito de Cacoal. Recentemente Ivo Cassol gravou um vídeo, que circula nas redes sociais, para apresentar o vereador João Paulo Picheck como o pré-candidato do Partido Progressista (PP) ao cargo de prefeito de Cacoal. Essa decisão do ex-governador deve selar uma aliança envolvendo o PL e PP, partidos com grande militância em Cacoal e que podem juntar um grande grupo político para defender a campanha de João Picheck. Assessores e simpatizantes do atual prefeito têm falado que Adailton Fúria é um amplo favorito que venceria a eleição com cerca de 80% dos votos de Cacoal, mas esse desejo dos aliados do prefeito pode encontrar uma enorme barreira, porque não dá para dizer que o grupo político de Ivo Cassol vai entrar na briga para perder. Como possui muitos aliados no município, Cassol deve atrair para a campanha de Picheck um grande grupo de comerciantes e pecuaristas do município. A situação de Ivo Cassol no PP ainda não está completamente definida, já que a diretoria estadual do partido, que foi extinta pelo Diretório Nacional, para que o ex-governador assumisse o comando da sigla em Rondônia, prometeu ajuizar uma ação na justiça para desfazer a nomeação de Ivo Cassol. O argumento dos dirigentes anteriores é que não haveria fundamento jurídico para nomear nova direção estadual do PP, porque a diretoria foi eleita pelos membros do partido. Vamos aguardar os próximos capítulos da novela. Por enquanto, podemos dizer que o lançamento do nome do vereador Picheck muda muita coisa no cenário político municipal.

PONTES DO EXÉRCITO

Os políticos com mandato no município de Cacoal adoram aproveitar de ações de outros políticos estaduais ou federais para tentar tirar proveito político de ações realizadas em Cacoal. Esta semana, o senador Confúcio Moura anunciou que as pontes dos rios Machado e Pirarara, cujas obras estão paradas desde 2022, serão retomadas nos próximos dias. Segundo Confúcio Moura, o Exército Brasileiro vai instalar pontes de metal para que o fluxo de veículos não seja interrompido. Quando as obras foram anunciadas, o prefeito de Cacoal, Adailton Fúria, mais uma vez voltou às redes sociais para gravar vídeos e dizer que a prefeitura está se movimentando para resolver o problema. Porém as coisas não são bem assim. Confúcio Moura tratou o assunto diretamente com o DNIT e com ministros do governo federal. O DNIT é um órgão federal e não sofre influência de nenhum político municipal. Essa história de fazer vídeos e mostrar obras tentando tirar proveito político virou mania em Cacoal, mas, quando as obras estão paradas, ninguém aparece para dizer uma palavra. Aliás, a influência de Confúcio Moura em Brasília é muito boa, porque ele é o único senador de Rondônia com acesso fácil aos ministros e ao próprio presidente Lula. Por esta razão, Confúcio tem o nome cotado para assumir um ministério no atual governo federal.

OBRAS MUNICIPAIS

Para que a população saiba quais são as obras municipais que deveriam ser executadas, mas que até hoje não tiveram nenhum andamento, a coluna lembra que a reforma da Rodoviária Municipal, a reforma do Feirão do Produtor e as obras de drenagem da rua Uirapuru, essas sim, são de responsabilidade do município, mas os vereadores e o prefeito evitam falar dessas obras. Por muitas vezes, já foram gravados pelo prefeito e os vereadores aliados vídeos que prometiam a execução de tais obras, mas tudo ficou apenas na conversa. Como teremos eleições em outubro, é provável que esses temas voltem a fazer parte dos discursos dos políticos municipais, porque falar de obras em período de campanha pode dar votos. O problema de mexer nessas obras agora é que tudo teria que ser feito com muita pressa, porque a legislação eleitoral não permite a participação de políticos em inauguração de obras a partir de julho. Caso alguma dessas obras seja iniciada, a população precisa ficar de olho, para evitar que sejam mal feitas para acelerar a inauguração. É claro que a população precisa e deseja que essas obras sejam realizadas, mas é necessário que os trabalhos sejam feitos dentro da normalidade dos prazos e sem a pressa eleitoral que muita gente pode sonhar.

PAULO HENRIQUE

O vereador Paulo Henrique usou a tribuna da Câmara Municipal, na última segunda-feira, para anunciar que todas as ações judiciais feitas contra ele pelo prefeito Adailton Fúria e seus aliados foram arquivadas pelo Ministério Público Estadual. O vereador fez um relato das ações e mostrou as manifestações do MP sobre os fatos. Conforme declarou o vereador, os membros do Ministério Público não encontraram nenhum fundamento nas denúncias e consideraram que deveriam ser todas arquivadas. Entre essas ações, o grupo político do prefeito inventou uma história de que o vereador Paulo Henrique tentou vender vacinas contra a Covid-19 para a Prefeitura de Cacoal. A denúncia realmente não faz sentido, porque as vacinas contra a Covid-19 foram todas compradas pelo governo federal. A única exceção foram as primeiras vacinas aplicadas em São Paulo que foram compradas pelo governo de São Paulo. Outra denúncia arquivada foi uma falsa acusação de que o vereador teria praticado assédio contra uma servidora da Câmara Municipal. As investigações mostraram, porém, que a denúncia não tem nenhum fundamento e que não deveria seguir em frente. Outras três ou quatro denúncias feitas pelo grupo do prefeito contra o vereador também foram arquivadas pelos mesmos motivos e revelam a simples tentativa de calar um dos vereadores que lideram a oposição dentro da Câmara Municipal.

PADRINHO POLÍTICO

O vereador Ezequiel Câmara, conhecido como Minduím, usou a tribuna da Casa de Leis, na sessão ordinária de segunda-feira para dizer que ele é o responsável pela indicação da Diretora do Pronto Atendimento Municipal (PAM) e que ela foi colocada por ele no cargo para “colocar ordem na casa”. As declarações do vereador são muito estranhas, porque a atual diretora do PAM tem sido muito criticada por grande parte dos servidores da unidade de saúde, acusada de perseguição contra funcionários. Poucos dias atrás, uma equipe do Conselho Regional de Enfermagem veio a Cacoal para conhecer de perto a realidade das denúncias e adotar as providências cabíveis. Funcionários do PAM afirmam que o clima de tensão ficou muito forte no hospital, desde a nomeação da diretora indicada pelo vereador. Nessa história, há um fato curioso, porque somente às vésperas de uma campanha eleitoral o vereador descobriu que precisava colocar ordem no PAM e indicar uma eleitora dele para fazer esse trabalho. A única coisa que mudou, após a nomeação foi que o clima de perseguição é citado por todos os funcionários do PAM, mas o vereador Amendoim afirmou que a diretora indicada por ele somente vai sair do cargo, quando ele decidir que ela não serve. Estranho isso. Muito estranho!

GUARDA MUNICIPAL

As pessoas que acompanham as sessões da Câmara Municipal de Cacoal devem ter notado que o vereador Edimar Kapiche não estava na sessão da última segunda-feira. O motivo da ausência é que o vereador da base do prefeito Adailton Fúria estava no estado de São Paulo. Ele foi conhecer a cidade de Vinhedo -SP, cidade conhecida por ser produtora de alguns dos melhores vinhos brasileiros. No processo de pagamento de diárias ao vereador consta que ele recebeu R$ 5.059,44 em diárias, para ir ao município de Vinhedo buscar um modelo de Guarda Municipal para Cacoal. A população já está acostumada com essa história, porque o vereador Edimar Kapiche já viajou para vários estados e muitos municípios brasileiros para buscar esse tal modelo de Guarda Municipal, mas é pouco provável que esta ideia se torne realidade em Cacoal, já que não existe sequer um projeto em tramitação na Câmara Municipal e o prefeito nunca se mostrou favorável à ideia. Para fazer justiça, o prefeito Adailton Fúria tem toda razão, sobre esse caso, porque Cacoal não tem condições de ter uma Guarda Municipal e possui muitas outras prioridades que precisam de atenção dos vereadores. O que os vereadores deveriam fazer é cobrar do governo estadual que aumente o efetivo das polícias no município. Essa história de Guarda Municipal é até bonitinha, mas serve apenas para palanque político.

ALERTA DE ENCHENTE

A Prefeitura de Cacoal divulgou esta semana uma nota alertando a população que vive próxima às margens do rio Pirarara sobre a possibilidade de fortes chuvas e risco de cheia do rio. Como sabemos, quando ocorre esse tipo de problema, muitas pessoas ficam desabrigadas e perdem diversos bem móveis, animais e outros pertences. O comunicado da prefeitura é importante, porque a população precisa realmente ficar atenta ao volume de chuvas. Infelizmente não é possível evitar que chova, mas é possível evitar que os prejuízos sejam maiores, quando as chuvas caem. Em anos anteriores, não houve nenhuma comunicação e isso causou muitos transtornos. A última enchente mais forte no município deixou mais de mil famílias desabrigadas em Cacoal. Ao contrário de Cacoal, o setor competente do estado de Rondônia alerta que pelo menos 8 municípios de Rondônia poderão sofrer com a falta de água este ano, em função dos graves problemas de estiagem e a seca dos rios que abastecem cidades como Espigão do Oeste, São Felipe e outras cidades.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Facebook
WhatsApp