Anuncie aqui
Anuncie aqui

Agronegócio: Novas tecnologias empolgam cafeicultores

Empolgado com o resultado obtido com café clonal, José Maria investiu no plantio de mais cinco mil pés no ano seguinte e já prepara novos clones.

Agricultores do município de Alto Paraíso assistidos pela Entidade Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural de Rondônia (Emater-RO) participaram de um dia de campo para conhecer as novas tecnologias introduzidas pelos técnicos na lavoura de café do agricultor José Maria Rodrigues. Ele e sua esposa, Maria Helena, cultivam dez mil plantas de café clonal e obtiveram resultados excepcionais em relação à média de produtividade das lavouras tradicionais da região. “Parte da colheita ainda está no terreiro secando, mas se confirmando na balança, as medidas de volume já realizadas, a produtividade média passará de 170 sacas de café beneficiado por hectare”, garante a engenheira agrônoma da Emater-RO, Rosangela Veiga, responsável técnica pela propriedade.

O casal Rodrigues foi assentado na propriedade em 1977, pelo Instituto de Colonização e Reforma Agrária (Incra), e desde àquela época se dedica ao cultivo do café. Já chegaram a ter mais de cinquenta mil pés de café plantados, mas devido as crises de preço, dificuldades com mão de obra e as baixas produtividades acarretadas pela deficiência de tecnologia, diminuíram a lavoura e estavam a ponto de mudar de ramo quando, em visita à propriedade, a extensionista da Emater-RO propôs a introdução de clones em substituição as lavouras convencionais.

Os participantes ficaram empolgados com o resultado obtido após a aplicação da tecnologia orientada pelos extensionistas.

O casal aceitou o desafio e plantou as primeiras cinco mil plantas originárias de clones que foram conduzidas com todos os tratos culturais orientados pela agrônoma, inclusive irrigação por micro jato dirigido. O resultado no crescimento das plantas foi tão bom que resolveram plantar mais cinco mil pés de café clonal já no ano seguinte.

A família ainda possui 15 mil plantas de café em cultivo convencional que, segundo José Maria, só não foi erradicada porque ele ainda está selecionando as plantas mais produtivas e resistentes para fazer novos clones. A satisfação do agricultor pode ser percebida quando ele diz ter certeza de uma coisa: vai continuar produzindo café, mas “doravante só com tecnologia e assistência da Emater-RO”. afirma.

O dia de campo contou com a presença de, aproximadamente, 90 agricultores familiares da vizinhança e linha circunvizinhas, que ficaram empolgados com o resultado obtido após a aplicação da tecnologia orientada pelos extensionistas.

Também participaram do evento autoridades locais que elogiaram o trabalho e agradeceram aos técnicos dos diferentes órgãos que atuam no município, como: Prefeitura de Alto Paraíso, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura, e governo estadual, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri) e Emater-RO.

A atividade contou ainda com o apoio de empresas parceiras e fornecedores de insumo da região que patrocinaram os brindes que incluíam sacas de adubos e até projetos de outorga de água para irrigação junto ao órgão ambiental, sorteados entre os participantes.

O evento foi encerrado com um almoço oferecido pela dona da casa a todos que se fizeram presentes.

Texto: Enoque de Oliveira / Fotos: Robson Paiva (EMATER-RO)

Gostou? Compartilhe esta notícia!

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp